Banner

Jesus Início

Início


Visitas



addthis

Addrhis

Canal de Videos

Rio de Janeiro

Santa Sé






segunda-feira, 26 de maio de 2014

Julio Severo: “Os russos de Los Angeles “fundaram” o pentecostalismo?” plus 2 more






Julio Severo: “Os russos de Los Angeles “fundaram” o pentecostalismo?” plus 2 more


  • Os russos de Los Angeles “fundaram” o pentecostalismo?

  • Governo oficializa aborto e paga R$ 443 pelo SUS

  • É sobrenatural: A ideologia homossexual nas escolas dos EUA



Os russos de Los Angeles “fundaram” o pentecostalismo?

Posted: 26 May 2014 02:00 AM PDT




Os russos de Los Angeles "fundaram" o pentecostalismo?
Os editores da revista Lebendescobrem a história dos imigrantes Molokans


Dra. Lillian Sokoloff


Comentário de Julio Severo: WND, ou WorldNetDaily, recentemente relatou sobre a fundação do pentecostalismo nos EUA e, com base num relatório de 1918, provavelmente escrito por um escritor não-pentecostal sem conhecimento dos dons sobrenaturais do Espírito Santo, apresenta o argumento de que imigrantes russos podem ter sido os fundadores do pentecostalismo nos EUA. Isso é interessante para mim, pois hoje o Brasil é o país mais pentecostal do mundo. O artigo do WND começa: "O Cristianismo americano tem influenciado, e é influenciado por, uma variedade esplendida de grupos inconformistas, enclaves separatistas e, em alguns casos, autoproclamados profetas e messias… Começamos… com uma reportagem fascinante que descobrimos recentemente, escrita em 1918, sobre um grupo conhecido como 'Saltadores,' ou 'Molokans.' Os 'Saltadores' eram uma ramificação dos Molokans. Impelidos pelo que dizia uma criança que profetizava, eles partiram de sua pátria, a Rússia, aos milhares e seguiram em direção à 'Cidade dos Anjos,' Los Angeles, Califórnia." As mensagens proféticas de uma criança profeta os salvou da iminente 1ª Guerra Mundial e da Revolução Comunista um século atrás. Agora, leia o relatório de 1918:


O primeiro grupo de Molokans, que chegou a Los Angeles em 1905 [alguns datam isso como 1904, Ed.], se estabeleceu nas redondezas do Instituto Belém na Rua Vignes. Quando outros chegaram, alguns compraram casas nas Ruas Clarence e Utah. Então o número de colonos cresceu no bairro entre a Avenida Boyle no leste e o Rio Los Angeles no oeste, e entre a Rua Aliso no norte e a Rua Sétima no sul. Recentemente uma nova colônia surgiu ao longo do que é conhecido como Planalto de Salt Lake a vários quarteirões a leste da colônia maior. Nessa rua estão localizados muitos dos lares de certa forma melhores. Num recôncavo ao sul da Avenida Stephenson e a leste da Rua Mott, há um grupo de cerca de 60 casas ocupadas apenas por russos.


Para entender os russos em Los Angeles, é necessário considerar brevemente seu histórico. Durante o reinado de Alexis Michaelovitch, o segundo governante da família Romanoff – 1645-1676 – Nicon, naquela época patriarca da Igreja Católica Grega Russa, investigou e decidiu mudar a liturgia. Embora o governo da época aceitasse essas mudanças e formalmente adotasse seu tipo de culto como religião estatal, havia muitos dissidentes que não queriam se submeter às ordens do governo em assuntos religiosos. Os dissidentes eram continuamente perseguidos ou exilados e estavam muito insatisfeitos com as instituições burocráticas, com a hipocrisia dos padres e com as formas deles cultuarem. O número de pessoas que buscava outros tipos de religião que satisfaria seus profundos sentimentos religiosos não parava de crescer.





Molokans da Rússia




Proeminentes entre os grupos dissidentes religiosos que se desenvolveram estavam os Dukhobors, os Molokans e os Subotniks. Os Subotniks eram russos que haviam adotado a fé judaica. No entanto, esse resultado não foi por meio de influência exercida pelos judeus, pois os judeus não tinham nenhum tipo de trabalho missionário para converter pessoas ao judaísmo. Além disso, não havia nenhum judeu vivendo nessa parte da Rússia onde esses grupos dissidentes se desenvolveram. Os Subotniks adotaram o judaísmo depois de terem lido o Antigo Testamento.


