Banner

Jesus Início

Início


Visitas



addthis

Addrhis

Canal de Videos

Maria



Rio de Janeiro

Santa Sé






sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Evento lança Instituto para a Juventude

Documento sin título
NOTÍCIAS DIÁRIAS · www.acidigital.com
31 de janeiro de 2014
Evento lança Instituto para a Juventude
CACHOEIRA PAULISTA, 31 Jan. 14 (ACI) .- Alegria, legado, solidariedade. A alegria da Jornada Mundial da Juventude será revivida. A continuidade da JMJ ganhará o Instituto para Juventude. A solidariedade vai ajudar a quitar os últimos investimentos. Tudo isto no grande evento ‘Doe de Coração’, que acontecerá em Cachoeira Paulista, São Paulo, na sede da comunidade Canção Nova, durante os dias 7, 8 e 9 de março deste ano.
NOTÍCIA COMPLETA
SUGERIMOS HOJE:
FAÇA PARTE DE NOSSA REDE NO FACEBOOK
https://www.facebook.com/acidigitalport
ASSINAR · RSS · MP3/PODCAST · RECURSOS · PUBLICIDADE
MANCHETES DO DIA



VATICANO
BRASIL
MUNDO
CONTROVÉRSIA
PERFIS
Católico em Dia
Evangelho:
Um pensamento:
Quando a gente jovem os pensamentos se tornam amor, com a idade o amor se torna pensamentos.
Albert Einstein
VATICANO


VATICANO, 31 Jan. 14 (ACI/EWTN Noticias) .- O Papa Francisco recebeu ontem os prelados da Conferência Episcopal da Áustria ao final de sua visita “ad Limina” e entregou aos bispos o texto do discurso a eles destinado.

No texto, o Santo Padre fala da simpatia da Igreja na Áustria pelo Sucessor de Pedro que se manifestou concretamente durante a visita do Papa Bento XVI ao santuário de Mariazell em 2007, apesar de que os anos seguintes representaram uma fase difícil para a Igreja nesse país que se refletiu entre outras coisas na queda do número de católicos. Mas essa tendência, escreve, “não pode nos encontrar inertes, mas alentar nossos esforços para a nova evangelização, sempre necessária”.

O Papa Francisco afirma que ser Igreja “não significa gerir, mas sair, ser missionários, levar aos homens a luz da fé e a alegria do Evangelho. Não esqueçamos que o impulso do nosso compromisso de cristãos no mundo não é a ideia de uma filantropia, de um humanismo vago, mas um dom de Deus, isto é, a oferenda da filiação divina que recebemos no Batismo. E este dom, ao mesmo tempo, é uma tarefa. Os filhos de Deus não se escondem, pelo contrário, contribuem ao mundo com a alegria de sua filiação divina”.

“A Igreja -prossegue o Pontífice citando o Concílio Vaticano II- compreende em seu próprio seio a pecadores", quer dizer, “a Santa Igreja sempre tem necessidade de purificação. E isso significa que sempre devemos estar comprometidos com nossa purificação, no Sacramento da Reconciliação".

"Como pastores da Igreja, queremos ajudar os fiéis, com ternura e compreensão a redescobrir este admirável sacramento e experimentar neste dom o amor do Bom Pastor”.

“Peço-lhes, portanto, que não se cansem de convidar os homens ao encontro com Cristo no Sacramento da Penitência e da Reconciliação”.

“Uma área importante no nosso trabalho de pastores -assinala- é a família que se encontra no coração da Igreja evangelizadora. A base sobre a qual se pode construir uma vida familiar harmoniosa é, sobretudo, a fidelidade matrimonial. Por desgraça, em nosso tempo vemos que a família e o matrimônio nos países do mundo ocidental sofrem uma profunda crise interna”.

“A globalização e o individualismo pós-moderno promovem um estilo de vida que faz que seja muito mais difícil o desenvolvimento e a estabilidade dos laços entre as pessoas e não é favorável à promoção de uma cultura da família. Aqui se abre um novo campo missionário da Igreja, por exemplo, em grupos de famílias onde se cria espaço para as relações interpessoais e com Deus, no qual possa crescer uma autêntica comunidade que acolhe a todos por igual e não se fecha em grupos de elite”.

“A preocupação da Igreja pela família começa com uma boa preparação e um acompanhamento adequado dos esposos assim como com a exposição fiel e clara da doutrina da Igreja sobre o matrimônio e a família. O matrimônio como sacramento é um dom de Deus e ao mesmo tempo um compromisso”.

