Banner

Jesus Início

Início


Visitas



addthis

Addrhis

Canal de Videos

Rio de Janeiro

Santa Sé






quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Confraria de São João Batista




Confraria de São João Batista


  • Católico, orgulha-te da tua Igreja! Nunca terás outra Mãe como esta! 
  • Flores da Eucaristia, por S. Julião Eymard. 
  • Alá : um dos ídolos árabes (um demônio) não é o Deus verdadeiro. Mais um caso de falsa religião? 
  • Foi Maomé um endemoninhado? 



Católico, orgulha-te da tua Igreja! Nunca terás outra Mãe como esta!


Posted: 20 Feb 2014 12:33 PM PST


UM SANTO ORGULHO 

Dom Fernando Arêas Rifan* 




Diante dos ataques contra a Igreja por causa da fraqueza humana e queda de seus membros, especialmente nos EE UU, cito trechos do discurso de Samuel H. Miller, grande empresário judeu de Cleveland, Ohio, proferido no City Club dessa cidade. "Talvez seja mais fácil para mim dizê-lo, porque não sou católico!", disse, indignado por essa sede de vingança e preconceito contra "uma das mais importantes instituições da Humanidade, a Igreja Católica". 




"Poucos conhecem e menos ainda se divulga, que só nos Estados Unidos, a Igreja Católica educa 2.6 milhões de estudantes, o que lhe custa mais de dez milhões de dólares por ano, soma que o Estado economiza. Na Espanha, 5.141 centros católicos de ensino formam cerca de um milhão de alunos, aforrando ao Estado mais de três milhões de euros por ano!"




"A lista dos 100 hospitais mais cotados dos Estados Unidos não só é encabeçada pelo Saint Joseph's Hospital and Medical Center de Phoenix, Arizona, entidade que tem prestado os seus serviços por mais de 115 anos contínuos, como 28 dos outros hospitais selecionados são também operados pela Igreja Católica. Nos Estados Unidos há mais de 260 centros médicos católicos, na Espanha 107 hospitais católicos, além dos 1.004 centros, entre ambulatórios, dispensários, asilos, centros de inválidos, de passantes e de doentes terminais de AIDS, com mais de 51.300 leitos. Há 365 centros de reeducação permanente para marginais sociais, ex-prostitutas, ex-presidiários e ex-toxicômanos, umas 53.100 pessoas. Isso, sem falar dos 937 orfanatos espanhóis que albergam 10.835 crianças abandonadas. No total, a Igreja Católica administra e serve 26 por cento dos centros hospitalares e de ajuda sanitária que existem em todo o mundo! E quase todos os que trabalham ou colaboram com as obras de caridade católicas, trabalham pelos outros sem pedir nada para si. Além disso, quanto custa manter para a Humanidade tantas e tão monumentais obras históricas e artísticas da cristandade?" 




"Enquanto 1,7% do clero católico foi encontrado culpado de pedofilia, 10% dos ministros protestantes foram assinalados pela mesma conduta. Não é que o mal dos outros seja um consolo ou uma desculpa, mas este NÃO é um problema exclusivo dos católicos. A agonia que os católicos sentiram e sofreram não é necessariamente culpa da Igreja como um todo. Vós fostes atingidos por um muito pequeno número de sacerdotes desviados, que numa boa parte foram já suspensos e outros o serão a seguir. Um estudo acerca dos sacerdotes americanos mostrou que a maioria se encontra feliz no seu sacerdócio; e a maioria, se lhes apresentassem uma alternativa, voltaria a escolher o sacerdócio apesar dos ataques que a Igreja tem recebido".




"A vossa religião ofereceu consolo e fortaleza a milhares de milhões de pessoas em todo o planeta, dando-lhes assim uma razão para seguir em frente quando já tudo parecia perdido".




"Caminhem, pois, com os ombros erguidos e a vossa cabeça levantada. Defendam a vossa FÉ com orgulho e reverência, e dimensionem muito o que a vossa religião fez e continua a fazer por todas as outras religiões do mundo! Sintam-se orgulhosos de ser Católicos".

