Banner

Jesus Início

Início


Visitas



addthis

Addrhis

Canal de Videos

Maria



Rio de Janeiro

Santa Sé






sábado, 21 de dezembro de 2013

ADHT: Defesa Hetero








Posted: 20 Dec 2013 05:27 PM PST

Pastor Silas Malafaia comemora "sepultamento" do PL 122 e Jean Wyllys lamenta; Veja lista dos senadores que votaram pelo fim do projeto


Publicado por Tiago Chagas em 18 de dezembro de 2013 



Após o apensamento do projeto de lei 122/2006 ao projeto do Novo Código Penal por parte dos senadores, o consenso geral entre favoráveis e contrários é de que a proposta da ex-deputada federal Iara Bernardi foi "sepultada".


Através do Twitter, o pastor Silas Malafaia – um dos líderes evangélicos que mais se opôs ao PL 122 – comemorou abertamente a conquista e agradeceu o empenho dos parlamentares da bancada evangélica, como o senador Magno Malta (PR-ES), que influenciou a tomada de decisões dos demais parlamentares.


"PLC 122 acaba de ser enterrado no Senado. A Deus seja a glória. Parabéns aos senadores Renan Calheiros, Magno Malta, Lindberg Farias e outros. Não adianta chorar ou xingar o PLC 122 foi para o 'espaço'. Nada de privilégios para ninguém. Homo, hetero, religioso ou não, lei é pra todos [...] Vitória do povo de Deus que esta aprendendo a usar os direitos da cidadania.Valeu o bombardeio de emails para os senadores. Ainda tem mais [...] 7 anos de lutas incluindo processos, calúnias, difamação e etc. Vitória da família, bons costumes e da criação pela qual Deus fez o homem. Ainda tem muita coisa que precisamos estar atentos. São mais de 800 projetos no Congresso para destruir os valores cristãos. o vão nos calar", escreveu o pastor em seu perfil.

Pastor Silas Malafaia comemora fim do PL 122 e Jean Wyllys lamenta.htm


O "sepultamento" do PL 122 se deu através de um requerimento apresentado pelo senador Eduardo Lopes (PRB-RJ), que diante da falta de consenso a respeito do projeto, propôs que o debate sobre as propostas do texto fossem incluídas nas discussões do Novo Código Penal, que o Senado vem elaborando com a consultoria de juristas renomados.


Entretanto, as propostas mais radicais do PL 122, que eram consideradas privilégios aos ativistas gays – tiveram um destino definitivo com a aprovação de um requerimento de Magno Malta que exclui os termos "gênero", "identidade de gênero", "identidade sexual" ou "orientação sexual" do Novo Código Penal e dos parágrafos relativos ao preconceito.


No Twitter, o ativista gay e deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) queixou-se do final que o PL 122 teve no Senado, e atacou as lideranças evangélicas que lutaram pela reprovação do projeto enquanto ele tramitou. "Lamento a aprovação do requerimento do senador Eduardo Lopes (PRB-RJ) que apensa o PLC 122 ao projeto de reforma do Código Penal. Apesar do pedido de votação nominal feito pelos senadores Suplicy e Randolfe, não foi suficiente para superar os votos favoráveis. Na prática, isto significa o enterro definitivo de uma luta de 12 anos desde que o PLC 122 começou a tramitar no Congresso. As minhas críticas e questionamentos ao PLC são públicas, mas sempre defendi sua aprovação, mesmo achando necessário um debate mais amplo. Defendo porque a derrota desse projeto seria uma vitória do preconceito e dos discursos de ódio. Contudo, infelizmente, o que aconteceu hoje é o final de uma 'crônica de uma morte anunciada'. Longe de promover um debate sério, a bancada governista cedeu à chantagem dos fundamentalistas, como o gov. Dilma tem feito desde o início. Cada novo substitutivo do projeto, cada nova alteração, cada novo adiamento significou um retrocesso. Foi tanto o que cederam (para garantir o 'direito' dos fundamentalistas a pregar o ódio) que do PLC-122 original só restava o título. E foi esse título que enterraram hoje!", disse Wyllys.


O ex-BBB afirmou que, na Câmara, tentará mudar o texto do Novo Código Penal para incluir novamente as propostas "sepultadas" com o PL 122 e com o requerimento de Magno Malta: "A comissão responsável pelo projeto do Código Penal aprovou o relatório do senador Pedro Tarques, relatório que exclui as referências a "gênero", "identidade de gênero", "identidade sexual" ou "orientação sexual", acatando as emendas de Magno Malta, senador publicamente conhecido por se opor ao reconhecimento da cidadania para a população LGBT. Estamos atentos e alertas para quando o projeto do Código Penal chegar à Câmara, já estudamos a apresentação de uma proposta mais ampla. Proposta esta que enfrente de maneira sistêmica os crimes discriminatórios! Proposta esta que garanta políticas públicas e ferramentas legais de proteção contra todas as formas de discriminação! Proposta esta que também promova a educação para o respeito à diversidade!", escreveu o deputado federal.