Da família, o Papa passa à paróquia, ao “grande campo que o Senhor nos confiou para que seja frutífero com o trabalho pastoral. Os sacerdotes e párocos devem ser cada vez mais conscientes de que sua tarefa de governar é um serviço profundamente espiritual. O pároco dirige sempre a comunidade paroquial, contando com a ajuda e ao mesmo tempo com a valiosa contribuição dos distintos colegas de trabalho e todos os fiéis leigos”.

“Há muitas pessoas que estão em busca, embora não o admitam. Todo mundo está chamado; cada um é enviado. E nunca se disse que o lugar do chamado seja somente o centro paroquial... o chamado de Deus pode chegar em qualquer lugar da vida cotidiana”.

“Falar de Deus -finaliza- levar aos homens a mensagem de amor de Deus e da salvação em Jesus Cristo, para todos os homens, é o dever de todo batizado. E essa tarefa abrange não só o falar com palavras, mas com todo o atuar e o fazer. Justamente no nosso tempo, quando parece que nos convertemos em ‘pequeno rebanho’ estamos chamados como discípulos do Senhor, a viver como uma comunidade que é o sal da terra e a luz do mundo”.

VATICANO, 30 Jan. 14 (ACI/EWTN Noticias) .- Ao ser comunicado sobre a trágica notícia do incêndio em L’Isle-Verte, a 450 quilômetros de Montreal (Canadá), que destruiu um asilo, causando numerosas vítimas, o Papa Francisco expressou suas condolências e solidariedade pelos falecidos.

Em uma mensagem enviada pelo Secretário de Estado, Dom Pietro Parolin, ao Arcebispo de Rimouski, Dom Pierre-André Fournier, lê-se que “sua Santidade Francisco se une em oração à dor das famílias atingidas pelo luto e confia as vítimas à misericórdia de Deus, para que sejam acolhidas em Sua luz”.

Conforme assinala a Rádio Vaticano, o texto indica que “o Papa expressa sua proximidade espiritual aos feridos e a seus familiares, assim como aos bombeiros e à equipe de resgate, por sua grande solidariedade, apesar das enormes dificuldades devidas às condições meteorológicas”.

Dos 52 residentes que estavam no asilo, somente 20 conseguiram escapar com vida e o local onde aconteceu o incêndio registra difíceis condições meteorológicas, chegando a temperaturas de 28 graus abaixo de zero.

A mensagem do Santo Padre assegura sua especial bênção apostólica a todas as pessoas que sofrem por esta tragédia, ocorrida no dia 22 de janeiro.

ROMA, 30 Jan. 14 (ACI) .- O Setor de Correspondência do Papa Francisco recebe toda semana milhares de mensagens que chegam em cerca de trinta malotes repletos de cartas, pacotes, desenhos e objetos, procedentes de todas as partes do mundo e dirigidos ao Santo Padre.

O programa semanal “Vatican Magazine”, do Centro Televisivo Vaticano, recolhe esta semana uma entrevista com Mons. Giuliano Gallorini, Irmã Anna e outras duas senhoras, os componentes de uma pequena equipe que administram as correspondências escritas ao Papa.

“Os pedidos são, sobretudo, de conforto e oração. Muitos dizem respeito – certamente também devido ao momento em que vivemos – às dificuldades, sobretudo às doenças. Pedem orações para as crianças, descrevem também situações de dificuldades econômicas. Procuramos, então, fazer com que sintam a proximidade do Papa, que acolhe os sofrimentos deles, as dificuldades, que se faz próximo na oração”, explicam.

O primeiro passo que a equipe realiza para administrar o correio é a seleção por idiomas, depois as cartas são abertas e lidas, já que o Papa Francisco por si só não poderia fazer frente a tal número de correspondência.

Anteriormente, o Papa deu umas diretrizes para o processo de seleção, no qual se classificam as cartas que supõem uma simples saudação daquelas que procuram nele um conselho espiritual.
As mensagens que chegam ao escritório do Papa “são os casos mais delicados, como os que se referem a problemas de consciência”, referem.

Nesses casos a equipe de correios passa as mensagens aos secretários do Pontífice a fim de que o Papa tome conhecimento diretamente. “Sem dúvida, ele as lê, as assina e nos orienta sobre como devemos responder”, afirmam.

No que diz respeito ao resto das cartas e na medida do possível, a equipe dirige os pedidos aos escritórios correspondentes. Por exemplo, no caso de problemas econômicos, transpassam-se às Cáritas diocesanas, para que possam verificar e agir imediatamente em auxílio da pessoa em questão.