*Bispo da Administração Apostólica Pessoal São João Maria Vianney 

http://domfernandorifan.blogspot.com.br/




Posted: 20 Feb 2014 12:31 PM PST


FLORES DA EUCARISTIA (Escritos de São Pedro Julião Eymard) - 19 DE FEVEREIRO




A alma, no santo abandono, semelhante a uma criancinha nas mãos de Deus, entrega-Lhe o espírito para que Ele seja a sua luz, e como Lhe aprouver: clara ou velada, de fé ou de manifestação. Somente quer saber o que Deus quer que ela saiba; é a ceguinha de Deus, que lhe abre ou fecha os olhos como quer; e se ela pudesse fazer escolhas haveria de preferir ser pobre e humilde de espírito.




A alma, no santo abandono, dá o coração a Deus, com toda a simplicidade, para O amar em tudo e somente a Ele, em todas as coisas e em qualquer estado. Sentir-se-á feliz se Ele quiser abrasá-la no seu amor, e receberá com reconhecimento uma graça de consolação, se Ele a quiser conceder-lhe. Mas se Nosso Senhor lhe fizer beber alguma gota de seu cálice de fel ou partilhar de seus desamparos, de seus abandonos, de suas desolações, de sua tristeza, a alma, em santo abandono, sorverá com amor este cálice, participará da agonia de Jesus, e ser-Lhe-á fiel na provação.







FLORES DA EUCARISTIA (Escritos de São Pedro Julião Eymard) - 20 DE FEVEREIRO




A alma que vive em santo abandono entrega inteiramente a Deus a própria vontade, para que Ele a governe e a mova como quiser.




Doravante, apenas há de considerar como bem, alegria, felicidade, virtude, zelo, perfeição, o que trouxer o selo divino da vontade de Deus.




Que deseja Deus? Qual a sua vontade? O que Lhe agrada mais? Eis, em síntese, a lei, a escolha, toda a vida enfim da alma em santo abandono.




E ela se entrega ao serviço de Deus sem outro ponto de vista, sem outro amor que não seja o que Deus lhe determina a cada hora, e como Ele quer.




A alma, no santo abandono, serva a Deus segundo os meios de que dispõe no momento. Não se apega ao seu estado, nem aos meios, nem às graças, mas repousa unicamente na santa Vontade de Deus!




Nosso Senhor é e deve ser para vós o sol de cada dia; todas as manhãs ele se levanta em vossa vida, mas não da mesma maneira. É mister que ameis sempre este divino sol de justiça e de amor, seja que ele vos apareça radioso, seja que se mostre velado em meio aos ardores do estio, ou sob os gelos do inverno; é sempre o mesmo sol.



Posted: 20 Feb 2014 12:27 PM PST


5 Evidências de que Alá não é o Deus da Bíblia




Apesar de nós, Cristãos, podermos ver através da charada uma vez que temos "denunciante" (a Autoritária, Inerrante e Inspirada Palavra de Deus), um terço da população mundial foi totalmente enganada pelo maometanismo (islão). Eles foram ensinados falsidades em torno da Santidade de Deus, da natureza do homem. do pecado, do Senhor Jesus Cristo, e assim por diante. Obviamente que eles dirão o mesmo em relação a nós Cristãos, portanto, urge perguntar: qual é a diferença? Porque é que devemos acreditar no conceito Cristão de Deus e não no islâmico? Eu acho que há pelo menos cinco razões para vermos que Alá não é o Deus Verdadeiro.




1 – Misericórdia e Justiça




Os maometanos concordam que Deus é Justo e Misericordioso, mas o problema é que na teologia islâmica, estas duas características contradizem-se. Imaginemos que Deus tem um pecador culpado perante Ele, e perdoa-lhe os pecados (tem misericórdia dele). Isto faria de Deus algo parecido a um juiz corrupto. Mas imaginemos que Deus dá a esta pessoa o castigo adequado (é Justo), desta forma Deus não seria Misericordioso. Ao afirmar que Deus é Misericordioso, Ele é, desde logo, Injusto. Ao afirmar que Ele é Justo com os pecadores, Ele não é Misericordioso. Mas Ele não pode ser ambos, apesar do Alcorão ensinar isso mesmo.




A Palavra de Deus - A Bíblia - ensina que Deus é ao mesmo tempo Justo e Misericordioso visto que na Cruz do Senhor Jesus Cristo, a justiça e a misericórdia uniram-se. Quando Deus descarregou a sua raiva sobre o Seu Filho, Ele foi Justo - visto que o Senhor Jesus Cristo absorveu o castigo que nós merecíamos - e Misericordioso - porque, agora, os pecadores culpados podem ver os seus pecados perdoados mal eles se comprometam a seguir a Cristo todos os minutos da sua vida, até ao final da sua vida.