A lista


O apensamento do PL 122 ao projeto do Novo Código Penal não foi aprovado por unanimidade. O então relator do projeto na Comissão de Direitos Humanos do Senado, Paulo Paim (PT-RS) emitiu parecer contrário à proposta de Eduardo Lopes, e pediu votação nominal como forma de pressionar os colegas a votarem contra.


No entanto, a proposta do senador Eduardo Lopes foi aprovada por 29 votos favoráveis, 12 contrários e 2 abstenções – entre elas, a do senador Walter Pinheiro (PT-BA), evangélico, e apontado por Jean Wyllys como um dos que mobilizaram grande influência contra o PL 122.

Veja abaixo, a lista dos senadores que votaram contra e a favor do "sepultamento" do PL 122:




VOTARAM A FAVOR UF/PARTIDO




Alfredo Nascimento AM/PR 

Aloysio Nunes SP/PSDB

Álvaro Dias PR/PSDB 

Ana Amélia RS/PP 

Blairo Maggi MT/PR 

Cassio Cunha Lima PB/PSDB 

Cícero Lucena PB/PSDB 

Cristovam Buarque DF/DF 

Cyro Miranda GO/PSDB 

Eduardo Lopes RJ/PRB 

Eunício Oliveira CE/PMDB 

Flexa Ribeiro PA/PSDB 

Jader Barbalho PA/PMDB 

João Durval BA/PDT 

João Vicente Claudino PI/PTB 

José Agripino RN/DEM 

Lindberg Farias RJ/PT 

Magno Malta ES/PR 

Mozarildo Cavalcanti RR/PTB 

Paulo Bauer SC/PSDB 

Pedro Taques MT/PDT 

Ricardo Ferraço ES/PMDB 

Rodrigo Rollemberg DF/PSB 

Ruben Figueiró MS/PSDB 

Sérgio Petecão AC/PSD 

Sérgio Souza PR/PR 

Vital do Rêgo PB/PMDB 

Waldemir Moka MS/PMDB 

Wilder Morais GO/DEM 





VOTARAM CONTRA






NOME UF/PARTIDO

Ana Rita ES/PR
Antônio Carlos Rodrigues SP/PRAntônio 
Carlos Valadares SE/PSBEduardo Suplicy SP/PTJoão Capiberibe AP/PSB


Jorge Viana AC/PTLídice da Mata BA/PSBPaulo Davim RN/PVPaulo Paim RS/PTPedro Simon RS/PMDBRandolfe Rodrigues AP/PSOLRoberto Requião PR/PMDB



ABSTENÇÃO



NOME UF/PARTIDO
José Pimentel CE/PTVanessa Grazziotin AM/PCdoB



























Por Tiago Chagas, para o Gospel+



Posted: 20 Dec 2013 05:23 PM PST

20 de dezembro de 2013









Jean Wyllys: PLC 122 virou "tiro pela culatra"?
Depois de lamentar o enterro do PLC 122, deputado supremacista gay afirma que, com ajuda do senador Pedro Taques, novo Código Penal criminalizará de modo mais "eficaz" a chamada "homofobia"


Julio Severo


O deputado supremacista gay Jean Wyllys, que havia publicamente lamentado o "enterro" do PLC 122, mudou de ideia. Agora ele diz que o PLC 122 virou "tiro pela culatra."





  • Jean Wyllys


Em comentário público de Facebook, ele diz: "Diz a sabedoria popular que há males que vêm para bem, e é verdade. Conversei quarta à tarde com o senador Pedro Taques e seu relatório do Código Penal incorporará as proposições do PLC 122, apensado a ele! Não só isso. Apensado ao Código Penal, o PLC 122 talvez combata as violências homofóbicas de modo ainda mais pontual e eficaz!"


Wyllys acrescentou: "Taques garantiu que seu relatório apontará para a criminalização… das ofensas à honra motivados por homofobia! Assim, talvez tenha sido melhor para o PLC 122 ter sido apensado ao Código Penal. O tiro terá saído pela culatra da arma dos canalhas!"


"Ofensas à honra motivadas por 'homofobia'"? O que ele quer dizer? Se ativistas gays chamarem um pastor ou padre de "nazista" ou "canalha," eles serão imediatamente enquadrados no crime de ofensa à honra?


Não. Jamais foi a intenção de Wyllys criminalizar os habituais xingamentos e obscenidades de sua turma aos cristãos. Que tipo de opiniões e expressões ele então enquadraria como "ofensa à honra"?