Trata-se de um trabalho que requer sensibilidade e intelecto, como assinala Mons. Gallorini “Ler essas cartas mais com o coração do que com a mente, partilhar o sofrimento e buscar encontrar as palavras certas para expressar aquilo que o Papa verdadeiramente quer que se expresse: a proximidade, a partilha. É algo realmente no estilo da partilha. Afinal de contas, o Papa sempre diz isso, que o pastor deve viver com o rebanho, com as ovelhas. Sentir e viver a experiência com elas”.

Protegendo em todo momento os dados pessoais dos remetentes, os responsáveis assinalam também que chegam histórias de todo tipo ao Vaticano. Desde aquele que se encontra em uma encruzilhada pessoal na sua vida e que pede conselho, até um poema, ou um cachecol feito à mão.

Cheguem ou não ao escritório do Papa, todas as cartas recebem uma resposta e um agradecimento em nome do Papa Francisco.

VATICANO, 30 Jan. 14 (ACI/EWTN Noticias) .- O Papa Francisco dirigiu uma mensagem às Academias Pontifícias que celebraram nesta terça-feira a sua 18º Sessão Pública com o tema “Oculata Fides. Ler a realidade com os olhos de Cristo”; em seu texto, o Santo Padre recordou que “é nesta ligação entre fé e amor que se compreende a forma de conhecimento próprio da fé, a sua capacidade de iluminar os nossos passos”.

O texto, lido pelo Secretário de Estado, Dom Pietro Parolin, recorda que o tema deste ano remete a uma frase de Santo Tomás de Aquino, citada na encíclica Lumen Fidei e que as Pontifícias Academias debatem a relação entre este documento e a recente exortação apostólica “Evangelii Gaudium”.

“Em ambos os documentos convido a refletir sobre a dimensão 'luminosa' da fé e a ligação entre fé e verdade ... à luz da perspectiva do amor. É nesta ligação entre fé e amor que se compreende a forma de conhecimento próprio da fé, a sua capacidade de iluminar os nossos passos. A compreensão da fé nasce quando recebemos o grande amor de Deus que nos transforma interiormente e nos dá olhos novos para ver a realidade”, expressou o Papa.

Indicou que “daqui se derivam importantes consequências tanto para o atuar dos crentes, como para o método de trabalho dos teólogos: 'A verdade fica hoje reduzida à autenticidade subjetiva do indivíduo, válida só para a vida de cada um. Uma verdade comum nos dá medo, porque a identificamos com a imposição intransigente dos totalitarismos”.

“Entretanto, se é a verdade do amor, se é a verdade que se desvela no encontro pessoal com o Outro e com os outros, então se liberta de sua clausura no âmbito privado para fazer parte do bem comum... Em lugar de nos fazer intolerantes, a segurança da fé nos põe em caminho e faz possível o testemunho e o diálogo com todos”.

“Esta perspectiva, a de uma Igreja toda a caminho e toda missionária é aquela que se desenvolve na Exortação Apostólica sobre o anúncio do Evangelho no mundo atual. O ‘sonho de uma escolha missionária capaz de renovar todas as coisas’ diz respeito a toda a Igreja e a todas as suas partes”, acrescentou.

Nesse sentido, Francisco disse que “também as Academias Pontifícias são chamadas a esta transformação, para que não falte a sua contribuição ao corpo eclesial. Não se trata, porém, de fazer operações exteriores, de ‘fachada’. Trata-se, ao invés disto, também para vocês, de concentrar-se ainda mais ‘no essencial, naquilo que é mais bonito, maior, mais atraente, mas também necessário”.

O Santo Padre conclui sua mensagem com o nome dos homenageados este ano com o Prêmio das Pontifícias Academias aos jovens estudiosos de teologia que oferecem a sua contribuição à promoção de um novo humanismo cristão. Trata-se, nesta ocasião, do reverendo prof. Alessandro Clemenzia por sua obra “Na Trindade como Igreja. Em diálogo com Heribert Mühlen” e a professora Maria Silvia Vaccarezza pela obra “As razões do contingente. A sabedoria prática entre Aristóteles e Santo Tomás de Aquino”.
 

