Banner

Jesus Início

Início


Visitas



addthis

Addrhis

Canal de Videos

Rio de Janeiro

Santa Sé






segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Julio Severo: “Convenção Batista Nacional embarcando na Teologia da Missão Integral” plus 1 more


Julio Severo: “Convenção Batista Nacional embarcando na Teologia da Missão Integral” plus 1 more


Posted: 27 Jan 2014 12:00 AM PST

Convenção Batista Nacional embarcando na Teologia da Missão Integral

Julio Severo
"Qual é a missão das igrejas da Convenção Batista Nacional (CBN) nos dias de hoje?" Foi buscando responder a essa pergunta que a CBN realizou na Primeira Igreja Bastia de Brasília a 1ª Consulta Nacional de Missão Integral da CBN, feita pela REDEMI (a Rede de Missão Integral da CBN) nos dias 14 a 17 de novembro de 2013.
A Consulta foi definida como "Um Momento Histórico e Inspirador." No final, um dos líderes exclamou: "Que bom que Deus está nos despertando para missão integral!"
Um total de 89 pastores, líderes e seminaristas de 14 estados se reuniram para a Consulta, cujo tema foi "Missão Integral — da teologia à prática." O foco foi, com base na Teologia da Missão Integral (TMI), elaborar um plano para orientar as igrejas da CBN.
É digno de nota que esse foi o primeiro congresso de TMI na CBN, mas não foi o único evento recente dessa natureza no Brasil. Na verdade, entre novembro e dezembro de 2013, houve uma explosão de congressos de missão integral, quase todos pioneiros.
De 6 a 8 dezembro de 2013, a Missão Jovens da Verdade (JV) realizou o "Rock no Vale,"com a presença dos maiores "apóstolos" da Teologia da Missão Integral, inclusive Ariovaldo Ramos, Ed René Kivitz, Carlos Bezerra e Marcos Botelho.
Em 9 de novembro, a Universidade Presbiteriana Mackenzie foi palco de um mega-encontro da TMI anunciado como o "principal evento de juventude cristã no Brasil,"com a presença dos mesmos "apóstolos" da TMI, inclusive Antonio Carlos Costa, importante líder da IPB (Igreja Presbiteriana do Brasil) e presidente da ONG globalista desarmamentista Rio de Paz. A propaganda ficou por conta da Lixeira Gossip.
De 5 e 8 de dezembro, a Igreja Batista da Lagoinha realizou seu primeiro Congresso de Missão Integral, com a presença de Antonio Carlos Costa (conferencista da VINACC). Um dos palestrantes aconselhou os jovens da Lagoinha a lerem Frei Betto se quisessem entender o que é TMI. Esse "frei," que não tem nada de real católico e cristão, apoia o aborto, o homossexualismo e o comunismo. Ele já esteve algumas vezes em Cuba com o ditador comunista Fidel Castro. Para ele, o maior perigo são os evangélicos conservadores.
De 4 e 8 de novembro, aconteceu o maior congresso de TMI do Brasil: a Conferência Missão na Íntegra, com a participação de palestrantes que são proeminentes líderes evangélicos progressistas da TMI, inclusive Ariovaldo Ramos, Ed René Kivitz, Antonio Carlos Costa, Ricardo Bitun (professor no Mackenzie, conferencista da VINACC e membro do Conselho Consultivo da ANAJURE) e Marina Silva.
A 1ª Consulta Nacional de Missão Integral (CNMI) da CBN foi apenas efeito do tsunami de TMI que está engolindo as igrejas enquanto o Brasil se aproxima da eleição presidencial.
Um das palestras da CNMI teve como tema: "O evangelho da missão integral vs. a doutrina da prosperidade." Ao que tudo indica, a proposta foi se afastar das "heresias" pentecostais e abraçar a "saudável" teologia protestante tradicional, encarnada na TMI. Conheço bem essa "novela": adotar a TMI para "se proteger" da teologia da prosperidade, quando na verdade o liberalismo teológico da Teologia da Missão Integral é, de longe, a maior ameaça à Igreja Evangélica do Brasil.
Aliás, basta perguntar isso ao "frei" Betto, que foi recomendado na Lagoinha como a melhor referência para a TMI. Para ele, a TMI deve ser uma espécie de "manifestação do Reino de Deus" — que é o que o bispo marxista Robinson Cavalcanti, fundador do MEP (Movimento Evangélico Progressista), dizia. (O MEP, até ser denunciado no meu blog durante anos, era o maior movimento evangélico esquerdista do Brasil, aliado do PT, Caio Fábio,etc.) Para o "frei" e almas ideologicamente gêmeas, a Teologia da Prosperidade poderia ser considerada como coisa de capitalistas. E parece que muitos protestantes se esqueceram de que a fundação do capitalismo é atribuída a João Calvino, cujos descendentes religiosos, uma boa parte pelo menos, preferem se alinhar com a TMI e outras expressão marxistas.
A contaminação da TMI existe e já está acontecendo. A CNMI foi realizada em novembro e em dezembro a Lagoinha, que faz parte da CBN, já estava imitando. O que virá depois? Ana Paula Valadão posando com Ariovaldo Ramos e Ed René Kivitz? Ela visitando Cuba para prestar solidariedade aos ditadores comunistas?
Os líderes batistas, inclusive da Lagoinha, que foram para aprender na CNMI desconheciam totalmente que a TMI é na verdade a encarnação evangélica da Teologia da Libertação, que tem raízes marxistas. Isto é, a TMI é uma teologia marxista embrulhada num bonito pacote evangélico. Mas o que é bonito nessa teologia não passa do pacote. Proeminentes promotores da TMI são famosos por sua defesa do socialismo.
