Banner

Jesus Início

Início


Visitas



addthis

Addrhis

Canal de Videos

Maria



Rio de Janeiro

Santa Sé






sexta-feira, 22 de novembro de 2013

ACI Novembro 22 - 2013

Documento sin título










NOTÍCIAS DIÁRIAS · www.acidigital.com 










22 de novembro de 2013 







PETRÓPOLIS, 22 Nov. 13 (ACI) .- Todos os interessados em participar na décima primeira edição do Concurso de contos “Histórias de Natal” já podem fazer a sua inscrição. A iniciativa, que tem por objetivo resgatar o sentido cristão da festa do Natal, é do Centro de Estudos Culturais (CEC-Brasil) e se divide em em três categorias: crianças, jovens e adultos. As inscrições seguem até o dia 29 de novembro.



SUGERIMOS HOJE:

FAÇA PARTE DA NOSSA REDE NO FACEBOOK

SIGA AS NOSSAS NOTÍCIAS ATRAVÉS DO TWITTER



MANCHETES DO DIA 











VATICANO 
Francisco aos filipinos: Rezem a "oração do por quê" para que o Pai do céu olhe por vocês 
Papa reza pelas vítimas do deslizamento de terras na ilha de Sardenha 

BRASIL 
Já estão abertas as inscrições para o XI Concurso de contos “Histórias de Natal” 

MUNDO 
Minorias como os cristãos sofrem ameaças no mundo inteiro destaca intelectual muçulmana 
Ninguém sabe o que pode acontecer na República Centro-Africana, alerta sacerdote missionário 
Religiosas peruanas levam alívio para as vítimas do tufão nas Filipinas 
Cardeal das Filipinas: Vemos surgir fé e amor entre as ruínas 





Católico em Dia 



Evangelho: 





Santo ou Festa: 



Um pensamento: 

Quando atendemos aos doentes, levamos o bom odor de Cristo.

Santa Rosa de Lima 













VATICANO 









VATICANO, 22 Nov. 13 (ACI/EWTN Noticias) .- O Papa Francisco reuniu-se na tarde de ontem na Basílica de São Pedro com a comunidade filipina de Roma e os alentou a não deixarem a "oração do por quê" para atrair os olhos de Deus, o olhar do "Pai do céu" diante da dor e do sofrimento que provocou o tufão que atingiu faz uns dias ao país asiático e que provocou a morte de milhares de pessoas.

O Santo Padre dirigiu umas sentidas palavras aos presentes e agradeceu ao Arcebispo de Manila, Cardeal Luis Antonio Tagle, pelo seu olhar de esperança. "Nestes dias, também eu estive muito próximo do vosso povo e senti que a provação era forte, muito forte! Mas também senti que o povo era forte! Aquilo que disse o Cardeal é verdade: a fé surge das ruínas. A solidariedade de todos no momento da provação".

"Por que acontecem estas coisas? Não se pode explicar. Há tantas coisas que nós não podemos compreender. Quando as crianças começam a crescer não entendem as coisas e começam a fazer perguntas ao pai ou à mãe: ‘Pai, por quê? Por quê? Por quê?’. Os psicólogos o chamam a idade dos ‘porquês’ porque a criança não entende… Mas se nós estivermos atentos, veremos que a criança não espera a resposta do seu pai ou da sua mãe: outro porquê e outro porquê".

O Papa Francisco disse logo que "a criança precisa naquela insegurança que o seu pai e a sua mãe olhem por ele. Precisa dos olhos dos seus pais, precisa do coração dos seus pais. Nestes momentos de tantos sofrimentos não se cansem de dizer: ‘Porquê?’, como as crianças. E assim atrairão os olhos do nosso Pai sobre o seu povo, atrairão a ternura do Pai do céu sobre vocês. Como a criança faz quando pergunta: ‘Por quê? Por quê?’".

"Nestes momentos de dor, que esta força seja a oração mais útil: a oração do ‘por quê’. Mas sem pedir explicação, somente pedir que nosso Pai olhe por nós. Também eu vos acompanho, com esta ‘oração do por quê’", concluiu.