Com isto em mente, podemos dizer que a concepção Cristã de Deus não se depara com este enigma, tal como acontece com a concepção (errada) de Deus que o Alcorão "revela". Na teologia islâmica, Deus ou é sem misericórdia ou injusto. Mas Ele não pode ser ao mesmo tempo ambas (Justo e Misericordioso). Logo, o "Deus" revelado no Alcorão não é ser mais perfeito que se pode conceber. Logo, o Deus revelado no Alcorão não existe.




2 – Amor




O Senhor Jesus disse, "Ouvistes que foi dito: Amarás o teu próximo, e aborrecerás o teu inimigo. Eu, porém, vos digo: Amai os vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem" (Mateus 5:43-44). De modo consistente, por todo o Alcorão é afirmando que Alá não alcança o padrão que o Senhor Jesus estabeleceu. Alá falha neste ponto e desde logo falha em ser o maior ser que se pode conceber (porque é melhor ser amoroso do que sem amor). Tal como afirmou o estudioso islâmico Darood Akbar, no seu livro "The God of Justice", "Amor Divino sem reservas pela humanidade é uma ideia completamente alienígena para o Alcorão. Em parte alguma encontramos a ideia de que Alá ama a humanidade. O amor de Alá é condicional."




Vez após vez, o Alcorão afirma que Alá não ama o pecador (2:99, 2:99,277 277; 3:33,58; 4:37; 5:88; 6:142; 8:59) e que o seu "amor" é parcial, condicional e tem que ser subornado. Só quando alguém expressa o seu amor por Alá é que ele o ama de volta. Logo, não parece que Alá ultrapasse a marca dos cobradores de impostos e dos pagãos que só saúdam os seus.




Imaginem o quão horrível seria um pai forçar a sua filha a conquistar o seu amor, em vez de a amar apenas e só pelo facto de ser sua filha. Algumas pessoas tiveram experiências com pais assim, e não é possível acreditar que esta é forma correcta de agir para o Altíssimo visto que se Ele fosse assim, Ele não seria o Altíssimo. Existem homens que amam os seus inimigos, até quando os seus inimigos os odeiam, e neste ponto, eles são mais morais que Alá, o deus do Alcorão.




3 – Alá não é o Deus da Bíblia Hebraica.




Alá disse que ele era o Deus de Israel, mas existem várias inconsistências entre Alá e o Santo de Israel. Na Bíblia Hebraica, por exemplo, Deus diz que tem Um Filho (Salmo 2.7), mas o Alcorão diz de forma inequívoca que Alá não tem filhos (Alcorão 10:68). Para além disso, e isto é algo importante, na Teologia Judaico-Cristã, o Filho de Deus é uma Figura Divina; Ele é a Versão Humana do Deus Invisível - Ele é o Próprio Deus. Logo, o Deus revelado na Bíblia Hebraica é TriUno (Trindade).




A Trindade encontra-se por toda a Bíblia Hebraica (embora os Judeus não a conhecessem devido ao facto deles não terem a ampla Revelação que nós hoje temos). Desde o início da criação que pronomes plurais e verbos são usados e aplicados a Deus (Génesis 1:27, 3:2, 11:7, Isaías 6:8). Até a própria palavra "Elohim" (traduzida para "Senhor" cerca de 4,000 vezes), é a forma plural da palavra "Senhor". indicando mais do que Uma Pessoa. Logo, o Deus assim revelado pela Bíblia Hebraica é Uma Trindade, e Alá não é uma trindade. Logo, o Deus da Bíblia Hebraica não é o Alá do Alcorão.




[ed: Embora o conceito da Trindade não estivesse tão entendido na altura, os Judeus já tinham uma ideia da Pluralidade Pessoal dentro da Essência Divina:




"O Ancião dos Dias tem três cabeças. Ele revela-Se através de três arquétipos, todos eles formando Um só. Ele é, portanto, simbolizado pelo número Três. Eles revelam-Se Um no Outro. [Estes são] primeiro, a "Sabedoria", secreta, oculta. Acima vem o Santo Ancião; acima Dele, o Incognoscível. Ninguém sabe o que Ele contém; Ele está acima de todas as concepções." (Zohar, iii. 288b).]