Ariovaldo Ramos, que realizou uma parceria entre governo do PT e evangélicosno ano passado, deu uivos de lamento quando o ditador socialista Hugo Chávez morreu. Mas quando Marco Feliciano estava sendo perseguido por todas as esquerdas do Brasil, o que ele fez? Chorou com o perseguido? Não. Ele assinou um manifesto em apoio dos perseguidores.
Ariovaldo não está sozinho em suas carnais paixões da TMI. As igrejas protestantes mais esquerdistas, igualmente amantes da TMI, fizeram um manifesto de último minuto para o PT em dezembro de 2013 a fim de impedir o sepultamento do PLC 122. Se a CBN não se libertar de sua paixão pela TMI, seu futuro vai ser igualmente defender bandeiras de iniquidade.
O tema de outra palestra do evento de TMI da CBN foi: "Como mobilizar sua igreja para uma identidade integral." Em outras palavras, como fazer sua igreja adquirir a identidade da TMI.
Lembro que anos atrás, a maior preocupação das igrejas era se prepararem para o arrebatamento. Hoje, se preparam para o inferno vermelho.
Enquanto Ariovaldo chorou por um ditador socialista, eu choro pelas igrejas brasileiras, que uma a uma estão caindo. Uma a uma estão sendo mobilizadas para abraçar e promover uma teologia do inferno mascarada como algo que nunca foi: o Evangelho do Reino de Deus.
E tenho motivo para chorar. Na década de 1960, quando os comunistas estavam tentando derrubar o governo do Brasil para implantar uma ditadura, o Pr. Enéas Tognini, um dos fundadores da CBN, mobilizou as igrejas evangélicas não para a TMI, mas para derrotar a horrível ameaça vermelha. Em matériade 2011, a revista Istoé confirma o importante papel de Tognini:
"O líder batista carismático Enéas Tognini convocou milhares de evangélicos para um dia nacional de oração e jejum, para que Deus salvasse o País do perigo comunista. Aos 97 anos, o pastor Tognini segue acreditando que Deus, além de brasileiro, se tornou um anticomunista simpático ao movimento militar golpista. 'Não me arrependo [de ter se alinhado aos militares contra a ameaça comunista]. Eles fizeram um bom trabalho, salvaram a Pátria do comunismo', diz."
A direção de TMI que a CBN está escolhendo é não somente um desvio do Evangelho, mas também uma traição a um de seus mais importantes e nobres fundadores.
Durante a onda de ódio esquerdista (secular e evangélica) contra Marco Feliciano, até a CBN deu um posicionamento denominacional oficial, na pessoa de seu diretor, Pr. José Carlos da Silva, chamando publicamente Feliciano de "deputado pastor falastrão despreparado teológica e politicamente."
Nota oficial da CBN chama Feliciano de "deputado pastor falastrão"
O que a CBN fez foi imitar Ariovaldo Ramos, que ficou do lado dos perseguidores e opressores. Todas as esquerdas estavam contra Feliciano. E a CBN e Ariovaldo não queriam nada com a minoria politicamente incorreta. Assim sempre age a TMI.
Todas as igrejas evangélicas esquerdistas que estavam atacando Feliciano são grandes defensoras da TMI. E a CBN preferiu ficar do lado da TMI e dos opressores, em vez de ficar do lado da vítima.
Vendo a covardia dos "apóstolos" da TMI contra Feliciano, eu o defendi, assim como também defendi o Pr. Enéas Tognini quando essa mesma esquerda começou a atacá-lo por acusar que a campanha de oração dele mais de 40 anos atrás foi cúmplice de "crime" por ter ajudado o comunismo a perder. Aprenda uma lição com isso: a TMI detesta ver o socialismo perder.
Enéas Tognini
Defendi Tognini nestes dois artigos:
Defenderei todos os cristãos vítimas do rolo compressor da TMI.
Precisamos orar e vigiar, para não cairmos em tentação. E a TMI é uma grande tentação, que está se alastrando em todas as igrejas. E a tentação quando chega, vem embrulhada em lindas mentiras e seduções.
No ano passado, o pastor palestino Bishara Awad esteve numa grande igreja da CBN no Brasil, pregando uma linda mensagem de "reconciliação." Mas o que muitos não sabiam é que Awad é fundador do Colégio Bíblico de Belém, que reúne anualmente líderes evangélicos liberais do mundo inteiro e cristãos palestinos da Teologia da Libertação Palestina para suas conferências "Christ at the CheckPoint." O pastor da CBN desconhecia as afinidades teológicas e espirituais de Awad, e ficou chocado quando leu meu artigo "Ativista anti-Israel faz palestra em Portas Abertas do Brasil." Awad esteve na igreja dele por recomendação direta de Portas Abertas.
Agora, por amor aos muitos pastores da CBN que desconhecem a TMI, e a estão "cheirando" por recomendação de importantes líderes ou instituições protestantes, faço este alerta público.
Oremos, vigiemos e choremos: a TMI e suas seduções estão às portas, com força total.
Chore, Ariovaldo, por Hugo Chávez. Eu choro pelas vítimas da sua TMI. Choro pela CBN, que se esqueceu de que um dia um de seus fundadores mobilizou o Brasil inteiro em oração para derrotar o comunismo, e hoje seus líderes querem mobilizar as igrejas da CBN para a versão protestante desse mal.
Nota:Escrevi este artigo atendendo a um leitor batista que, chorando pelos rumos atuais da CBN, pediu-me que tratasse desse assunto publicamente.
Importante: O que você pode fazer para ajudar a CBN? Imprima, distribua e divulgue este artigo para pastores e igrejas da CBN. Publique em blogs e sites. Além disso, faça a mesma divulgação deste artigo: "A maior ameaça à Igreja Evangélica do Brasil."
Leitura recomendada:
Posted: 26 Jan 2014 01:00 PM PST