O encontro do Santo Padre com os filipinos aconteceu por ocasião da bênção do mosaico que representa a São Pedro Calungsod (1654-1672), catequista católico filipino, mártir, proclamado santo por Bento XVI em 21 de outubro de 2012.

Logo depois da cerimônia de bênção da imagem do mártir filipino, realizou-se uma Celebração eucarística presidida pelo Cardeal Luis Antonio Tagle, Arcebispo de Manila.

voltar ao início | comentar a notícia | arquivo


VATICANO, 22 Nov. 13 (ACI/EWTN Noticias) .- O Substituto da Secretária de Estado do Vaticano, Arcebispo Angelo Becciu, no funeral pelas vítimas da inundação ocorrida na segunda-feira na Ilha de Sardenha, (Itália), recordou que o Papa Francisco "está espiritualmente presente entre nós para compartilhar vossa angústia, para convidar todos a terem esperança sem caírem no desespero".

O Arcebispo assinalou que o chamado à esperança que faz o Pontífice é também "para desejar que o respeito pela natureza e o cuidado necessário da terra possam evitar tragédias devastadoras similares no futuro" e ressaltando que o Santo Padre anima as instituições a permanecerem comprometidas na ajuda.

O funeral foi realizado na cidade sarda de Olbia. O Arcebispo, ao finalizar a cerimônia, expressou que "como filho desta terra, me uno com profundo afeto à oração pelo eterno descanso destes irmãos e irmãs arrancados de suas famílias por uma morte cruel".

Além disso, assinalou que o Papa "confia todas as pessoas e famílias envolvidas nesta prova tão dolorosa à Virgem da Bonaria, para que através de sua intercessão materna o Senhor seque as lágrimas e acalme todas as feridas".

voltar ao início | comentar a notícia | arquivo


BRASIL 









PETRÓPOLIS, 22 Nov. 13 (ACI) .- Todos os interessados em participar na décima primeira edição do Concurso de contos “Histórias de Natal” já podem fazer a sua inscrição. A iniciativa, que tem por objetivo resgatar o sentido cristão da festa do Natal, é do Centro de Estudos Culturais (CEC-Brasil) e se divide em em três categorias: crianças, jovens e adultos. 

Os primeiros colocados de cada categoria ganham tablets da Samsung. Os cinco primeiros de cada categoria também ganham certificado e clássicos da literatura universal. 

A cada ano Histórias de Natal, que tem como objetivo principal a recuperação do sentido original do Natal, coloca algum tema em destaque, que deve ser levado em consideração na composição do conto. O tema deste ano é “O Natal e a alegria que brota da Fé”, inspirado no Ano da Fé e na primeira Encíclica do Papa Francisco, a Lumen Fidei. 

Segundo Martín Ugarteche Fernández, diretor do Centro de Estudos Culturais (CEC) no Brasil, organizador do concurso: “O Natal é ocasião privilegiada para recuperar a alegria de crer, que é um dos objetivos do Ano da Fé. Ao mesmo tempo, quando nos alegramos por crer, este é um sinal de que estamos avançando, amadurecendo na Fé, como nos lembra o Papa Francisco na sua primeira encíclica”. 

Centenas de pessoas das diversas regiões do Brasil participam ano a ano no Concurso. Os contos poderão ser inscritos até o dia 1 de dezembro de 2013 e a premiação acontecerá em Petrópolis, Rio de Janeiro, no dia 19 de dezembro de 2013, data em que serão divulgados os vencedores. 

São parceiros do Centro de Estudos Culturais na realização do Concurso: a Prefeitura Municipal de Petrópolis, a Universidade Católica de Petrópolis, o Movimento de Vida Cristã, a Academia Petropolitana de Letras, a Associação Nacional da Educação Católica e a Secretaria Estadual de Educação. 

Link para vídeo de convocação: 



voltar ao início | comentar a notícia | arquivo


MUNDO 









LONDRES, 22 Nov. 13 (ACI/EWTN Noticias) .- "De continente em continente os cristãos enfrentam a discriminação, a marginalização, a tortura, inclusive o assassinato, simplesmente por causa da própria fé", advertiu a perita muçulmana em liberdade religiosa, a baronesa britânica Sayeeda Warsi.