Para além disso, o Santo de Israel revelou-Se a Moisés sob o Nome de YAHWEH, e este é o Nome pelo Qual Ele será conhecido pelas gerações (Êxodo 3:14-15). Mas o nome pessoal do deus do Alcorão não é YAHWEH mas Alá. (...) Logo, Alá não é o Santo de Israel, tal como afirma o Alcorão, e consequentemente, o Alcorão não foi revelado pelo Deus que Revelou a Bíblia Hebraica.




4 – Alá deriva da mitologia pagá.




Alá era a divindade principal das 360 divindades adoradas pelos árabes pagãos antes do advento do islamismo. Ele era também adorado na área onde viviam os pais de Maomé. De facto, o nome literal de Maomé em arábico era "Abd Allah" [escravo/servo de Alá]. O nome do seu tio era "Obred Allah". A influência pagã dentro da família de Maomé fazia-se sentir não só no nome da divindade, mas também em muitas tradições islâmicas que são, literalmente, cópias das tradições pagãs!




A família de Maomé, tal como a maior parte da Arábia pré-islâmica, curvava-se em direcção a Meca cinco vezes por dia. Isto era feito em sinal de reverência ao deus lunar adorada na Kaaba. Eles também jejuavam, iniciando na lua crescente e durante um mês, práctica literalmente indistinguível da tradição conhecida como Ramadão. Até o símbolo islâmico colocado no topo de todas as mesquitas e em todas as bandeiras - a lua crescente - deriva directamente do símbolo que o ramo de paganismo existente na Arábia usava. Isto é uma evidencia muito forte de que esta práctica mais não é do que uma práctica pagá reciclada.




É por isso que o deus que os maometanos adoram e seguem chama-se Alá (o deus maior da tribo de Maomé), e é também por isso que a maior parte da tradições muçulmanas são tradições practicadas pela tribo de Maomé. Estas prácticas islâmicas são evoluções culturais, mas qualquer significado mais profundo tem que ser atribuído aos aderentes originais do sistema, nomeadamente, os pagãos.




5 – Alá não pode ser Deus porque o Senhor Jesus é Deus.







Durante as últimas décadas os historiadores têm tentado desenvolver um retrato histórico acertado à cerca de Jesus de Nazaré. Na sua tentativa de o fazer, eles confirmaram muitas alegações Bíblicas. Os historiadores chegaram a um consenso em torno destas 5 alegações Bíblicas:

A crucificação

O túmulo de José de Arimateia

A descrição Bíblica do túmulo vazio.

A experiência de vários grupos de que Ele os apareceu com vida depois da Sua morte

Os discípulos acreditavam fortemente na Sua ressurreição e estavam dispostos a morrer por esta crença.

Alguns destes factos, tais como a narrativa da crucificação, contradizem de forma clara os ensinamentos do Alcorão, mas a explicação mais lógica é a de que Deus ressuscitou o Senhor Jesus dos mortos, confirmando a Mensagem Cristã.




Créditos: http://perigoislamico.blogspot.com.br/2014/01/5-evidencias-de-que-ala-nao-e-o-deus-da.html#sthash.PwkYZFwO.dpuf




Posted: 20 Feb 2014 07:13 AM PST


Foi Maomé possuído por demónios?




"Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema." Gálatas 1:8




Por Frontline Apologetics







Os maometanos alegam que o anjo "Gabriel" revelou o Alcorão a Maomé através de visitações angelicais. No entanto, se formos a ler o próprio material islâmicos, algumas questões invariavelmente surgem:




1. Durante estas visitas alegadamente "angélicas", porque é que Maomé pensava que ele estava possuído, chegando ao ponto de tentar por diversas vezes o suicídio como forma de se aliviar?




2. Porque é que Maomé exibiu os sinais clássicos de possessão demoníaca em oposição às "normais" visitas angélicas tal como descritas no Noto Testamento, também supostamente revelado por Alá (Sura 5:47)?




Estes sinais e traços demoníacos são normalmente mencionados na Bíblia bem como em outros textos ocultistas e textos da Nova Era. O Apóstolo Paulo escreve em Gálatas 1:8 "Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema."




