Banner

Jesus Início

Início


Visitas



addthis

Addrhis

Canal de Videos

Maria



Rio de Janeiro

Santa Sé






segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Temos uma Assistência Divina








-





















Viver em Deus





















É importante falar de Deus, das coisas de Deus, sem tirar os pés do mundo, pois estamos nele, embora que, não sejamos dele. O Viver em Deus, fala de Deus, dos fatos da Igreja, do meio cristão católico, fazendo também a apresentação de obras de outros sites católicos, o que, aqui, mais se evidencia, no intuito de divulgação e conhecimento dos mesmos. UM BLOG A SERVIÇO DA IGREJA DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. Sejam todos bem - vindos!
















A Igreja é a coluna, sustentáculo (mestra) da verdade – 1º Tim 3,15




Para uma melhor visualização, abra o zoom de sua tela em 75%, ou de acordo com o seu encaixe































SEGUNDA-FEIRA, 28 DE OUTUBRO DE 2013






Veritatis



“Eis que estou convosco até o consumar-se dos séculos”. Esta promessa que serve de feixe ao evangelho de S. Mateus, assegura a presença ativa de Jesus aos poderes de magistério e de governo.


Presença invisível — pois corporalmente Jesus está na glória — porém eficaz; presença constante, que vence o tempo. Presença que não se substitui aos pastores, mas antes vem ampará-los perenemente.


Todos os membros da hierarquia de jurisdição, quando desempenham suas funções pastorais, jamais se encontram sós. Jesus lhes está ao lado, iluminando, guiando, sustentando, a fim de que não se perca o rebanho, ou se desgarre, ou demande pastagens venenosas.


Do grande texto de S. Paulo aos Efésios (4, 11-16), colhemos que: l9 o próprio Cristo instituiu os Apóstolos, evangelistas, pastores e doutores; 2′ eles edificam, sob Cristo, o Corpo Místico, dão-lhe coordenação e unidade; 3′ o influxo constante da Cabeça, deriva-se aos membros por meio das “junturas de comunicação”, que são os pastores.


À providência especial que envolve a dupla função de magistério e governo (irmanada pelos antigos sob o termo “jurisdição”), denominam os teólogos de assistência.


A fim de melhor lhe aquilatar a natureza, não será ocioso contrastar poder de ordem (sacerdócio) e poder de jurisdição (magistério e governo).


O sacerdote, ao administrar os sacramentos, também não está só; todavia, ele age então como puro instrumento do Sumo Sacerdote. Precisamente por estar em continuidade quase física com Cristo — sendo atuado por Ele — o seu poder de ordem produz, de modo infalível, o efeito sobrenatural. Batizando, absolvendo, o padre não é de modo algum causa da graça que abrolha na alma do pagão ou do penitente. Há uma só causa da graça, Cristo. E’ ele quem batiza ou absolve, por seu ministro. O poder de ordem, por isso mesmo, não requer “assistência” especial; é infalível de per si. Sei que se eu pronunciar corretamente as pa¬lavras da consagração, com a devida intenção, o Corpo e o Sangue de Cristo estarão infalivelmente sobre o altar, por isso que, naquele momento, o Sumo Sacerdote repete, por meus lábios, as palavras que pronunciou durante a última Ceia.


Ao contrário, os pastores da Santa Igreja, quando ensinam ou governam, agem como verdadeiras causas, se bem que subordinadas a Cristo. O instrumento não opera por virtude própria; vem-lhe a atividade, da causa que o move; enquanto a causa subordinada age por virtude própria, embora necessite o influxo da causa principal, como condição de sua atividade (O leitor, para concretizar, poderá imaginar como exemplo de instrumento: a pena de escrever; e, como exemplo de causa subordinada: o procurador, agindo em nome do seu constituinte).


O Papa, ainda quando usa de seu poder de jurisdição o mais divino, definindo a fé, julga pessoalmente da oportunidade da definição, fá-la preceder de investigações para averiguar a crença da Igreja, escolhe a formulação que dará à verdade, etc.


Vemos assim que a Cabeça do Corpo Místico exerce sobre ele um duplo influxo. O primeiro é intrínseco, vitalizante: a comunicação de sua santidade pela graça. Serve-se então de homens ungidos com o poder de ordem, como de instrumentos pelos quais passa sua ação sobrenatural de Sumo Sacerdote. O segundo, extrínseco, ensinando e dirigindo, serve-se também de homens, mas como de causas subordinadas a quem delega algo de seu poder de Sumo Pastor, para que amestrem as inteligências e governem as vontades. Por isso mesmo, neste último caso, é indispensável uma garantia contra o erro: “a assistência”.