Ana Paula Valadão é a cantora mais famosa da música evangélica

A cantora gospel costuma atrair multidões para os seus shows e lançar moda entre as evangélicas

Sabrina Abreu
Comentário de Julio Severo: Meses atrás, depois que publiquei um artigo defendendo Ana Paula Valadão, recebi questionamento de um líder presbiteriano insistindo que ela defendia o "casamento" gay. Respondi que não há prova disso. E agora, a própria revista Veja, dona desta matéria, confirma que, fiel ao que está na Bíblia, Ana é contra. A matéria traz muitos pontos positivos e bons, embora em alguns momentos a jornalista alfinete maldosamente a cantora. Mas, de forma geral, o testemunho de Ana está muito bem. Eis agora a matéria da Veja:
Ana Paula Valadão
Voz, nome e rosto mais conhecidos da música gospel no país, ela atrai multidões para seus shows, lança moda entre as evangélicas e, vez ou outra, desperta a fúria das feministas. Com mais de 10 milhões de discos vendidos, a cantora e pastora Ana Paula Machado Valadão Bessa, de 37 anos, ainda se surpreende com o sucesso alcançado à frente do grupo Diante do Trono, que acaba de completar quinze anos. "Nunca imaginei aparecer na TV em rede nacional. Só queria divulgar a mensagem do amor de Deus", diz a belo-horizontina, que já se apresentou em todos os estados brasileiros e também no exterior, em países como Estados Unidos, Israel, Suíça e Japão. Nascida em uma família de cinco gerações de protestantes, entre presbiterianos e batistas, ela buscou na religião o consolo para o término de um noivado, aos 19 anos. Estava no chuveiro quando cantarolou pela primeira vez a melodia da canção Diante do Trono. Um ano depois, em 1998, a banda liderada por ela, também batizada de Diante do Trono, lançou de forma independente seu primeiro álbum. "Para garantirmos a gravação, vendemos na igreja vales-CD, no valor de 5 reais cada um", lembra o pai da cantora, o pastor Márcio Valadão, líder da Igreja Batista da Lagoinha.
Do Q.G. do grupo, no bairro São Luís, onde funciona o moderno estúdio projetado pelo arquiteto Renato Cipriano — que tem entre seus clientes a cantora Ivete Sangalo e a banda Jota Quest —, Ana Paula cuida atualmente da produção de mais três discos: Renovo, que foi gravado ao vivo no Expominas, em março; Tu Reinas, com faixas inéditas; e um álbum em inglês, de título ainda não definido, que será veiculado na internet. "Minha equipe é muito capaz, mas tudo passa pela minha mão", diz ela, confirmando sua fama de centralizadora. Nas palavras dos assessores, a cantora é uma máquina de trabalhar. Além de realizar shows e gravar com o Diante do Trono, Ana Paula se dedica como pastora a um culto mensal só para mulheres, escreve livros (já tem dois publicados) e atualiza pessoalmente suas redes sociais, que atraem milhares de fãs. Só no Twitter reúne mais de 590000 seguidores. "Tudo o que ela faz, centenas de mulheres copiam", afirma o cabeleireiro Silvio Nogueira, que cuida de seu visual há dez anos. Foi assim quando, em 2009, Ana Paula resolveu cortar os cabelos curtinhos. Vaidosa, usa nas apresentações figurinos assinados por grifes de luxo como Barbara Bela e Mares. Gosta de um estilo romântico, com organza, seda e renda. Os modelos, porém, não podem mostrar muito o corpo. "Para a mulher bíblica, a sensualidade é vivida toda dentro do casamento. Ela não usa roupas sexy", explica. Muitas peças precisam ser adaptadas para que Ana Paula possa vesti-las. "Ponho anágua quando a saia é meio transparente e tapa-colo, um clipezinho abotoado no sutiã, para esconder o decote", conta.
Os conselhos da cantora sobre feminilidade atraem milhares de fiéis à Igreja da Lagoinha. Toda última quarta-feira do mês, o templo, com capacidade para 6000 pessoas, fica lotado. No culto Mulheres Diante do Trono, a presença de homens é proibida. Do púlpito, com sua Bíblia em mãos, a pastora mescla passagens da própria vida a trechos do Velho e do Novo Testamentos. "Como mulher, vocêpode trabalhar fora, realizar os seus sonhos, ter diálogos com seu marido, sugerir, decidir com ele, mas tem de respeitar toda figura masculina", prega. Casada desde 2000 com o pastor Gustavo Bessa, de 39 anos, ela diz que, em casa, deixa de lado a postura controladora que não consegue evitar no trabalho. "Lá, eu tiro o chapéu da liderança." As pregações dão arrepios em muitas feministas. No fim do ano passado, quando vídeos do culto se espalharam pela internet, o resultado foi uma avalanche de críticas indignadas e zombarias. Ana Paula não se intimidou. "Achei bom. A mensagem foi replicada e chegou a mais pessoas."
