Banner

Jesus Início

Início


Visitas



addthis

Addrhis

Canal de Videos

Maria



Rio de Janeiro

Santa Sé






terça-feira, 4 de março de 2014

ACI Digital: Il Mio Papa : Lançada na Itália revista semanal exclusivamente dedicada ao Papa Francisco

Documento sin título










NOTÍCIAS DIÁRIAS · www.acidigital.com 










4 de maro de 2014 







ROMA, 04 Mar. 14 (ACI/EWTN Noticias) .- No próximo 5 de março, dia no qual a Igreja inicia o tempo da Quaresma com a quarta-feira de Cinzas, o grupo editorial italiano Mondadori lançará uma revista semanal dedicada exclusivamente ao Papa Francisco, que levará o nome de “Il Mio Papa” (O Meu Papa), e que em sua primeira edição imprimirá três milhões de cópias.



SUGERIMOS HOJE:

FAÇA PARTE DA NOSSA REDE NO FACEBOOK

SIGA AS NOSSAS NOTÍCIAS ATRAVÉS DO TWITTER



MANCHETES DO DIA 











VATICANO 
Cardeal Sandri pede a generosidade material e espiritual dos católicos com a Terra Santa 
Porta-voz do Vaticano: A Igreja é uma das instituições que mais tem atuado contra a pedofilia 
Papa Francisco: A cruz da perseguição está sempre presente no caminho cristão 
Papa Francisco: Levamos para o Céu somente aquilo que partilhamos com os outros 

MUNDO 
“Il Mio Papa”: Lançada na Itália revista semanal exclusivamente dedicada ao Papa Francisco 
Atentado contra a Igreja Católica na Faixa de Gaza 

CONTROVÉRSIA 
Venezuela: Simpatizantes do governo de Nicolás Maduro atacam igreja católica 





Católico em Dia 



Evangelho: 





Santo ou Festa: 



Um pensamento: 

Abraai-vos humildemente com as coisas que mais vos humilhem e anulem, como meios muito precisos para fazer com que triunfe o doce e amvel Corao de Jesus, e reine o vosso no seu.

Santa Margarita Maria 













VATICANO 









ROMA, 03 Mar. 14 (ACI/EWTN Noticias) .- O Cardeal argentino Leonardo Sandri, Prefeito da Congregação para as Igrejas Orientais, dirigiu uma carta a todos os bispos do mundo em vista da coleta a favor da Terra Santa, que acontece tradicionalmente na Sexta-Feira Santa.

Fazendo eco da preocupação expressada pelo Papa Francisco, o Cardeal exortou a expressar durante a Quaresma “uma especial proximidade espiritual e material para com os cristãos que vivem na terra de Jesus e no Oriente Médio”.

Recordou que no dia 21 de novembro, durante a audiência concedida à sessão plenária do dicastério, o Santo Padre disse que "a Síria, o Iraque e o Egito e outras zonas da Terra Santa, às vezes choram", e acrescentou que "o Bispo Roma não descansará enquanto houver homens e mulheres, de qualquer religião, feridos na sua dignidade, privados do necessário para sobreviver, sem futuro, constrangidos à condição de refugiados".

Por isso, considerou que a coleta anual “Pró Terra Santa” deve ser “ainda mais generosa com os pastores e os fiéis de toda a comunidade católica”.

O Cardeal Sandri destacou a importância da iniciativa e de “rezar e ajudar concretamente os irmãos e irmãs e as comunidades eclesiais da Terra”, e antecipou que se proporcionará aos bispos informação sobre os grandes projetos, além das subvenções ordinárias entregues para a missão educativa, caritativa e social da Custódia Franciscana na região. Entre elas, a contribuição à restauração da Basílica da Natividade em Belém.

“Há emergências extraordinárias: os refugiados e deslocados internos que a guerra provoca e outras formas de violência que afetam cada vez mais as portas das comunidades cristãs. Depois os sacerdotes, os religiosos e as religiosas, que junto com voluntários leigos são a referência mais imediata e segura às populações afetadas, já que compartilham o dia a dia da rotina, das necessidades e das esperanças”, precisou.

O Cardeal Sandri sustentou que em sua mensagem para a Quaresma de 2014, o Santo Padre pediu que "o Espírito Santo sustente estes nossos propósitos e reforce em nós a atenção e solicitude pela miséria humana, para nos tornarmos misericordiosos e agentes de misericórdia".