VATICANO, 29 Jan. 14 (ACI) .- O papa Francisco realizou ontem, dia 29/01 a nomeação de Dom Edmilson Amador Caetano (foto, à esquerda), até agora bispo de Barretos (SP), como novo bispo de Guarulhos (SP). O Santo Padre também nomeou para a Arquidiocese de São Salvador da Bahia, a Arquidiocese Primaz do país, o Padre Estevam Santos da Silva Filho, sacerdote da Arquidiocese de Vitória da Conquista – BA. Dom Edmilson é paulista, 53 anos, monge da Ordem Cisterciense (O.Cist). Seu lema episcopal recorda a graça divina que sustenta a missão: “Deus providenciará”. Ele assume a diocese de Guarulhos, a segunda maior do Estado de São Paulo, da qual fora bispo Dom Luiz Gonzaga Bergonzini, ativo defensor da vida e da família no Brasil. A diocese de Guarulhos tem uma população de 879 mil católicos, e para seu governo e trabalho pastoral Dom Edmilson contará com 50 sacerdotes e 105 religiosos. Falando da nomeção do Padre Estevam para a arquidiocese primaz do Brasil, Dom Murilo Krieger, scj., Arcebispo de Salvador escreveu em uma carta aos fiéis: “Tenho a alegria de comunicar que o Santo Padre, o Papa Francisco, nomeou Bispo titular de “Feradi Maggiore” e Auxiliar da Arquidiocese de São Salvador da Bahia o Reverendíssimo Padre Estevam Santos, da Arquidiocese de Vitória da Conquista – BA. Pe. Estevam Santos Silva Filho nasceu em Vitória da Conquista – BA, no dia 10 de abril de 1968. Foi ordenado Presbítero no dia 9 de julho de 1995. Além de ter feito cursos na área da Comunicação, em Bogotá – Colômbia e São Paulo – SP, Pe. Estevam participou de um curso para Capacitação para Diretores Espirituais Inacianos, em Itaici – SP. Foi Pároco de várias Paróquias na Arquidiocese de Vitória da Conquista e ali assessorou diversas pastorais e movimentos. Até o momento, era Pároco da Paróquia Nossa Senhora das Candeias, Diretor Espiritual no Seminário Maior da Arquidiocese de Vitória da Conquista e Ecônomo da Arquidiocese. Em nome da Arquidiocese Primaz do Brasil, saúdo afetuosamente o Pe. Estevam dos Santos Silva Filho: “Bendito o que vem em nome do Senhor!” (Mt 21,9)”.

VATICANO, 31 Jan. 14 (ACI/EWTN Noticias) .- O Papa Francisco recebeu em audiência ontem o Conselho Diretivo da Universidade Católica Notre Dame dos Estados Unidos, que inaugura um centro em Roma. Em seu discurso assinalou que as universidades católicas têm o dever de dar um testemunho inequívoco e indispensável para defender e sustentar a mensagem cristã, sua identidade católica e os ensinamentos da Igreja .

O Santo Padre recordou que em sua recente exortação Evangelii Gaudium reiterou “a dimensão missionária do discipulado cristão que deve ser relevante na vida das pessoas e na tarefa de qualquer instituição eclesial. Este compromisso de ‘discipulado missionário’, teria que perceber-se de forma especial nas universidades católicas que, por sua natureza, estão comprometidas em demonstrar a harmonia entre fé e razão e em evidenciar a importância da mensagem cristã para uma vida plena e autêntica”.

Por isso, explicou o Santo Padre “é essencial um testemunho decidido nas universidades católicas do ensinamento moral da Igreja e a defesa de sua liberdade, precisamente nas instituições formativas da Igreja e através delas, para defender esse ensinamento proclamado com autoridade pelo magistério de seus pastores”.

“Espero que a Universidade Notre Dame continue oferecendo o seu indispensável e inequívoco testemunho a esse aspecto da sua fundamental identidade católica, especialmente diante das tentativas, de onde quer que venham, de diluí-la. E isto é importante: sua identidade, como foi pensada do começo, para defendê-la, preservá-la e avançar nela!”

O Papa recordou logo o fundador da Universidade Notre Dame, o Padre Edward Sorin, que em 1842 fundou este centro de estudos com alguns religiosos da Congregação da Santa Cruz. Disse que a inspiração que o levou a esta iniciativa “continua sendo chave, também no século XXI, para a identidade que a caracteriza e para seu serviço à Igreja e à sociedade norte-americana”.

O Santo Padre indicou também que desde sua fundação, esta Universidade “deu uma notável contribuição à Igreja no seu país, comprometendo-se na educação religiosa dos jovens e no ensinamento de um saber inspirado na confiança na harmonia entre fé e razão para alcançar a verdade e a virtude”.

“Consciente da importância crítica deste apostolado para a nova evangelização, expresso a minha gratidão pelo compromisso que a Universidade Notre Dame mostrou durante os anos para apoiar e fortalecer a educação católica em primária e secundária nos Estados Unidos”.

Para concluir, o Papa pediu aos presentes que “rezem por mim neste ministério que recebi em serviço ao Evangelho e lhes asseguro minhas orações por vocês e por todos que estão associados a vocês na missão educativa da Universidade Notre Dame”.