Será que chamar a homossexualidade de "repugnante" também se enquadra em ofensa? Então, o maior Ofensor que já existiu é Deus, que diz:


"Não se deite com um homem como quem se deita com uma mulher; é repugnante." (Levítico 18:22 NVI)


"Repugnante" aí significa também "nojento" e "abominável." Incorrendo no risco legal — do ponto de vista de Wyllys — de ofender a "honra" dos homossexuais, ladrões e outros, Deus diz em Sua Palavra:


"Não sabeis que os injustos não herdarão o Reino de Deus? Não vos deixem enganar: nem imorais, nem idólatras, nem adúlteros, nem os que se entregam a práticas homossexuais de qualquer espécie, nem ladrões, nem avarentos, nem viciados em álcool ou outras drogas, nem caluniadores, nem estelionatários herdarão o Reino de Deus." (1 Coríntios 6:9-10 KJA)


Quem citar o que Deus disse nesses versículos será enquadrado no "crime de ofensa à honra" por causa dos homens que veem "honra" nas práticas homossexuais?


Para não ofender a "honra" do homossexualismo, pastores e padres não mais poderão pregar que os que vivem em práticas homossexuais não herdarão o Reino de Deus?





Do perfil de Facebook de Jean Wyllys em 19 de dezembro de 2013


Confiando nas garantias que o senador Pedro Taques lhe deu de que o novo Código Penal tratará com mais dureza os que ofenderem a "honra" do homossexualismo, Wyllys se gabou:


"Preparem-se pra luta! Os que cometem crimes motivados por homofobia, sejam religiosos fundamentalistas ou não, não gozarão de impunidade para sempre!"


O monstrengo fétido chamado PLC 122 já foi enterrado. Mesmo Wyllys reconheceu e lamentou isso. Para quê desencavá-lo? Para cheirar mais mau ainda?


Quanto ao senador Taques e suas garantias ao Wyllys, é hora do povo, que enterrou o PLC 122 e ganhou vitoriosamente esta batalha, entender que haverá outras batalhas para vencer.


Como pode Taques dar garantias que ameaçam a família brasileira? Será que os brasileiros que o elegeram são todos homossexuais como Wyllys? Se não são, precisam ser informados das conversas do senador com o deputado do BBB.


Talvez tudo o que Wyllys disse sobre o senador não passe de esnobismo e falatório vazio.


Seja como for, através das urnas ou manifestações, Wyllys e Taques precisam ser pressionados pelos eleitores, pois eles não têm o direito de tratar a honra da família brasileira como se tivesse menos importância do que a suposta "honra" das nojentas práticas de quem optou pelo homossexualismo, e ninguém deveria sofrer ameaças do Estado por expressar publicamente o que a Bíblia ou a própria medicina diz sobre a nocividade dessas práticas.


Preparemo-nos para as novas batalhas, deixando claro para Wyllys que não aceitaremos sua ditadura homoerótica sobre o Brasil. Quanto ao senador Pedro Taques, se ele deu ou não garantias ao deputado supremacista gay, ele precisa prestar contas aos seus eleitores e esclarecer ao Brasil se ele está do lado da ditadura de Wyllys ou do lado da livre expressão da família brasileira.




Leitura recomendada:














Sobre Jean Wyllys:












ADENDO ADHT: Escreva para o Senador Pedro Taques mostrando-lhe as grandes mentiras deste Deputado Gay assumido. Esperamos que o Senador Pedro Taques tenha o bom senso de ser equilibrado e não "entrar de gaiato" nas jogadas de Jean Wyllys. Não deixe de escrever para ele, alertando-o. Obrigado, ADHT - Defesa Hetero. 



You are subscribed to email updates from ADHT: DefesaHetero.org

To stop receiving these emails, you may unsubscribe now. 

Email delivery powered by Google 


Google Inc., 20 West Kinzie, Chicago IL USA 60610 

Nenhum comentário:

Apoio




_

Immaculata mea

In sobole Evam ad Mariam Virginem Matrem elegit Deus Filium suum. Gratia plena, optimi est a primo instanti suae conceptionis, redemptionis, ab omni originalis culpae labe praeservata ab omni peccato personali toto vita manebat.

Cubra-me

'A Lógica da Criação'


Jesus, oculto na Hóstia, é tudo para mim




“Se não fosse a Santa Comunhão, eu estaria caindo continuamente. A única coisa que me sustenta é a Santa Comunhão. Dela tiro forças, nela está o meu vigor. Tenho medo da vida, nos dias em que não recebo a Santa Comunhão. Tenho medo de mim mesma. Jesus, oculto na Hóstia, é tudo para mim. Do Sacrário tiro força, vigor, coragem e luz. Aí busco alívio nos momentos de aflição. Eu não saberia dar glória a Deus, se não tivesse a Eucaristia no meu coração.”



(Diário de Santa Faustina, n. 1037)

Ave-Maria

A Paixão de Cristo