Com o objetivo de ofertar a todos os cristãos meios concretos de enviar ajuda material e espiritual aos cristão nos santos lugares, a Fundação Franciscana na Terra Santa lançou uma campanha de venda de produtos originais dos lugares santos para levantar fundos destinados a ajudar os cristãos nas suas mais variadas necessidades e assim manter a população cristã dos lugares santos.

A campanha dos Franciscanos envolve a venda de pingentes de ouro, colocados individualmente sobre o lugar do nascimento de Jesus na gruta da Natividade e a comemoração dos nomes de doadores no livro comemorativo e na Sala Comemorativa da Basílica da Natividade, na compra de uma placa de ouro de 18 quilates que será posta na Sala onde diariamente os franciscanos rezam por aquelas pessoas que generosamente ajudaram a causa da fundação franciscana na Terra Santa, pelas suas intenções, parentes e amigos.

Para o Padre Peter Vasko, “a participação de todos os cristãos, especialmente aqueles do Brasil, o país com a maior população católica do mundo, é extremamente importante e valiosa´”.

“Desde já eu digo a todos os irmãos cristãos brasileiros: ´muito obrigado´. Com a compra destes produtos, você estará dando esperança os cristãos aqui na Terra Santa”, concluiu o Pe. Vasko.

Para ajudar os franciscanos e os cristãos na terra santa, visite o site: www.holylandwall.org

O pingente da natividade pode ser adquirido em:

Para ter seu nome em uma placa de ouro na Basílica da Natividade visite: http://www.holylandwall.org/#!por-la-sala-conmemorativa/csi8

Para inscrever seu nome do livro comemorativo, visite:

“Terra Santa espera nossas obras de misericórdia com o fim de seguir proclamando o amor de Deus, que escolheu a humanidade como a sua família. Desta maneira, vamos preparar e acompanhar você da melhor maneira para a peregrinação tão esperada do papa Francisco na Terra de Jesus”, concluiu o Pe. Vasko.

voltar ao início | comentar a notícia | arquivo


VATICANO, 04 Mar. 14 (ACI/Europa Press) .- O porta-voz do Vaticano, Pe. Federico Lombardi, defendeu nesta sexta-feira que "a Igreja tem feito muito mais que praticamente todas as outras instituições do mundo" para a prevenção e reconhecimento de casos de pederastia.

Em uma entrevista à Catalunya Ràdio recolhida pela agência Europa Press, o Pe. Lombardi respondeu à acusação da comissão pelos direitos das crianças das Nações Unidas de que a Igreja Católica encobre ou tolera responsáveis por abusos entre membros do clero.

Lombardi destacou que a reflexão sobre a família será um dos eixos do pontificado do Papa Francisco e que, no marco do Sínodo a ser celebrado em outubro, e onde se falará mais sobre como manter a unidade do matrimônio e não de aceitar o divórcio, muito menos a pedofilia em qualquer âmbito da Igreja Católica.

Perguntado sobre o tema da posição da Igreja em relação à homossexualidade, o Pe. Lombardi assinalou: "Eu acredito que há muitas outras coisas mais fundamentais para a família e que são o sentido do amor entre o homem e a mulher hoje".

"Há muitas coisas que são mais fundamentais e têm mais relação com a vida da grande parte da humanidade", ressaltou o porta-voz vaticano.

voltar ao início | comentar a notícia | arquivo


VATICANO, 04 Mar. 14 (ACI) .- Na homilia de hoje em sua Missa matutina na Capela da Casa da Santa Marta, o Papa Francisco refletiu hoje sobre os cristãos perseguidos em todo mundo e martirizados por ódio à fé, e assegurou que “a cruz está sempre no caminho cristão”.

Comentando a passagem do Evangelho de hoje, em que Pedro diz a Jesus: 'Eis que nós deixamos tudo e te seguimos', o Papa enfatizou a resposta de Jesus: "Eu garanto a vocês que quem tiver deixado casa, irmãos, irmãs, mãe, pai, filhos e campos, por causa de mim receberá cem vezes mais agora, durante esta vida", mas acrescentou "junto com perseguições".

Segundo a informação difundida pela Radio Vaticano, o Santo Padre comentou: "Como se (Jesus) quisesse dizer: Sim, vocês deixaram tudo e receberão aqui, na terra, muitas coisas, com perseguições. Como uma salada temperada com o óleo da perseguição, sempre! Este é o ganho do cristão e este é o caminho para quem deseja seguir Jesus, porque é o caminho criado por Ele. Ele foi perseguido! É o caminho do abaixamento, aquele caminho que Paulo disse aos Filipenses: Ele se abaixou. Se fez homem e se humilhou até a morte, morte de cruz'. Esta é a tonalidade da vida cristã".