O Papa, os Bispos reunidos em concílio, são, como pessoas privadas, falíveis — pois são homens; — só conseguirão declarar, com absoluta autenticidade, a verdade evangélica, na medida em que Deus os amparará, os “assistirá”.


Mas como conceituar, com exação, esse auxílio? E’ um “carisma”, a saber: um socorro ou influxo especial do Espírito San¬to, que visa não já a santificação pessoal do beneficiário, mas a utilidade da comunidade cristã. Concretamente, terá por finalidade permitir à Igreja docente, de desempenhar a missão em que foi investida por seu chefe: conservar e explicar o depósito revelado, governar sabiamente o rebanho de Cristo. Tal carisma revestirá a forma ora de iluminação, ora de discernimento prudente, ora de fortaleza, ora de caridade heróica, etc.


Certos teólogos atribuem à “assistência” uma virtude puramente negativa: não pactuar com o erro. Outros, mais avisados, adscrevem-lhe também um efeito positivo: iluminar, fazer des-cobrir a verdade evangélica, ajudar a traduzi-la fielmente, etc.


O sumo grau da “assistência” é a garantia absoluta dada ao Papa, falando “ex cathedra”; ao Concílio geral, definindo em união ao Papa. Embora seja de índole positiva, não deve ser concebida à guisa de nova revelação; nada descobre de verdadeiramente desconhecido; faz apenas ver e expressar, com fidelidade, o que já se encontrava — quiçá implicitamente — no depósito revelado. O Magistério eclesiástico, já foi dito, não passa de mensageiro, arauto, da revelação. “Embaixador” de Cristo, diz S. Pau¬lo (2 Cor 5, 20).


Definiu o Concílio do Vaticano que a assistência infalível se estende ao ensinamento das verdades a crer, como da moral a praticar (cf. Denz. 1839). Sem esse carisma logo se deturparia a Revelação, e a Igreja descambaria na completa anarquia de crenças e de costumes. Prova-o, sobejamente, a história do protestantismo.


Se o Senhor prometeu, como prometeu, que estaria sempre com a sua Esposa, e que as forças infernais não prevaleceriam contra ela, é absolutamente necessário que seja amparada, por Deus, a fragilidade humana.


Todavia, a Igreja não se limita a conservar e explicar a doutrina revelada sobre a fé e os costumes. Deve ainda guiar praticamente a seus filhos, nas diversas conjunturas da vida, para que evitem o erro e o mal, abracem a verdade e o bem. Donde a longa série de leis, regulamentos, disposições, preceitos, conselhos, de que falamos. Variará o grau de “assistência” do Espírito Santo, segundo o alcance dessas iniciativas.


Em certos casos de importância extrema, as decisões serão propriamente infalíveis. Por exemplo: é de todo impossível que a Igreja latina se tenha enganado quando “por graves e justas causas” decidiu distribuir a sagrada comunhão sob uma só espécie (cf. Denz. 935).


Possível é o erro, em compensação, no que se refere a decisões menos importantes e gerais. Porém, ainda aqui devemos crer que a “assistência” divina não falta. As diretivas eclesiásticas serão acertadas, o mais das vezes. Já aludimos a certa “infalibilidade global”, entendendo por aí que o governo da Igreja é de tal forma dirigido pelo Espírito Santo que, em conjunto, leva ao estabelecimento do Reino de Deus sobre a terra, em que pesem os muitos enganos ou deficiências pessoais deste ou daquele hierarca.


A crença na “assistência” do Espírito Santo, confere a nossa obediência de fiéis, um caráter religioso. Obedecendo aos pastores, obedecemos ao Espírito que os constitui Bispos, para governarem a Igreja de Deus (At 20, 28).


Mas podem errar? — Seja. Em última análise, Deus saberá tirar o bem do mal. De qualquer forma foi Deus servido permitir aquele erro. Se o Superior enganou-se, entrava nos desígnios de Deus que ele se enganasse, pois Deus age sobre os acontecimentos através de instrumentos humanos, logo falíveis. Deus liga a sua ação no mundo, naquele momento dado, à decisão’ deste superior particular. Logo essa decisão nos traz a vontade de Deus, sempre boa. Daí, a serenidade perfeita do cristão fervoroso, em presença de certas medidas legislativas ou disciplinares, que se lhe afiguram menos acertadas. Quando Pio XI, por exemplo, repudiou os erros da. Action française, não fazia uso do carisma da infalibilidade. Numerosos franceses, embora julgassem a iniciativa pontifical menos feliz, obedeceram entretanto ao Pai comum, por espírito de fé e docilidade filial. Consolavam-se, pensando que a Providência saberia, de qualquer maneira, salvaguardar os interesses supremos da sua pátria.
De pouco valeria, houvesse Cristo confiado a sua Igreja dogma profundo e sublime moral, se ela malograsse na aplicação cotidiana desse dogma e dessa moral; se não conseguisse praticamente afastar seus filhos do mal e encaminhá-los ao bem.