A essência da religião Dukhobor é uma crença na divindade de Cristo [isso é contrário a fontes modernas, Ed.] e a irmandade do homem. Os Dukhobors não acreditam em nenhuma representação terrena de Deus; eles não têm líderes de igreja nem estátuas nem imagens. Eles não têm cerimônias eclesiásticas nem acreditam nos santos como fazem os católicos gregos. Eles se opõem à guerra e portanto ao serviço militar. Sua religião os proíbe de se entregarem ao uso de bebidas alcoólicas e ao fumo.


O nome "Molokan," derivado da palavra "moloko," que significa leite, foi pela primeira vez aplicado a eles em 1765 por um grupo religioso dissidente no governo de Tambov. O nome foi aplicado pelo fato de que os Molokans bebem leite todos os dias da semana, enquanto os católicos gregos se abstêm dele nas quartas e quintas-feiras, que são dias de jejum para eles.


Os Molokans não tinham nenhuma forma clara de religião por muitos anos. Durante os últimos anos do século XVII, dois homens muito cultos, Skovoroda e Tveritinoff, haviam sido influenciados pelos ensinos de Lutero, Calvino e outros reformadores europeus. Esses homens então pregaram a Reforma entre os dissidentes da Igreja Católica Grega Russa. Eles assim prepararam o caminho para outros reformadores. Por cerca de 100 anos, os Molokans não foram incomodados pelas autoridades governamentais.


Contudo, não muito tempo depois o governo russo começou de novo a oprimir os dissidentes de vários modos. Os elevados impostos aplicados às suas terras demonstraram ser uma opressão maior do que eles poderiam aguentar. Eles foram de novo compelidos a servir no exército. Alguns dos mais cultos entre eles tiveram predições de tempos desastrosos por causa de guerras inevitáveis em que a Rússia estava para se engajar. Eles pois começaram a considerar a possibilidade de emigrar da Rússia.


Sabe-se bem que dos imigrantes da Rússia até o final do século passado, o maior número era de judeus e uma percentagem menor eram poloneses, mas quase nenhum russo étnico. Nos últimos dois anos do século XIX, muitos Dukhobors deixaram a região do Cáucaso e foram para o oeste do Canadá, onde vários milhares vivem hoje. [Resta uma grande comunidade na região de Grand Junction, Ed.]


O início da Guerra Russo-Japonesa inaugurou uma nova era de perseguições para os dissidentes no sudeste da Rússia. Eles foram obrigados a ir para a guerra. Embora muitos tivessem condições de ocupar elevadas posições militares, eles foram impedidos de ocupá-las e foram colocados para fazer os trabalhos mais servis. Eles também sofreram todos os tipos de insultos por instigação de autoridades governamentais. Eles não tinham permissão de ir para lugar nenhum sem passaportes — e passaportes não lhes eram concedidos. Portanto, não é de surpreender que essas pessoas tenham ficado desgostosas com as condições que estavam experimentando e ansiavam deixar a Rússia.


De todos os russos em Los Angeles, cerca de 75 por cento de todos os homens trabalhadores estavam empregados em madeireiras até o início da guerra [1ª Guerra Mundial]. Então a maioria entrou na indústria de construção naval. Cerca de 10 por cento possuem e dirigem suas próprias equipes e trabalham de dia em produtos de transporte e outros produtos. Cerca de 2 por cento estão engajados como donos de pequenas mercearias e açougues, cujos clientes são seu próprio povo. O restante — cerca de 13 por cento — estão empregados em vários ramos, tais como metalurgia, mecânicas, aplainadores, enlatação de frutas. As últimas ocupações são seguidas pelos homens mais jovens da comunidade, os quais tiveram alguma escolarização, mas deixaram a escola logo que a lei lhes permitiu fazer isso.