Nas Bem-Aventuranças Jesus diz: "Felizes vocês, se forem insultados e perseguidos por causa de mim". Os discípulos, logo depois da vinda do Espírito Santo, começaram a pregar o Evangelho e tiveram início as perseguições. Pedro foi preso, Estevão foi morto e ainda hoje morrem muitos outros discípulos. "A cruz sempre está no caminho cristão. Teremos muitos irmãos, irmãs, mães e pais na Igreja na comunidade cristã, mas teremos também perseguições", frisou ainda o Papa.

“O mundo não tolera a divindade de Cristo. Não tolera o anúncio do Evangelho. Não tolera as Bem-Aventuranças. Eis a perseguição, com palavras, calúnias, com as coisas que diziam dos cristãos nos primeiros séculos, as difamações, o cárcere. Nós esquecemos facilmente. Pensemos nos cristãos, sessenta anos atrás, nos campos, nas prisões nazistas e comunistas. Eram muitos! Hoje temos mais cultura e estas coisas não existem? Existem! Hoje, existem muito mais mártires do que nos primeiros tempos da Igreja."

"Muitos irmãos e irmãs que testemunham Jesus são perseguidos. São cristãos que não podem nem ter a Bíblia consigo", remarcou.

"São condenados porque possuem uma Bíblia. Não podem fazer o sinal da cruz. Este é o caminho de Jesus, mas é um caminho de alegria, porque o Senhor nunca nos prova além daquilo que podemos suportar”.

“A vida cristã não é um obter vantagem comercial, não é uma carreira: é simplesmente seguir Jesus! Mas quando seguimos Jesus acontece isso. Pensemos se temos dentro de nós o desejo de ser corajosos no testemunho de Jesus. Pensemos nos irmãos e irmãs que hoje não podem rezar juntos, porque são perseguidos; não podem ter a Bíblia porque são perseguidos."

O Papa convidou a pensar nos irmãos proibidos de irem à missa: "Muitas vezes eles se reúnem em segredo com um sacerdote e fazem de conta que estão tomando um chá e ali celebram a missa. Isso acontece hoje", disse ainda Francisco.

O Santo Padre exortou a pensar se estamos dispostos a carregar a cruz como Jesus, como fazem muitos irmãos e irmãs que hoje são humilhados e perseguidos.

voltar ao início | comentar a notícia | arquivo


VATICANO, 03 Mar. 14 (ACI/EWTN Noticias) .- Nas suas palavras antes da oração do Ângelus, na Praça de São Pedro, o Papa Francisco exortou os fiéis a não colocarmos a nossa segurança nos bens deste mundo e acumular riquezas, pois “levamos para o céu somente aquilo que partilhamos com os outros”.

O Santo Padre assinalou que na Liturgia de hoje “encontramos uma das verdades mais reconfortantes: a Providência Divina. O profeta Isaías a apresenta com a imagem do amor materno cheio de ternura”.

“E diz assim: ‘Acaso pode a mulher esquecer-se do filho pequeno, a ponto de não ter pena do fruto de seu ventre? Se ela se esquecer, eu, porém, não me esquecerei de ti’. Que belo é isto! Deus não se esquece de nós, de nenhum de nós, né? De nenhum de nós, recorda-nos com nome e sobrenome. Ama-nos e não se esquece. Que belo é pensar nisto”.

Francisco indicou que “este convite à confiança em Deus encontra um paralelo na página do Evangelho de Mateus: ‘Olhai os pássaros dos céus: eles não semeiam, não colhem, nem ajuntam em armazéns. No entanto, vosso Pai que está nos céus os alimenta..… Olhai como crescem os lírios do campo: eles não trabalham nem fiam. Porém, eu vos digo: nem o rei Salomão, em toda a sua glória, jamais se vestiu como um deles’”.

“Mas pensando em tantas pessoas que vivem em condições de precariedade, ou inclusive na miséria que ofende sua dignidade, estas palavras de Jesus poderiam parecer abstratas e ilusórias. Mas na realidade são mais que nunca atuais!”.

O Santo Padre assinalou que “recordam-nos que não se pode servir a dois senhores: Deus e a riqueza. Enquanto cada um buscar acumular para si, jamais haverá justiça. Devemos ouvir bem isso, hein? Enquanto cada um buscar acumular para si, jamais haverá justiça. Se, ao invés, confiando na providência de Deus, buscarmos, juntos, o seu Reino, então não faltará a ninguém o necessário para viver dignamente”.