Qualquer pessoa que alegasse ter recebido revelação Divina ou angelical que contradiz o Evangelho de Jesus Cristo como Senhor e Salvador, segundo a Bíblia, essa pessoa é falsa e está sob uma maldição. Para além disso, eis o que a Bíblia diz da fonte dos falsos ensinamentos e das falsas revelações, "dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demónios" (1 Timóteo 4:1). E diz ainda:




Ele [Satanás] foi homicida desde o princípio, e não se firmou na verdade, porque não há verdade nele. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso, e pai da mentira. - João 8:44




Características da possessão demoníaca na Bíblia comparada com o comportamento de Maomé




Na Bíblia, sempre que há uma revelação angelical dada ao homem, não há uma única instância onde o anjo invade ou possui o individuo, colocando o homem sob o controle total do anjo. Há várias ocasiões onde os homens recebem a visitação duma anjo (Lucas 2:9-20, Mateus 28:1-7, Actos 10:1-7, Daniel 10:4-21) ou a visitação de Deus (Isaías 6, Actos 9:3-9, Actos 9:10-16, Actos 10:9-16) mas nenhum dos indivíduos é tomado fisicamente, e controlado de forma a que ele fique incapacitado de agir segundo a sua vontade.




Certamente que não há qualquer parte da Bíblia onde Deus possui uma pessoa de modo a que ela 1) caia num transe ou em coma, 2) fique incapacitada de se comunicar, 3) seja fisicamente prejudicada, 4) espume da boca 5) faça grunhidos e sons de forma descontrolada, 6) fique com tendências suicidas.




Existem, por outro lado, várias descrições de actividade demoníaca, onde um espírito imundo entre dentro dum indivíduo causando a que ele exiba certas características notavelmente semelhantes com as que Maomé exibia sempre que ele estava sob a influência de "Gabriel".




[Nas passagens que se seguem, a verde estão as fontes islâmicas e a azul a Palavra de Deus.]




Habitação ou Possessão [demoníaca].




"E de facto e olhei para ele enquanto a revelação descia sobre ele num dia extraordinariamente frio; e depois ele deixou-o enquanto a sua sobrancelha estava coberta de suor." (Mishkat IV, page 360)




"Mas Paulo, perturbado, voltou-se, e disse ao espírito: Em nome de Jesus Cristo, te mando que saias dela. E na mesma hora saiu." Actos 16:18




Espumando da Boca. "




Depois dum ataque de tremores e depois de ter fechado os seus olhos, abatia-se sobre ele [Maomé] algo parecido com um desmaio, e a sua cara espumava e ele rugia como um pequeno camelo." (mizanul MizanuŸl Haqq, page 345)




"E trouxeram-lho; e, quando e O viu, logo o espírito o agitou com violência, e, caindo o endemoninhado por terra, revolvia-se, escumando." Marcos 9:20




Gritando ou Gemendo.




"...abatia-se sobre ele . . . e ele rugia como um pequeno camelo." (mizanul MizanuŸl Haqq, page 345)

"Eis que um espírito o toma, e de repente clama, e o despedaça até escumar" Lucas 9:39




Causando danos físicos.




"O anjo agarrou-me (à força) e pressionou-me com tanta força que eu já não conseguia aguentar. Ele libertou-me e disse-me outra vez para ler, ao que eu disse "Eu não sei como ler". Ele voltou a pegar em mim e pressionou-me uma segunda vez até eu não poder mais. Ele libertou-me e disse-me outra vez para ler, ao que eu voltei a responder, "Eu não sei ler" "ou o que é que eu tenho que ler?" Ele agarrou-me pela terceira vez e voltou a pressionar-me. Depois libertou-me." (Sahih Bukhari 1,1,3)




"E, quando vinha chegando, o demónio o derrubou e convulsionou; porém Jesus repreendeu o espírito imundo, e curou o menino, e o entregou a seu pai." Lucas 9:42




"E, saindo ele do barco, lhe saiu logo ao seu encontro, dos sepulcros, um homem com espírito imundo . . . E andava sempre, de dia e de noite, clamando pelos montes, e pelos sepulcros, e ferindo-se com pedras. . . . Porque lhe [o Senhor Jesus] dizia: Sai deste homem, espírito imundo." Marcos 5:2,5,8




A Bíblia também não tem incidente algum onde um homem visitado por um anjo de Deus o confunde com um anjo demoníaco. Desde o seu primeiro encontro com "Gabriel" que Maomé sentiu que estava possuído por um demónio. Para além disso, ele reconheceu e entendeu os seus sintomas como sendo de origem demoníaca visto que ele estava preocupado que alguém visse o seu comportamento e chegasse à mesma conclusão. (Ele temia se acusado de estar possuído e de seguir demónios).