por Dr. Pe. Maurílio Teixeira Leite Penido 


Título Original: A Assistência Divina


Link Original: http://www.veritatis.com.br/teologia/teologia-dogmatica/1354-a-assistencia-divina



Site: Veritatis
Editado por Henrique Guilhon

Poderá também gostar de:

Editado por Henrique Guilhon



Marcadores: Catequese, Doutrina, Formação, Reflexão


Reações: 


Nenhum comentário:




Postar um comentário





Links para esta postagem






TRADUTOR
Selecione o idioma



RADIO BEATITUDES







UTILIDADE PÚBLICA - DESAPARECIDOS



SEGUINDO




SEGUIDORES NO GOOGLE+







TEMAS

Aconteceu (33)
Alerta (50)
Anjos (36)
Biografia (12)
Bíblia (92)
Catequese (140)
Doutrina (327)
Formação (457)
Idolatria (26)
Igreja (273)
Jovem (109)
Maria (150)
Notícia (256)
Reflexão (456)
Salmos (22)



MENSAGEM












Irmão(ã) católico(a)Tire suas dúvidas sempre dentro da sua Igreja. Faça pesquisa neste blog. Não encontrando a resposta, procure em outro site católico, jamais em outro que não o seja. Saiba sempre que a Igreja católica é coluna (Mestra) da verdade (1º Tim.3,15), pela própria vontade de Jesus: “Quando ele vier, o Espírito da Verdade, vos guiará em “toda” a verdade”. (Jo. 16,13)




































VISITANTES NO MUNDO




VISUALIZAÇÕES EM GERAL
106541



POSTAGEM POPULAR - AS MAIS LIDAS NA ÚLTIMA SEMANA

Catequese e Bíblia Queridas (os) catequistas apresento-lhes uma sugestão para a formação de nossas crianças no Sacramento da Eucari...

Mais uma vez tenho a triste, mas honrosa missão de desmascarar aqueles que se dizem "enviados por Deus" nos dias de hoje; nã...

Canção Nova “A presença do demônio está na primeira página da Bíblia e a Bíblia acaba também com a presença do demônio, com a vitó...

Foto: Farol de Notícias Pregador evangélico acusado de abusar sexualmente de criança de 7 anos em Serra Talhada já está preso Cati...

Cléofas Continuando Avaliação da figura de Lutero Martinho Lutero é certamente um dos personagens que mais influiram no cur...

Foto: Photodune AciDigital Ao receber na manhã de ontem os participantes da 21ª Assembleia Plenária do Pontifício Conselho para a ...

Mons. Jonas Abib Jesus compara aquele povo às ovelhas, e o nosso povo também está como ovelhas sem pastor, perdido, machucado, desp...

As Mentiras do Apocalipse Protestante Alguns sites heréticos totalmente demoníacos pregam por ai que os pais da Igreja Católica Apos...

Cléofas Parte I A Reforma protestante, embora amplamente preparada, surgiu na história quase de repente; parecia tratar-se,...

Nos Passos de Maria A devoção a Nossa Senhora de La Salette é oriunda da França, no século XIX. Nossa Senhora apareceu a doi...




POSTAGEM POPULAR - AS MAIS LIDAS NOS ÚLTIMOS 30 DIAS

Mais uma vez tenho a triste, mas honrosa missão de desmascarar aqueles que se dizem "enviados por Deus" nos dias de hoje; nã...

Catequese e Bíblia Queridas (os) catequistas apresento-lhes uma sugestão para a formação de nossas crianças no Sacramento da Eucari...

Catia Não deixem de assistir, a nova pilantragem adventista: Título Original: Cris Macabeus pergunta aos lunáticos adventi...

Apologistas Católicos 10 partes Introdução No dia 03 de Março de 2012, foi publicado aqui no site o artigo “São Jerônimo r...

Cássio José: Blog 100% Católico Título Original: Como refutar os ataques protestantes sobre a Idolatria Link Original: http...