“Um coração ocupado pela avidez de possuir é um coração vazio de Deus. Por isso Jesus advertiu várias vezes aos ricos, porque neles é forte o risco de colocar a própria segurança nos bens deste mundo, e a segurança, a segurança definitiva, está em Deus”.

O Papa advertiu que “num coração possuído pelas riquezas, não há muito lugar para a fé: tudo é ocupado pelas riquezas, não há lugar para a fé. Se, ao invés, se dá a Deus o lugar que lhe cabe, isto é, o primeiro, então o seu amor leva a partilhar também as riquezas, a colocá-las a serviço dos projetos de solidariedade e de desenvolvimento, como demonstram tantos exemplos, inclusive recentes, na história da Igreja”.

“E assim, a Providência de Deus passa pelo nosso serviço aos outros, pelo nosso partilhar com os outros. Se cada um de nós não acumula riquezas somente para si, mas as coloca ao serviço dos outros, neste caso a Providência de Deus se faz visível como um gesto de solidariedade”.

Pelo contrário, disse o Papa, se “alguém acumular somente para si, o que lhe acontecerá quando for chamado por Deus? Não poderá levar as riquezas consigo porque -saibam- o sudário não tem bolsos!”.

“É melhor partilhar, porque levamos para o Céu somente aquilo que partilhamos com os outros”.

Francisco disse que “o caminho indicado por Jesus pode parecer pouco realista, em relação à mentalidade comum e aos problemas da crise econômica, mas, pensando bem, conduz-nos à justa escala de valores. Diz Jesus ‘A vida não vale mais do que o alimento, mais do que a roupa?’”

“Para fazer de modo que a ninguém falte o pão, a água, a roupa, a casa, o trabalho, a saúde, é necessário que todos nos reconheçamos filhos do Pai que está nos céus e, portanto, irmãos entre nós, e nos comportemos consequentemente. Foi o que recordei na Mensagem para a Paz de primeiro de janeiro: o caminho para a paz é a fraternidade. Este caminhar juntos, partilhar as coisas juntos”.

O Santo Padre pediu que “à luz da Palavra de Deus deste domingo, invoquemos à Virgem Maria como Mãe da Divina Providência”.

“A ela confiamos nossa existência, o caminho da Igreja e da humanidade. Em particular, invoquemos sua intercessão para que todos nos esforcemos em viver com um estilo simples e sóbrio, com o olhar atento às necessidades dos irmãos mais necessitados”, concluiu.

voltar ao início | comentar a notícia | arquivo


MUNDO 









ROMA, 04 Mar. 14 (ACI/EWTN Noticias) .- No próximo 5 de março, dia no qual a Igreja inicia o tempo da Quaresma com a quarta-feira de Cinzas, o grupo editorial italiano Mondadori lançará uma revista semanal dedicada exclusivamente ao Papa Francisco, que levará o nome de
“Il Mio Papa” (O Meu Papa), e que em sua primeira edição imprimirá três milhões de cópias.

O editor da publicação, Aldo Vitali, assinala que “a ideia de uma revista desenhada para informar e partilhar as palavras e ações do Papa Francisco veio de observar como sua eleição estimulou um renovado interesse nos assuntos éticos, religiosos e morais”.

“De fato – assinala – o Papa atual é uma figura que, graças a sua empatia assim como sua influência e a simplicidade de sua mensagem, ganhou a simpatia do mundo todo, de fiéis e não crentes”.

A revista mostrará semanalmente o serviço do Papa Francisco: suas reuniões, discursos, atividades e audiências, em particular o Ângelus dominical e as audiências gerais das quartas-feiras.

Na publicação também haverá lugar para que os leitores enviem cartas, poemas ou outras contribuições para que sejam apresentados na revista.

Um poster duplo do Santo Padre estará incluído na revista, além de uma coluna com os Santos da Semana, uma lista de programas religiosos na televisão e as charges e cartoons dedicados ao Papa em todo mundo pela internet.

O primeiro número de ‘Il Mio Papa’ será especial porque celebrará o primeiro aniversário do pontificado de Francisco, e terá um DVD especial que estará disponível na seguinte edição da revista.

A revista é lançada no mercado a um preço de 0,50 euros.