VATICANO, 31 Jan. 14 (ACI/EWTN Noticias) .- Em sua homilia da missa que presidiu ontem na Casa Santa Marta, o Papa Francisco explicou que, como dizia o Papa Paulo VI, é uma dicotomia absurda amar Cristo sem a Igreja, escutar o Senhor, mas não a Igreja, simplesmente “não se pode”.

Conforme assinala a Rádio Vaticano, a homilia de ontem partiu da figura do rei Davi, que tinha "um sentimento forte de pertença ao povo de Deus". E isso “nos leva a perguntar-nos qual é o nosso sentido de pertença à Igreja, nosso sentir com a Igreja e na Igreja”.

"O cristão não é um batizado que recebe o batismo e, depois, segue adiante pelo seu caminho. O primeiro fruto do batismo é fazer-se pertencente à Igreja, ao povo de Deus. Não se entende um cristão sem Igreja. E, por isso, o grande Paulo VI dizia que é uma dicotomia absurda amar Cristo sem amar a Igreja; escutar Deus, mas não a Igreja; estar com Cristo à margem da Igreja. Não se pode. É uma dicotomia absurda. Nós recebemos a mensagem evangélica na Igreja e fazemos nossa santidade na Igreja, nosso caminho na Igreja. O resto é uma fantasia ou, como ele dizia, uma dicotomia absurda".

O "sensus ecclesiae" é justamente sentir, pensar, querer, dentro da Igreja. Há três pilares desta pertença, deste sentir da Igreja. O primeiro é a humildade, na consciência de estar dentro de uma comunidade como uma graça grande.

"Uma pessoa que não é humilde, não pode sentir com a Igreja, sentirá aquilo que ela gosta. E esta humildade que se vê em Davi. 'Quem sou eu, Senhor Deus, e o que é a minha casa?'. Com essa consciência de que a história da salvação não começou comigo e não terminará quando eu morra. Não, é toda uma história da salvação: eu venho, o Senhor te alcança e te faz ir em frente e depois te chama e a história continua. A história da Igreja começou antes de nós e continuará depois de nós. Humildade: somos uma pequena parte de um grande povo, que segue na estrada do Senhor".

O segundo pilar é a fidelidade, "que vai unida à obediência". "Fidelidade à Igreja, fidelidade aos seus ensinamentos, fidelidade ao Credo, fidelidade à doutrina, manter esta doutrina. Humildade e fidelidade. Também Paulo VI nos recordava que nós recebemos a mensagem do Evangelho como um dom e devemos transmiti-lo como um dom, mas não como uma coisa nossa: é um dom recebido que damos. E nesta transmissão é preciso ser fiéis”.

“Porque nós recebemos e devemos dar um Evangelho que não é nosso, que é de Jesus, e não devemos - dizia ele – tornar-nos donos do Evangelho, donos da doutrina recebida, para utilizá-la a nosso gosto".

O terceiro pilar é um serviço particular, finalizou o Santo Padre: “rezar pela Igreja". “Como vai nossa oração pela Igreja? Rezamos pela Igreja? Na missa todos os dias, mas nas nossas casas, não? Quando fazemos nossas orações? Rezar por toda a Igreja, em todas as partes do mundo. Que o Senhor nos ajude a seguir por essa estrada para aprofundar a nossa pertença à Igreja e o nosso sentir com ela”.

VATICANO, 31 Jan. 14 (ACI/EWTN Noticias) .- O Papa Francisco designou o Bispo italiano Dom Giorgio Corbellini como novo Presidente interino da Autoridade de Informação Financeira (AIF), depois da renúncia do Cardeal Attlilio Nicora, até agora presidente, conforme informou o Escritório de Imprensa do Vaticano.

Dom Coberllini foi subsecretário de Estado do Vaticano entre 1993 aos 2011. Em 2010, Bento XVI o nomeou presidente da Comissão Disciplinar da Cúria Romana.
 
BRASIL


CACHOEIRA PAULISTA, 31 Jan. 14 (ACI) .- Alegria, legado, solidariedade. A alegria da Jornada Mundial da Juventude será revivida. A continuidade da JMJ ganhará o Instituto para Juventude. A solidariedade vai ajudar a quitar os últimos investimentos. Tudo isto no grande evento ‘Doe de Coração’, que acontecerá em Cachoeira Paulista, São Paulo, na sede da comunidade Canção Nova, durante os dias 7, 8 e 9 de março deste ano.

O evento vai marcar a criação do Instituto para a Juventude e arrecadar fundos a fim de saldar os últimos investimentos da JMJ Rio2013. A programação traz participação de vários artistas e músicos católicos, que passaram pelos palcos da JMJ Rio2013, momentos de Adoração ao Santíssimo Sacramento, celebrações de Missas, momentos Marianos, pregações, palestras e testemunhos. Será o primeiro evento transmitido, simultaneamente, por todas as emissoras de TV e rádio católicas do Brasil.