"Temo começar a ser um mágico, antes que alguém proclame que eu sou um seguidor do Jinn (espírito)" e outra vez "Temo que haja loucura" (ou possessão demoníaca) "em mim" (mizanul MizanuŸl Haqq, page 345)




Obviamente que ele estava assustado, e chegou a confessar à sua esposa Khadija o medo que tinha dele poder até estar possuído por um espírito maligno. . . . Acometido de pânico, Maomé levantou-se e perguntou-se a ele mesmo, "O que foi que eu vi? Será que a possessão demoníaca que eu tanto temia finalmente aconteceu?" . . . . Quando ele ficou mais calmo, olhou para Khadija como alguém que precisava de ser salvo e disse, "Oh, Khadija, o que aconteceu comigo?" Ele contou à sua esposa que temia que a sua mente o tivesse traído por fim, e que ele se havia tornado num vidente ou num homem possuído. (Haykal, The Life of Muhammad, p.73-75)




"Cobre-me cobre-me!" Eles cobriram-no até que o seu medo acabasse; depois dele ter dito tudo o que lhe tinha acontecido, ele disse, "Temo que algo tenha acontecido comigo" Sahih Bukhari 1,1,3




Maomé estava com tanto medo que foram precisas outras pessoas para lhe dizerem que o que ele tinha visto não era um demónio. É interessante notar a diferença entre as visitações angélicas relatadas na Bíblia e as visitações que ocorreram ao "profeta" do islão: Maomé rapidamente notou que ele estava ou tinha estado possuído enquanto que as visitações Bíblicas deixaram os visitados com um enorme sentido de santidade, temor, e terror devido à sua natureza pecadora na presença de tal ser (Lucas 2:9-20, Mateus 28:1-7, Revelação 19:10, Revelação 22:8-9).




Maomé foi agredido de forma violenta, ficou a temer pela sua vida, e colocou a hipótese de estar possuído depois de ter tido um encontro com "Gabriel".




A Natureza das "revelações" de "Gabriel" a Maomé




Há muitas situações onde o Alcorão afirma que os Evangelhos revelados previamente foram dados por Alá. Para além disso, o Alcorão diz aos Cristãos para fazer julgamentos com base no que Alá "lhes revelou"




"Ó vocês que acreditam! Acreditarão em Alá e nos seu mensageiro, e nas escrituras que ele revelou ao seu mensageiro, e na escritura que ele revelou antes desta última" Sura 4:136

E depois deles (profetas), enviamos Jesus, filho de Maria, corroborando a Tora que o precedeu; e lhe concedemos o Evangelho, que encerra orientação e luz, corroborante do que foi revelado na Tora e exortação para os tementes. Sura 5:46




Que os adeptos do Evangelho julguem segundo o que Deus nele revelou, porque aqueles que não julgarem conforme o que Deus revelou serão depravados. Sura 5:47




Dize: Ó adeptos do Livro, em nada vos fundamentareis, enquanto não observardes os ensinamentos da Tora, do Evangelho e do que foi revelado por vosso Senhor! Porém, o que te foi revelado por teu Senhor, exacerbará a transgressão e a incredulidade de muitos deles. Que não te penalizem os incrédulos. Sura 5:68




Os Evangelhos e todas as Escrituras do Novo Testamento têm a Revelação da verdadeira Natureza e carácter de Deus, a Boa Nova do Senhor Jesus como Deus que tomou a carne Humana, vivendo uma vida que todos nós deveríamos viver, dando a Sua vida como sacrifício para os pecados do Seu povo, ressuscitando dos mortos triunfante sobre a morte, e ascendendo ao céu onde está à Direita do Pai, de onde Ele intercede por nós.