"Atualmente existem lugares no mundo onde ser cristão é colocar a própria vida em perigo", assinalou a Baronesa em uma entrevista ao jornal inglês Daily Telegraph detalhando que "a Cristandade está extinguindo-se em lugares onde existiu por gerações".



Disse que não "vale nada" promulgar leis que protejam a liberdade religiosa sem que exista um apoio por parte de outros países do mundo no contexto cultural.



"Quero pedir uma cruzada de fé, uma cruzada continental que se una a este tema procurando uma resposta que não seja sectária", quer dizer, "se uma bomba explodir em uma Igreja no Paquistão não deve repercutir apenas nas comunidades cristãs, mas deve agitar também o mundo inteiro".



Neste diálogo com o jornal inglês realizado em 14 de novembro, a perita muçulmana mencionou que um de cada dez cristãos vive em um país onde a religião é minoria, onde, por sua vez, a sua presença diminui, como no caso do Iraque que em 1990 viviam 1.2 milhões de cristãos e atualmente vivem 200 mil.



Em outra entrevista concedida no dia seguinte à BBC Radio 4, a baronesa disse que a comunidade internacional precisa construir uma política que aceite normas que protejam a liberdade religiosa como uma direito humano.



"Precisamos falar e apresentar esta situação nos países onde acontecem estas coisas", exortou, e mencionou que existiram momentos nos quais "as comunidades religiosas estiveram em conflito, mas também tiveram grandes momentos de convivência entre elas".



O Arcebispo de Westminster e Primado da Igreja Católica na Inglaterra e Gales apoiou as declarações de Warsi e afirmou à BBC que realmente "se enfrentam verdadeiros desafios para apoiar e acompanhar os cristãos destas partes do mundo, inclusive para fazer com que os políticos entendam que a presença dos cristãos representa frequentemente um fator de mediação entre os diferentes segmentos do Islã".



Mas esta realidade não é só no oriente médio, cabe ressaltar que no continente europeu, o relatório por crimes de ódio realizado em 2012 e publicado no último dia 15 de novembro pela Organização para a Segurança e Cooperação na Europa, assinala que os crimes de ódio baseados em religião e raça na parte ocidental do continente, eram uma mostra da intolerância social e restrições legais contra as práticas cristãs, além dos crimes antissemitas, anti-muçulmanos, e outras expressões de discriminação por motivos religiosos.

voltar ao início | comentar a notícia | arquivo


ROMA, 22 Nov. 13 (ACI) .- O Pe. Aurelio Gazzera, carmelita que trabalha em Bozoum (República Centro-Africana), alertou que a situação no país é tensa e que ninguém sabe o que pode ocorrer, embora tenha expressado as suas dúvidas de que aconteça um genocídio, tal como advertiu nesta quinta-feira o ministro das relações exteriores francês, Laurent Fabius.

"O termo seja talvez excessivo, mas é verdade que a tensão é tão alta que não se sabe como a situação evoluirá", indicou à agência Fides.

O sacerdote disse que a violência é mais forte na capital Bangui, onde "há quase três semanas, todos os dias, em bairros diferentes, se verificam tiroteios, homicídios, confrontos de todo o tipo".

No último mês de março, a guerrilha islâmica Seleka tomou o poder na República Centro-Africana logo depois de cruentos combates. A persistência da violência fez com que o Secretário Geral da ONU, Ban Ki-moon, peça o posicionamento de 9.000 navios; enquanto a França espera que o Conselho de Segurança emita uma resolução no início de dezembro.

"Voltei há pouco de Bangui e a sensação geral é que está sendo preparada uma intervenção externa que está preocupando os membros de Seleka", indicou o missionário.

Por sua parte, fontes militares francesas informaram que um navio da Marinha Nacional está navegando para Camarões, levando a bordo reforços para as tropas francesas já posicionadas na Rep. Centro-Africana. Além disso, os membros da ONU declararam sua disposição para apoiar sanções contra os responsáveis por crimes contra a população civil na República Centro-Africana e anunciaram o envio de 40 milhões de dólares a favor da força de paz africana enviada ao país.