O dever de submissão ao marido não é sua única opinião polêmica. Ela é contra o casamento gay e não esconde seu ponto de vista. "Se há um cristão falando por aí que é a favor da homossexualidade, ele não é um cristão de verdade", afirma. Mas garante que os homossexuais são bem-vindos em sua igreja. "Tenho um grande amigo ex-gay." Também não se constrange ao abrir o coração e falar das próprias dores a seus fãs. "Na gravação do CD Esperança, em 2004, ela contou no palco que não conseguia engravidar", lembra o pai. Mais de 1 milhão de pessoas ouviram a cantora hoje mãe de Isaque, de 7 anos, e Benjamin, de 4 - falar sobre seus problemas de fertilidade.
Ela credita seu sucesso às letras inspiradas em versículos bíblicos e nas suas experiências de fé. "As pessoas se identificam com os versos que falam de cura interior", diz ela, que começou a compor quando ainda era criança. "Da passagem do cometa Halley até a aids, tudo o que via na TV ou na escola virava tema", conta, às risadas. Os comentários de um adulto, no entanto, a desanimaram. "Ele disse que eu não tinha jeito para a coisa e acreditei. Fiquei sem escrever dos 13 aos 18 anos." Nesse período, resolveu apostar na carreira de intérprete. Cantava no King's Kids, grupo evangélico de dança e música para adolescentes, e no El-Shamah, coral adulto da igreja, que se apresentava aos domingos. "Eu era nova para o grupo. Só me deixaram entrar porque eu realmente tinha talento", explica, revelando certo incômodo com insinuações sobre ter tido privilégios por ser filha do líder da igreja. Em 1996, depois de abandonar a faculdade de direito da UFMG e mudar-se para Dallas, nos Estados Unidos, onde foi estudar música, finalmente se sentiu livre. "Lá ninguém se importava com meu sobrenome." Disputando uma vaga com outros 100 alunos, foi selecionada para a banda da escola. Disciplinada, impressionava os professores pela dedicação à rotina pesada dos ensaios.
Graças à boa vendagem de seus discos e shows (ela já tem apresentações marcadas para os próximos doze meses), hoje fatura alto com sua música, mas não revela quanto ganha. Só informa que doa parte considerável de sua renda a projetos filantrópicos. Pastora da maior igreja batista do Brasil — a Lagoinha tem mais de 54000 fiéis —, Ana Paula se preocupa em ser um bom exemplo, uma pessoa de comportamento recatado, irrepreensível. Quando estáem turnêcom a banda e chega a um hotel, espera uma assessora vistoriar seu apartamento antes de entrar. "É para prevenir armações, como um homem lá dentro para causar escândalo, a exemplo do que já aconteceu com pastores e políticos nos Estados Unidos", justifica. As bebidas alcoólicas são retiradas do frigobar dos quartos de todos os integrantes do grupo. Embora procure ser generosa com os fãs — chega a ficar até duas horas depois dos cultos dando autógrafos e posando para fotos —, poucas pessoas podem se considerar realmente íntimas da pop star gospel. "Não tenho muitos amigos próximos", reconhece. Se sobra um tempo livre, ela quer mesmo é ficar com a família em sua espaçosa casa no bairro São Luís. É difícil ver Ana Paula em lugares públicos da cidade. Quando isso acontece, geralmente ela está almoçando ou jantando em algum de seus restaurantes preferidos: o português Res­taurante do Porto, o japonês Udon e o italiano Dona Derna.
Tem pouquíssimos interesses fora da igreja. A fotografia é o único hobby da cantora, dona de uma Leica, sofisticada câmera alemã. "No dia a dia, uso o iPhone mesmo, para não perder o momento." Como toda mãe coruja, está sempre fotografando seus dois filhos. Ser mãe, diz Ana Paula, é uma bênção ainda maior do que conquistar o país com sua música. E não há dúvida de que ela o conquistou. Contratada da gravadora Som Livre desde 2009, a filha do pastor Márcio é hoje o nome mais conhecido da família. E vai longe o tempo em que precisava vender vales-CD para realizar seus projetos.