O INSTITUTO PARA A JUVENTUDE

O Instituto para a Juventude é o maior legado da Jornada Mundial da Juventude, evento que marcou a cidade do Rio de Janeiro e todo Brasil, mostrando a mobilização dos jovens para o encontro com Cristo, através do Papa. O novo instituto foi idealizado pelo arcebispo do Rio, Dom Orani João Tempesta, em comunhão com todos os outros bispos e sacerdotes envolvidos na construção da JMJ Rio2013.

Trata-se de um espaço reservado para o jovem expor, aplicar e desenvolver suas ideias para um mundo melhor, cujo objetivo é a promoção, recuperação e inclusão do jovem na sociedade, através da evangelização, brindando assistência e ensinando valores e princípios éticos de um cidadão de bem, de um verdadeiro cristão.

INSTITUTO PARA A JUVENTUDE LANÇA CONCURSO PARA DEFINIR SUA IDENTIDADE VISUAL

Uma nova oportunidade para você fazer parte do mundo JMJ. Foi aberto, na última sexta-feira (24/01), o concurso do logotipo que irá definir a identidade visual do Instituto para a Juventude, maior legado da Jornada Mundial da Juventude Rio2013. O formulário para inscrição e o regulamento do concurso podem ser acessados no link abaixo ou pelo site oficial do Instituto para a Juventude (www.ijuventude.org), entre os dias 24 de janeiro e 28 de fevereiro de 2014. A arte escolhida será anunciada, oficialmente, durante o evento ‘Doe de Coração’, que acontecerá entre os dias 7, 8 e 9 de março, em Cachoeira Paulista, São Paulo, sede da comunidade católica Canção Nova.
Para mais informações e/ou dúvidas, envie um e-mail para concurso@ijuventude.com.

Link para Ficha de Inscrição do Concurso: http://goo.gl/bf7ZoN
Link do Edital e Regulamento do Concurso: http://goo.gl/v5fiE6
MUNDO


ROMA, 30 Jan. 14 (ACI/EWTN Noticias) .- Quase uma semana depois do roubo de uma relíquia de sangue do Beato João Paulo II, os agentes encontraram uma parte do relicário que continha o pequeno pedaço de tecido da batina de João Paulo II que ficou manchada de sangue durante o atentado que sofreu na Praça de São Pedro em 13 de maio de 1981. Até o momento há dois presos e as investigações continuam.

Conforme assinala o jornal La Nación, dois jovens de 23 e 24 anos foram presos pelo roubo ocorrido na igreja de San Pietro della Ienca, em L'Aquila, na região italiana de Abruzos, eles confessaram ter roubado o relicário e a cruz do templo.

O presidente da associação San Pietro della Ienca, Pasquale Correriere, responsável pelo santuário do qual a relíquia desapareceu, explicou à imprensa italiana que falta ainda o pedaço de tecido que esperam ainda poder recuperar.

O fiscal de L'Aquila, David Mancini, ordenou um novo interrogatório aos dois detidos para que confessem onde se encontra a relíquia.

Justamente hoje chegou a chamada do agora Arcebispo de Cracóvia (Polônia), Cardeal Stanislaw Dziwisz, que foi secretário de João Paulo II por mais de 40 anos, para que os ladrões devolvam a relíquia antes da canonização do Pontífice que se realizará em 27 de abril.

Em 2011, o Cardeal entregou à comunidade de Abruzzos a relíquia como "uma mostra de seu amor pela montanha".

O jornal La Nación assinala que em um primeiro momento foi considerada a possibilidade de que se tratasse de um roubo para realizar algum rito satânico, mas posteriormente se pensou na possibilidade de que se trate de um roubo vinculado a um colecionador.
 

NOVA DELHI, 30 Jan. 14 (ACI/EWTN Noticias) .- Uma diocese católica na Índia lançou uma campanha médica e contra as superstições depois da morte de um menino que sofria de apendicite e não recebeu atendimento médico porque seus pais utilizaram diversas “curas mágicas” que resultaram inúteis para salvar seu pequeno.

O menino estudava na primeira escola de São Xavier em Lazu, na diocese de Miao do estado Arunachal Pradesh. O pequeno foi diagnosticado com apendicite durante uma revisão de rotina antes das férias de Natal.

O diretor da escola, o Pe. Joy Moc, alentou os pais a procurarem o tratamento médico correspondente no hospital, mas ambos fizeram caso omisso e usaram “curas mágicas e sobrenaturais”, com o qual o apêndice do menino se rompeu provocando-lhe a morte.