Breve, informa Mondadori, a publicação terá um site (www.miopapa.it), um fanpage no Facebook e uma conta no Twitter, para que ela possa ser acompanhada por leitores do mundo todo.

voltar ao início | comentar a notícia | arquivo


ROMA, 03 Mar. 14 (ACI) .- Na noite entre quarta e quinta-feira, 26 e 27 de fevereiro, desconhecidos explodiram uma bomba a mão no pátio da igreja católica (de rito latino) de Gaza, no bairro de Zeiun, ao sul da cidade. A explosão, em plena noite, não causou danos a pessoas ou coisas. Nos muros que rodeiam a igreja foram escritas frases de ameaças contra os cristãos.

“O fato é grave”, disse à agência vaticana Fides, o bispo William Shomali, vicário patriarcal do Patriarcado Latino de Jerusalém, “mas o pároco e seus colaboradores continuam a trabalhar ao serviço da população de Gaza, sem qualquer medo de intimidação”.

“O governo de Hamas logo condenou este ato. Os representantes de Hamas manifestaram sua solidariedade e a intenção de prender o quanto antes os criminosos. Isto nos tranquilizou”.

Também o Centro palestino dos Direitos do Homem (PCHR) condenou o atentado, pedindo que seja aberto um rigoroso inquérito para identificar e prender os responsáveis.

Não é a primeira vez que na Faixa de Gaza – onde o poder está nas mãos da organização islâmica Hamas desde 2007 – são atingidos objetivos cristãos. Em 2011 uma bomba foi lançada contra o diretor do local Hospital anglicano, que ficou ileso.

voltar ao início | comentar a notícia | arquivo


CONTROVÉRSIA 









CARACAS, 04 Mar. 14 (ACI/EWTN Noticias) .- Habitantes de Colonia Tovar, no estado da Aragua, (Venezuela), denunciaram um ataque realizado esta semana contra a igreja São Martinho de Tours, o principal templo da região por membros do grupo Juventude Bicentenária de La Vitória, auspiciado pelo governo de Nicolás Maduro.

Segundo a informação do Jornal El Unviersal, Jesus Rodríguez, habitante do lugar, indicou que por volta das 2:00 p.m. (hora local) membros da Juventude Bicentenária chegaram ao, enquanto, em meio às celebrações do carnaval, os habitantes se reuniam em outros lugares para os bailes típicos.

Por sua parte, o grupo de simpatizantes de Maduro afirma que o ataque à igreja foi perpetrado por foliões da própria localidade.

Através de sua conta na rede social Twitter, o Pe. José Palmar, espancado dias atrás por agentes da Guarda Nacional Bolivariana, qualificou o ataque como um “sacrilégio”.

“É inaceitável a destruição feita na Igreja de Colonia Tovar. Ao massacre se soma o sacrilégio”, escreveu.

Desde ontem à noite, o governo dispôs de 100 policiais e 10 membros da Guarda Nacional na localidade.

Um dia antes, no sábado 1 de março, em Colônia Tovar houve uma manifestação pacífica, criticando a insegurança e desestabilização que vive o país.

Na marcha participaram idosos, crianças e mulheres grávidas.

As autoridades responderam com violenta repressão, disparando bombas lacrimogêneas, sem dar tempo a que os manifestantes colocassem a salvo as mulheres grávidas e os mais vulneráveis.


voltar ao início | comentar a notícia | arquivo






PARA CANCELAR A ASSINATURA O INSCREVER UM AMIGO, PREENCHA O FORMULÁRIO AQUI
COMENTÁRIOS OU PERGUNTAS A acidigital@acidigital.com


Nenhum comentário:

Apoio




_

Immaculata mea

In sobole Evam ad Mariam Virginem Matrem elegit Deus Filium suum. Gratia plena, optimi est a primo instanti suae conceptionis, redemptionis, ab omni originalis culpae labe praeservata ab omni peccato personali toto vita manebat.

Cubra-me

'A Lógica da Criação'


Jesus, oculto na Hóstia, é tudo para mim




“Se não fosse a Santa Comunhão, eu estaria caindo continuamente. A única coisa que me sustenta é a Santa Comunhão. Dela tiro forças, nela está o meu vigor. Tenho medo da vida, nos dias em que não recebo a Santa Comunhão. Tenho medo de mim mesma. Jesus, oculto na Hóstia, é tudo para mim. Do Sacrário tiro força, vigor, coragem e luz. Aí busco alívio nos momentos de aflição. Eu não saberia dar glória a Deus, se não tivesse a Eucaristia no meu coração.”



(Diário de Santa Faustina, n. 1037)

Ave-Maria

A Paixão de Cristo