Um marco histórico: O CD do Diante do Trono está entre os vinte mais vendidos no país

Com seus hinos de fé e louvor a Deus, Ana Paula Valadão conseguiu um marco inédito na música gospel: figurar na lista dos vinte discos mais vendidos no Brasil. Segundo a Associação Brasileira de Produtores de Discos (ABPD), Preciso de Ti, o quarto álbum da banda Diante do Trono, gravado no Mineirão e lançado em 2001, vendeu mais de 2 milhões de cópias, o que lhe garantiu a vigésima posição no ranking. Apesar dos números grandiosos, a cantora não gosta de ser rotulada como estrela gospel. Prefere se definir como "líder do ministério de louvor". Diz ela: "Presto um serviço, que é a música feita para adorar a Deus".
Fonte: Revista Veja
Divulgação: www.juliosevero.com
Leitura recomendada:
Mulheres estão menos felizes do que nos anos 70

Nenhum comentário:




_

Immaculata mea

In sobole Evam ad Mariam Virginem Matrem elegit Deus Filium suum. Gratia plena, optimi est a primo instanti suae conceptionis, redemptionis, ab omni originalis culpae labe praeservata ab omni peccato personali toto vita manebat.

Cubra-me

'A Lógica da Criação'


Jesus, oculto na Hóstia, é tudo para mim




“Se não fosse a Santa Comunhão, eu estaria caindo continuamente. A única coisa que me sustenta é a Santa Comunhão. Dela tiro forças, nela está o meu vigor. Tenho medo da vida, nos dias em que não recebo a Santa Comunhão. Tenho medo de mim mesma. Jesus, oculto na Hóstia, é tudo para mim. Do Sacrário tiro força, vigor, coragem e luz. Aí busco alívio nos momentos de aflição. Eu não saberia dar glória a Deus, se não tivesse a Eucaristia no meu coração.”



(Diário de Santa Faustina, n. 1037)

Ave-Maria

A Paixão de Cristo