Bíblia Católica 1.Salmo de Davi, quando fugia de Absalão, seu filho.2.Senhor, como são numerosos os meus perseguidores! É uma tur...

Kelen Galvan Da Redação Canção Nova Especiais Papa Papa Francisco destaca três aspectos que a vida de São Francisco ensina: a rela...

André Silva O PROTESTANTISMO É UMA CONTRADIÇÃO SEM SOLUÇÃO PARA PROTESTANTES E EVANGÉLICOS =================================...

Dicionário da Fé Calúnia protestante: “As Imoralidades dos Papas O testemunho da história não favorece a Igreja e muitos pap...

Arquivo Clube Canção Nova Outubro é um mês muito especial, pois celebramos o Dia de Nossa Senhora Aparecida , a Padroeira do Brasil...




ALGUNS SITES CATÓLICOS







· CNBB





















































· Zenit






PESQUISE COM PALAVRA-CHAVE OU NOME DO ARTIGO




SIGA POR EMAIL




"TUDO POR JESUS, NADA SEM MARIA"
"Deus juntou todas as águas e fez o mar; Deus juntou todas as graças e fez Maria". São Luís Maria Grignion de Montfort, por Ir. Kelly Patrícia, na canção "E Deus fez Maria"






CAMPANHA DOAR JMJ




SÃO MIGUEL ARCANJO, PROTETOR DA IGREJA, PRÍNCIPE DA MILÍCIA CELESTE, ROGAI POR NÓS
São Miguel Arcanjo, defendei-nos neste combate...






ARTIGOS

2013 (462)
Outubro (30)
Setembro (41)
Agosto (42)
Julho (47)
Junho (42)
Maio (49)
Abril (48)
Março (54)
Fevereiro (51)
Janeiro (58)
2012 (745)
2011 (200)





Estudem sobre a Igreja, o seu Catecismo e a Escritura Sagrada. Formem-se católicos. A Igreja de Cristo, por vontade de Deus, é fonte de sabedoria e verdadeira riqueza. Ela nos dá Jesus Eucarístico, a Fonte por excelência.



VOCÊ JÁ LEU A BÍBLIA HOJE?




CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA




CÓDIGO DE DIREITO CANÔNICO




DICIONÁRIO




SIGA-ME TWITTER



MENSAGEM DE ALERTA






Irmão(ã) visitante.

Jamais clique em alguma mensagem que você ver neste site, dizendo que você é o visitante de número tal, que foi premiado, para que você reivindique tal prêmio. É sabido que essas mensagens transmitem vírus, porém, alguém poderá imaginar que, sendo este site um veículo cristão, tal mensagem seja verdadeira, quando de fato não é. Esteja portanto prevenido contra essas ocorrências.









TEMAS




COMPARTILHE




VEJA











Algumas TVs Católicas



REDE CANÇÃO NOVA




REDE SÉCULO XXI




REDE VIDA




REDE APARECIDA




REDE NAZARÉ







“E quando quiserem nos calar, Deus falará de outro jeito”

Henrique Guilhon


843 Dias online
1407 Postagens 
112 comentários










ARTIGOS EM SÉRIE














Uma refutação sobre um programa de TV - "A História do Papado"

















Não achando na bíblia a Sola Scriptura, protestantes tentam agora usar os pais da Igreja




















A refutação de que os católicos adulteraram os escritos de São Cipriano







































































































































































Modelo Picture Window. Tecnologia do Blogger.





Nenhum comentário:

Apoio




_

Immaculata mea

In sobole Evam ad Mariam Virginem Matrem elegit Deus Filium suum. Gratia plena, optimi est a primo instanti suae conceptionis, redemptionis, ab omni originalis culpae labe praeservata ab omni peccato personali toto vita manebat.

Cubra-me

'A Lógica da Criação'


Jesus, oculto na Hóstia, é tudo para mim




“Se não fosse a Santa Comunhão, eu estaria caindo continuamente. A única coisa que me sustenta é a Santa Comunhão. Dela tiro forças, nela está o meu vigor. Tenho medo da vida, nos dias em que não recebo a Santa Comunhão. Tenho medo de mim mesma. Jesus, oculto na Hóstia, é tudo para mim. Do Sacrário tiro força, vigor, coragem e luz. Aí busco alívio nos momentos de aflição. Eu não saberia dar glória a Deus, se não tivesse a Eucaristia no meu coração.”



(Diário de Santa Faustina, n. 1037)

Ave-Maria

A Paixão de Cristo