Banner

Jesus Início

Início


Visitas



addthis

Addrhis

Canal de Videos

Rio de Janeiro

Santa Sé






segunda-feira, 7 de setembro de 2015

Conheça a perigosa guerrilha que controla o norte do Paraguai | Mundo | Notícias | VEJA.com







Augusto Cesa...

Mundo
Assine VEJA
Assine VEJA
ÁSIA
ÁFRICA
ORIENTE MÉDIO
EUROPA
ESTADOS UNIDOS
AMÉRICA LATINA
Em destaque:
Saiba qual o salário de Putin, Obama...


Mais Lidas

Mundo
Destaque do Editor
Conheça a perigosa guerrilha que controla o norte do Paraguai
O Exército do Povo Paraguaio (EPP) já matou mais de 20 pessoas nos últimos dois anos e alguns se perguntam se o governo de Assunção está realmente tentando combatê-lo

06/09/2015 às 07:31 - Atualizado em 06/09/2015 às 07:31
Guerrilha Exército do Povo Paraguaio(Reprodução/Twitter)

No coração da América do Sul, um grupo terrorista relativamente novo no universo das lutas armadas está tomando o espaço das autoridades locais e provocando rumores de que o próprio governo age como cúmplice do grupo. O Exército do Povo Paraguaio (EPP) foi formalmente fundado em 2008, mas o movimento rebelde por trás da guerrilha marca presença no norte do Paraguai por quase 20 anos.

Habilidosos com explosivos e equipados com armas automáticas, os rebeldes do EPP são regularmente ligados a grupos armados estrangeiros, como por exemplo, as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). Sua ideologia é uma mistura das doutrinas marxista, leninista e guevarista, com uma característica local muito particular: o grupo reverencia o ditador que controlou o país após sua independência, José Gaspar Rodríguez de Francia. O político selou as fronteiras do Paraguai ao comércio exterior para impulsionar o desenvolvimento interno e executou e encarcerou centenas de seus oponentes.

Leia também:

Menina de 10 anos grávida após estupro é proibida de fazer aborto no Paraguai

Dilma valeu-se de espiões cubanos para convencer Mujica a expulsar o Paraguai do Mercosul, diz livro

Brasileiro morto na Bolívia era elo entre o Comando Vermelho e terroristas paraguaios

O EPP se financia por meio da cobrança das chamadas "taxas revolucionárias" de donos de propriedades agrícolas locais, contou um fazendeiro da cidade de Horqueta - um dos locais de mais força do grupo - ao jornal britânico The Guardian. "Eles afirmam ser como Robin Hood, roubando dos ricos para dar aos pobres, mas nós somos pessoas que trabalham duro também", contou o homem que pediu para ser mantido em anonimato após ter sido advertido pelas guerrilhas para não falar com a imprensa.

Mesmo com o envio de milhares de soldados e tendo declarado estado de emergência na região, o governo paraguaio parece não conseguir conter o grupo, que opera em algumas centenas de quilômetros quadrados de extensas florestas e propriedades agrícolas que só crescem. Ao todo, o EPP e seus fundadores já mataram mais de 50 pessoas - 25 só nos últimos dois anos - das quais 30 eram civis e 21 policiais ou militares. Em março, assassinaram três fazendeiros paraguaios desarmados, e espalharam panfletos proibindo o cultivo de "soja, milho, ou qualquer outro produto que exija pesticidas" pela propriedade.

Leia também:

Helicóptero do exército colombiano é derrubado por guerrilheiros

Paraguai pede ao Brasil deportação de ex-prefeito acusado de assassinato

Governo omisso - Contudo, a manutenção da força do grupo tem provocado dúvidas sobre o real interesse do estado em combater o EPP, e sobre os benefícios em não acabar com a organização. A ideia de que a guerrilha é um inimigo conveniente e controlável do governo é defendida por Cristóbal Olazar, antigo secretário geral do Movimento Pátria Livre, cujo braço armado se dividiu para formar o EPP, e que agora é informante da polícia. "A corrupção é muito forte entre as organizações de segurança, e não é vantajoso para eles acabar com este grupo, porque isso também acabaria com o seu apoio econômico", afirmou ao Guardian.

Ele alega também que a polícia e a Força-Tarefa Conjunta (FTC) - a força organizada pelo presidente Horacio Cartes para combater os terroristas - são cúmplices no esquema de tráfico de drogas que acredita ser organizado pelo EPP. No final de junho, a Câmera dos Deputados criou uma comissão para investigar as acusações de corrupção na FTC. O clientelismo, cultivado por décadas de regime de partido único e que resultou em funcionários corruptos, que desviam grandes quantidades de dinheiro público, também desmotiva a população a denunciar as ações do grupo terroristas - que fica cada vez mais perigoso.

(Da redação)TAGs:Guerrilha


Recomendados para você
Ex-namorada "fuzilada" de Kim Jong-un reaparece na TV norte-coreana
Os EUA mentiram sobre a operação que matou Osama bin Laden, diz jornalista
China tem um plano para o colapso da Coreia do Norte, apontam documentos
Amante de Lula ameaçou contar tudo. Léo Pinheiro “precisou” ajudá-la | VEJA.com
O mistério da índia brasileira fotografada por VEJA que foi parar no discurso de Maduro
Maioria das pessoas com psoríase sofre de outro problema de saúde



Pela Web
Patrocinado 5 truques para aprende qualquer idioma sem esforço (Babbel)
Patrocinado A promoção que está revolucionando a rede: câmera de ação por R$ 60,00 (Economize na Rede)
Patrocinado Pesquisa desvenda mecanismo para acabar com gordura no corpo (Blog Super Ciência)
Patrocinado A maneira mais simples e eficiente de perder peso rápido com saúde (Saiba dicas inéditas de especialistas para perder peso.)
Patrocinado 5 truques para aprender qualquer idioma por 2 poliglotas que falam 11 (Babbel)
Patrocinado 4 Erros Comuns que te Atrapalham na Hora do Estudo. (Renato Alves)



Comentários
Augusto Cesar Ribeiro Vieira



Li e concordo com os termos de uso

Edição 24429 de outubro de 2015O mausoléu da pazMorte de Aylan Shenu pode marcar o limite do descaso com a tragédia dos refugiadosÍNDICEASSINE VEJA









Fale conosco
Abril SAC
Para anunciar
Termos de uso
Política de privacidade
VERSÃO MÓVEL


Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados







_

Nenhum comentário:

Apoio




_

Immaculata mea

In sobole Evam ad Mariam Virginem Matrem elegit Deus Filium suum. Gratia plena, optimi est a primo instanti suae conceptionis, redemptionis, ab omni originalis culpae labe praeservata ab omni peccato personali toto vita manebat.

Cubra-me

'A Lógica da Criação'


Jesus, oculto na Hóstia, é tudo para mim




“Se não fosse a Santa Comunhão, eu estaria caindo continuamente. A única coisa que me sustenta é a Santa Comunhão. Dela tiro forças, nela está o meu vigor. Tenho medo da vida, nos dias em que não recebo a Santa Comunhão. Tenho medo de mim mesma. Jesus, oculto na Hóstia, é tudo para mim. Do Sacrário tiro força, vigor, coragem e luz. Aí busco alívio nos momentos de aflição. Eu não saberia dar glória a Deus, se não tivesse a Eucaristia no meu coração.”



(Diário de Santa Faustina, n. 1037)

Ave-Maria

A Paixão de Cristo