“Uma vida inocente se perdeu. Não queremos que isto se repita no futuro”, explicou o sacerdote ao grupo ACI no último dia 23 de janeiro.

Depois do falecimento do menino, a diocese decidiu realizar uma campanha médica e contra as superstições, que se realizou em 17 de janeiro. Nela participaram 500 estudantes e fiéis da comunidade.

Como parte da iniciativa se realizou uma marcha onde os participantes levaram cartazes nos quais se lia “Diga não à superstição”, “Nossa saúde é nosso direito”, “Vá ao médico se estiver doente” e “Remédios adequados a tempo”.

O Bispo de Miao, Dom George Pallipparambil, expressou seu apoio à campanha e assegurou suas orações pelos frutos da iniciativa. Em declarações ao Grupo ACI comentou que “a ignorância e as redes de superstição são grandes desafios. Para enfrentá-los a educação é uma prioridade”.

O estado de Arunachal Pradesh fica em uma região afastada da Índia e uma parte deste estado é reclamada pela China. A área é montanhosa e tem em seu território os Montes do leste dos Himalayas. As dificuldades do terreno e o difícil acesso são alguns dos fatores que geraram a pobreza, a falta de infraestrutura e o subemprego.
 

ROMA, 30 Jan. 14 (ACI/EWTN Noticias) .- “Dizem que o Boko Haram não tem nenhuma ligação com a religião (...), mas para mim, este fenômeno tem muito a ver com a religião. Agem gritando Allah Akbar, mesmo que gritassem Jesus é o Senhor, seria uma caracterização religiosa. Perdemos o nosso tempo se não reconhecemos e não enfrentamos este aspecto religioso”, disse o Arcebispo de Abuja, Cardeal John Olorunfemi Onaiyekan, em roda de imprensa depois dos brutais ataques nos últimos dias do grupo terrorista muçulmano Boko Haram no norte da Nigéria onde morreram 130 pessoas.

Pelo menos 45 pessoas morreram no ataque contra a igreja católica no vilarejo de Wada Chakawa, no Estado de Adamawa, perpetrado por um grupo de homens armados que chegaram a bordo de um veículo blindado e de uma caminhonete, que depois de fecharem os fiéis no lugar de culto, atiraram depois indiscriminadamente contra eles. Outras 85 pessoas morreram no ataque ao vilarejo de Kauwuri, no Estado de Borno.

“O governo gastou bilhões para comprar todo tipo de dispositivos eletrônico, mas não conta quanto dinheiro é gasto até quando se raciocinar em termos de potência contra potência, fogo por fogo; assim não se pode resolver o problema da segurança”, disse o arcebispo de Abuja.

O Cardeal destacou a importância dos aspectos sociais, políticos, econômicos e da psicologia social para entender o fenômeno do Boko Haram. “Precisamos entender como um jovem de 27-28 anos, formado em química ou em outra disciplina, termine por viver em meio a um bosque; alguma coisa aconteceu na sua mente. Para mudar a mente deste jovem, é preciso aproximar-se dele, mas não com uma arma”.

O Cardeal Onaiyekan apela aos líderes religiosos para que trabalhem juntos para resolver o problema. “De um modo ou de outro, alguém deve romper o círculo vicioso e aconselhei o governo sobre este ponto”, conclui.

Por sua parte o porta-voz da diocese de Canoa, Padre Raymond Danbouye, confirmou que as 22 pessoas que morreram no ataque à igreja foram enterradas depois de um funeral na segunda-feira.

O grupo fundamentalista, que quer impor a lei islâmica em um país dividido quase em partes iguais entre cristãos e muçulmanos, matou milhares de pessoas nos últimos quatro anos e meio e é considerado o maior risco para a segurança do máximo exportador de petróleo da África e a segunda maior economia do continente depois da África do Sul.
CONTROVÉRSIA


MADRI, 30 Jan. 14 (ACI/Europa Press) .- Um total de treze bispos católicos da África do Sul, Finlândia, Islândia, Espanha, França, Canadá, Reino Unido, Estados Unidos, Irlanda, Alemanha, Polônia e Andorra pediram à comunidade internacional "apoio urgente" para evitar a intenção de Israel de construir um novo muro de segurança que passe pela Cisjordânia de Beit Jala, situada entre Jerusalém e Belém, onde vive um total de 58 famílias palestinas cristãs, conforme informou a Conferência Episcopal Espanhola (CEE).

Os bispos, agrupados na Coordenadoria pela Terra Santa alertaram que a construção do muro supõe para as famílias cristãs "a ameaça de perder suas terras e seus meios de vida já que destruirá vinhedos, olivares e hortas, e lhes separará de suas terras”.