Se Maomé iria receber revelação angelical que alegaria que o que havia sido revelado previamente era da parte de Alá, e prosseguisse instruindo os Cristãos para manter os Evangelhos e julgar de acordo com eles, seria de pensar que a revelação Alcorânica que Maomé recebeu por parte de "Gabriel" estivesse de acordo com as verdades listadas nos Evangelhos. Mas não está. De facto, as revelações de "Gabriel" contradizem e debilitam os Evangelhos de todas as formas possíveis e imaginárias. As alegadas revelações de Maomé




1. Negam a Natureza Triuna de Deus (sura 4:171), enquanto que a Natureza Triuna de Deus está bem patente nos Evangelhos (Mateus 3:16-17)




2. Nega que Alá seja pai de alguém (4:171) enquanto que a Paternidade de Deus está bem visível nos Evangelhos (Mateus 3:17, João 2:22-23)




3. Negam que o Senhor Jesus tenha sido Crucificado (4:157-158), enquanto que YHWH deixa bem claro que Ele enviou o Senhor Jesus para que Ele fosse sacrificado como parte do expiação (Marcos 15:21-41)




Porque é que "Gabriel" iria dar revelações contraditórias a Maomé se supostamente Alá havia revelado previamente tais verdades imutáveis? Nenhum dos 3 pontos listados em cima podem ser reconciliados visto que eles contém alegações contraditórias sobre a Natureza e o plano de Deus. Para além disso, o Próprio Senhor Jesus declarou o caminho para a Salvação em João 14:6:




Disse-lhes Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por Mim.




Pode Deus ter uma Natureza contraditória? Pode Ele ser Triuno em Natureza mas depois negar isso mesmo mais tarde? Pode Ele alegar ser o Pai, mas negar isso mesmo mais tarde? Pode Deus alegar ficar satisfeito em oferecer o Seu Filho para remissão dos pecados do Seu povo, mas negar isso mesmo mais tarde? Só se Ele for um mentiroso e um enganador. Isto não é possível com o Deus Verdadeiro, mas faz parte da natureza de Satanás enganar as pessoas desta forma:




Deus não é homem, para que minta; nem filho do homem, para que se arrependa: porventura diria ele, e não o faria? ou falaria, e não o confirmaria? - Números 23:19

Ele foi homicida desde o princípio, e não se firmou na verdade, porque não há verdade nele; quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso, e pai da mentira. João 8:44




À luz destes pontos mencionados em cima, é quase certo que Maomé foi na verdade, possuído por um demónio por várias vezes, e recebeu um falso evangelho e ensinamentos falsos. Para além disso, ele exibiu muitos traços clássicos de possessão e a revelação que ele recebeu contradiz e contém alegações de verdade inconciliáveis em relação à Natureza de Deus. (...)




AMADOS, não creiais a todo o espírito, mas provai se os espíritos são de Deus, porque já muitos falsos profetas se têm levantado no mundo. Nisto conhecereis o Espírito de Deus: Todo o espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne é de Deus; E todo o espírito que não confessa que Jesus Cristo veio em carne não é de Deus; mas este é o espírito do anticristo, do qual já ouvistes que há-de vir, e eis que está já no mundo. 1 João 4:1-3.




Créditos: http://perigoislamico.blogspot.com.br/2014/02/foi-maome-possesso-por-demonios.html#sthash.BRDexqct.dpuf




Comentário nosso: é essa a "religião que adora o mesmo Deus único", conforme o Catecismo da Igreja Católica, do Papa João Paulo II, e os desatinos do clero pós-conciliar?



You are subscribed to email updates from Confraria de São João Batista

To stop receiving these emails, you may unsubscribe now. 

Email delivery powered by Google 


Google Inc., 20 West Kinzie, Chicago IL USA 60610 

Nenhum comentário:

Apoio




_

Immaculata mea

In sobole Evam ad Mariam Virginem Matrem elegit Deus Filium suum. Gratia plena, optimi est a primo instanti suae conceptionis, redemptionis, ab omni originalis culpae labe praeservata ab omni peccato personali toto vita manebat.

Cubra-me

'A Lógica da Criação'


Jesus, oculto na Hóstia, é tudo para mim




“Se não fosse a Santa Comunhão, eu estaria caindo continuamente. A única coisa que me sustenta é a Santa Comunhão. Dela tiro forças, nela está o meu vigor. Tenho medo da vida, nos dias em que não recebo a Santa Comunhão. Tenho medo de mim mesma. Jesus, oculto na Hóstia, é tudo para mim. Do Sacrário tiro força, vigor, coragem e luz. Aí busco alívio nos momentos de aflição. Eu não saberia dar glória a Deus, se não tivesse a Eucaristia no meu coração.”



(Diário de Santa Faustina, n. 1037)

Ave-Maria

A Paixão de Cristo