É normal entre os russos as mulheres casadas trabalharem. As mulheres jovens são empregadas principalmente em lavanderias. As meninas que foram à escola e aprenderam a língua inglesa trabalham em fábricas de biscoitos na vizinhança. Um número pequeno de meninas trabalha numa fábrica de doces da Rua Utah. As mulheres mais velhas trabalham em enlatação de frutas ou fazem trabalho doméstico de dia. Embora muitas das meninas que frequentaram a escola durante vários anos poderiam fazer outros tipos de trabalho e talvez ganhar mais dinheiro, os pais, em suas preocupações, preferem que elas trabalhem perto de casa e entre seu próprio povo. Trabalho de escritório poderia fazer com que as meninas se tornassem "americanizadas" rapidamente, e os mais velhos têm objeções a isso.


A religião dos Molokans surgiu da religião dos Dukhobors. Ambos são grupos dissidentes que se opõem à guerra. Eles acreditam que não existe representantes terrenos de Deus. Os Molokans não têm ministros ou dignitários de espécie alguma. Eles não têm regras ou tradições quanto a quem serão seus conselheiros religiosos. Seus pastores não são ordenados, não recebem remuneração nem dependem da aprovação da comunidade. Sua autoridade prevalece apenas nas reuniões de oração, cerimônias de casamento e cultos funerais. Pode-se dizer que a religião Molokan tem pouca forma clara. Não tem sistema. Muitas de suas fases são muito cruas. É incoerente e discrepante. Como os judeus ortodoxos, os Molokans se abstêm de comer carne de porco e matam o boi de um modo específico.





Igreja Molokan em Los Angeles




Atualmente, há sete igrejas na colônia russa. Essas igrejas são salas grandes em que se realizam cultos. Durante os feriados, alguns lares particulares também são usados para cultos religiosos. Os Prigunis conduzem suas orações de uma maneira especial. Todos oram alto por algum tempo, até que um deles sinta que o "espírito" entrou nele, quando de um modo quase como transe ele chega ao centro do lugar de adoração. A oração continua num elevado tom de voz de canções até que uma a uma, todas as pessoas sintam o "espírito" dentro deles.


Há ainda muitos grupos nos EUA e Canadá que são descendentes diretos dos dissidentes Molokans, Saltadores e Doukhabors. A influência deles bem pode ter sido enorme no que é hoje geralmente mencionado como pentecostalismo.


Os Molokans, principalmente os Saltadores, tinham um longo histórico de experiências com as modernas manifestações dos dons apostólicos, inclusive curas, línguas, etc. Quando eles se mudaram para Los Angeles, na Califórnia, a maioria se estabeleceu perto da madeireira que empregava muitos homens, uma madeireira situada bem perto da Rua Azusa. Um ano depois que os Saltadores chegaram, o "Reavivamento da Rua Azusa," considerado por muitos como o lugar do nascimento do pentecostalismo americano, irrompeu no cenário das igrejas dos EUA. O "reavivamento" continuou com três cultos por dia durante aproximadamente três anos.


É fato confirmado que muitos Saltadores russos se tornaram parte do Reavivamento da Rua Azusa, mas o que permanece um mistério é se eles se tornaram adeptos desse movimento ou foram seus fundadores.


Traduzido por Julio Severo do artigo do WND: Did Russians in L.A. "found" Pentecostalism?


Fonte: www.juliosevero.com


Leitura recomendada:


Em poucos anos, haverá mais de 1 bilhão de pentecostais no mundo


Pentecostais do Brasil: Crescimento da igreja em risco por causa do socialismo


Reposta de Julio Severo a um teólogo presbiteriano que critica o crescimento pentecostal no Brasil


Para seguir Julio Severo no Facebook e Twitter: http://twitter.com/juliosevero Facebook: http://www.facebook.com/pages/Blog-Julio-Severo/185623904807430







Governo oficializa aborto e paga R$ 443 pelo SUS

Posted: 25 May 2014 06:04 PM PDT




Governo oficializa aborto e paga R$ 443 pelo SUS


Leandro Mazzini


A Portaria 415 do Ministério da Saúde, publicada nesta quinta-feira (22), oficializou o aborto nos hospitais do Brasil, e o Sistema Único de Saúde pagará R$ 443 pelo procedimento.



O Diário Oficial da União (A íntegra aqui ) trouxe publicado o eufemismo 'interrupção terapêutica do parto'.




A lei sancionada pela presidente Dilma Rousseff visa autorizar o aborto para casos de estupro e anencéfalos, mas deixa brechas para a prática geral: a mulher não é obrigada a apresentar Boletim de Ocorrência policial ao médico que a atender, e uma única vírgula no texto da portaria abre interpretações jurídicas que podem causar a liberação do aborto sob qualquer motivação.