Além disso, embora tenham reconhecido o "direito do Estado de Israel à segurança e a ter fronteiras seguras", destacaram que o traçado do muro excede o limite da Linha Verde que a comunidade internacional reconhece como os limites do mesmo.

Segundo os bispos, a intenção do governo israelense com a construção do muro é "consolidar zonas de assentamentos e separar de forma permanente Belém de Jerusalém", por isso insistiram na ilegalidade da construção do muro –de acordo com uma opinião consultiva de referência da Corte Internacional de Justiça– e na "violação flagrante" que supõe segundo acordos de Genebra e a Declaração Universal dos Direitos humanos.

Os bispos católicos pediram orações para evitar a construção do muro e reiteraram o seu pedido aos governos dos países para que "animem Israel a cumprir com a lei internacional" e a que "respeite os meios de vida destas famílias para que o povo de Beit Jala seja protegido de uma maior expropriação de suas terras e lares".

O Papa Francisco confirmou no dia 5 de janeiro deste ano que visitará as duas cidades (Jerusalém e Belém) nos dias 24 e 26 de maio, em uma viagem à Terra Santa durante a qual também visitará Ammán, a capital jordana, depois de ter sido convidado tanto pelo presidente israelense, Shimon Peres como pelo presidente da Autoridade Nacional Palestina, Mahmud Abas.
PERFIS


MISSOURI, 31 Jan. 14 (ACI/EWTN Noticias) .- Apesar de sua pouca idade, Vincent Butterfield, de 7 anos, aluno do Central elementary School Union em Missouri (Estados Unidos), deu exemplo de amizade e solidariedade ao raspar a cabeça para que o seu melhor amigo que sofre de leucemia não se sinta estranho, e também começou a vender cachecóis para ajudá-lo a pagar seu tratamento médico.

Quando Vincent soube que o seu amigo, Zac Gossage, foi diagnosticado com câncer começou a realizar muitas perguntas sobre o tema, aprendeu que seu amigo ficaria sem cabelo e que seu tratamento seria muito caro.

Em suas próprias palavras, Vincent explicou que a doença “é uma briga entre as células brancas e as vermelhas”, conforme informou o noticiário local do WTNH canal 8.

Zac tem que ir com muita frequência ao hospital para realizar o seu tratamento de quimioterapia, mas mesmo assim o menino não falta à escola “porque assim eu posso brincar com Vincent”, assinalou, e cada vez que a professora lhe pergunta como está, ele responde com entusiasmo “estou bem”.

Um dia Vincent chegou ao colégio com a cabeça coberta com uma boina, e disse a sua professora que tinha uma surpresa para Zac e quando tirou a boina mostrou a sua cabeça raspada. "Fiz isso para que não sentisse que ele é o único sem cabelo", expressou o menino.

Com o apoio de sua família, Vincent decidiu vender cachecóis, com a venda de mais de 20 deles conseguiu um pouco mais de 200 dólares que entregou ao seu melhor amigo para seu tratamento.

Os que o conhecem assinalam que Vincent, apesar de ser muito novo, ensina com o exemplo o valor da amizade, da entrega e da solidariedade para ajudar não apenas economicamente a um amigo, mas também com gestos que só podem nascer de um coração puro e sincero.
 

PARA CANCELAR A ASSINATURA O INSCREVER UM AMIGO, PREENCHA O FORMULÁRIO AQUI
COMENTÁRIOS OU PERGUNTAS A acidigital@acidigital.com
http://www.acidigital.com

Nenhum comentário:

Apoio




_

Immaculata mea

In sobole Evam ad Mariam Virginem Matrem elegit Deus Filium suum. Gratia plena, optimi est a primo instanti suae conceptionis, redemptionis, ab omni originalis culpae labe praeservata ab omni peccato personali toto vita manebat.

Cubra-me

'A Lógica da Criação'


Jesus, oculto na Hóstia, é tudo para mim




“Se não fosse a Santa Comunhão, eu estaria caindo continuamente. A única coisa que me sustenta é a Santa Comunhão. Dela tiro forças, nela está o meu vigor. Tenho medo da vida, nos dias em que não recebo a Santa Comunhão. Tenho medo de mim mesma. Jesus, oculto na Hóstia, é tudo para mim. Do Sacrário tiro força, vigor, coragem e luz. Aí busco alívio nos momentos de aflição. Eu não saberia dar glória a Deus, se não tivesse a Eucaristia no meu coração.”



(Diário de Santa Faustina, n. 1037)

Ave-Maria

A Paixão de Cristo