Sem B.O., a mulher interessada em abortar pode alegar que foi estuprada, mesmo que tenha semanas de gestação e tenha decidido não ter o bebê. A lei não é clara sobre se o procedimento deve ser imediato logo após o estupro.


E o texto da Portaria pode abrir brecha para o aborto em casos gerais: "consiste em procedimento direcionado a mulheres em que a interrupção da gestação é prevista em lei, por ser decorrente de estupro, por acarretar risco de vida para a mulher ou por ser gestação de anencéfalo''.


Em suma, há três motivações. A vírgula abre interpretações como: o 'risco de vida para a mulher' não está necessariamente ligado à causa estupro. A gestante pode alegar qualquer risco à sua saúde, mesmo que não tenha sido estuprada.


O projeto surgiu anos atrás, apresentado pela então deputada federal Iara Bernardi (PT-SP), e só ano passado tornou-se o PLC 3/13, aprovado e sancionado.


Fonte: Coluna Esplanada


Divulgação: www.juliosevero.com


Leitura recomendada:


Luto no Brasil: Dilma sanciona lei de aborto


Dilma precisa de profetas


O cachê é mais importante do que a vida de um bebê?


A iminente legalização do aborto no Brasil: o papa falou… que não era necessário falar!


Jogos de aborto entre Brasil e ONU


Mulher brasileira não tem nenhuma proteção do Estado e os estupradores têm a regalia da impunidade


Para seguir Julio Severo no Facebook e Twitter: http://twitter.com/juliosevero Facebook: http://www.facebook.com/pages/Blog-Julio-Severo/185623904807430







É sobrenatural: A ideologia homossexual nas escolas dos EUA

Posted: 25 May 2014 07:15 AM PDT




É sobrenatural: A ideologia homossexual nas escolas dos EUA



Programa de Sid Roth, que é exibido semanalmente na TV WND, entrevista Michael Brown, que denuncia o que o movimento homossexual está fazendo com as crianças nas escolas dos EUA:




Link do vídeo: http://youtu.be/Qo8Uy7917EQ


Fonte: www.juliosevero.com


Leitura recomendada:


Crianças são usadas para propaganda homossexual em Santa Catarina


Lavagem cerebral infantil: Escolas de São Paulo começam "diversidade sexual" entre meninos e meninas


Crianças: inocentes peões da tirania ideológica


Loucura da diversidade sexual: pré-escola da Suécia proíbe que crianças sejam tratadas como meninos e meninas


TV Record não cobra ação das autoridades contra cartilha gay em escola


Conferência Nacional LGBT inicia exigindo kit gay para crianças nas escolas

Escolas públicas: a nova zona de prostituição?


Para seguir Julio Severo no Facebook e Twitter: http://twitter.com/juliosevero Facebook: http://www.facebook.com/pages/Blog-Julio-Severo/185623904807430








You are subscribed to email updates from Julio Severo

To stop receiving these emails, you may unsubscribe now.

Email delivery powered by Google


Google Inc., 20 West Kinzie, Chicago IL USA 60610

Nenhum comentário:

Apoio




_

Immaculata mea

In sobole Evam ad Mariam Virginem Matrem elegit Deus Filium suum. Gratia plena, optimi est a primo instanti suae conceptionis, redemptionis, ab omni originalis culpae labe praeservata ab omni peccato personali toto vita manebat.

Cubra-me

'A Lógica da Criação'


Jesus, oculto na Hóstia, é tudo para mim




“Se não fosse a Santa Comunhão, eu estaria caindo continuamente. A única coisa que me sustenta é a Santa Comunhão. Dela tiro forças, nela está o meu vigor. Tenho medo da vida, nos dias em que não recebo a Santa Comunhão. Tenho medo de mim mesma. Jesus, oculto na Hóstia, é tudo para mim. Do Sacrário tiro força, vigor, coragem e luz. Aí busco alívio nos momentos de aflição. Eu não saberia dar glória a Deus, se não tivesse a Eucaristia no meu coração.”



(Diário de Santa Faustina, n. 1037)

Ave-Maria

A Paixão de Cristo