"Em Bozoum, a situação está levemente melhor, mas a tensão permanece alta porque se temem ataques das milícias anti-Balaka (que combatem contra os ex-rebeldes Seleka que tomaram o poder em março). Além disso, os homens de Seleka estão muito agitados", acrescenta o missionário. "Estamos nos preparando para os eventos, inclusive intensificando os contatos com os muçulmanos para tentar evitar que não se verifiquem incidentes entre os vários membros da população local", concluiu.

voltar ao início | comentar a notícia | arquivo


LIMA, 22 Nov. 13 (ACI/EWTN Noticias) .- A comunidade de consagradas Servas do Plano de Deus, com presença nas Filipinas, dedicou-se a levar alívio e ajuda para as vítimas do tufão Haiyan que passou pelo país.

No fim de semana passado, junto com voluntários do Movimento de Vida Cristã (MVC), as irmãs Carmen Reyes, Keyla Basurto, Daniela Ruiz, do Peru e duas irmãs das Filipinas, foram às localidades de Medellin, São Remigio e Bantayan, ao norte de Cebu, a cinco horas do lugar onde se encontra a sua comunidade, levando catequese para os adultos, jovens e crianças, distribuíram mantimentos, além de centenas de terços e santinhos.

"Pudemos conversar com eles, escutar suas histórias, consolá-los e confortá-los, recebiam com muita alegria a ajuda e estavam muito agradecidos porque sabiam que Deus não os tinha abandonado", recordou a irmã peruana Carmen Reyes.

A religiosa assegurou que "a experiência deste fim de semana foi gratificante: ver o povo filipino rezando com voz firme e, convencido que Deus vai escutar, foi algo impressionante e muito comovedor".

As Servas do Plano de Deus indicaram que "em nenhum momento escutamos que se queixassem por causa da tragédia, mas, pelo contrário, nos deram uma lição de fé e esperança a todos".

Atualmente, as religiosas se encontram acompanhando centenas de habitantes de Tacloban que foram transladados a lugares de refúgios temporários em Cebu.

Destacaram algumas histórias que as comoveram de forma especial, como o caso de "Rogelio Himongala, de 50 anos, que tem dois de seus três filhos desaparecidos. Chegou a Cebu em uma embarcação da marinha, e nos conta que tentou refugiar-se durante o tufão em uma zona alta e afastada do mar. Entretanto, neste mesmo lugar tiveram que romper o teto devido à inundação para salvar suas vidas".

"Outra senhora, Crecencia Uy, é consolada por uma das irmãs já que perdeu um dos seus filhos, que morreu junto com toda a sua família", indicaram.

As Servas do Plano de Deus são uma comunidade de mulheres consagradas a Deus, fundadas na Arquidiocese de Lima, por Luis Fernando Figari em 1998.

Vivem a plena disponibilidade para o anúncio gozoso do Evangelho e a vivência intensa da caridade, de maneira predileta com os irmãos e irmãs que sofrem, os frágeis, doentes, pobres e necessitados buscando descobrir neles o rosto de Cristo.

A comunidade em Cebu (Filipinas) fundou-se faz 10 anos, enquanto que também têm presença em diversos países da América, Europa e África.

voltar ao início | comentar a notícia | arquivo


ROMA, 22 Nov. 13 (ACI/EWTN Noticias) .- "Vemos destruição, ruínas em todas as partes, mas vemos também fé e amor surgindo destas ruínas, e isto nos faz pessoas mais fortes. Quero agradecer a todos: ao Santo Padre, às madres e às irmãs que estão fora do país, porque se lembraram de nós e porque tentam fazer o possível para vir em nossa ajuda. Em nome das vítimas e dos pobres, agradecemos-lhes, verdadeiramente!", expressou emocionado o Cardeal Luis Antonio Tagle, Arcebispo de Manila (Filipinas), em uma entrevista com a Rádio Vaticano.

O Cardeal agradeceu, entre lágrimas, todos os que estão fazendo esforços para ajudar as populações afetadas nas Filipinas pelo devastador tufão Haiyan.

"Acho que não sou o único que digo que cada vez que vemos as imagens da destruição ficamos sem palavras. Ainda precisamos nos recuperar do ‘choque’ emotivo e psicológico. Nós, que estamos aqui em Manila, e nas zonas que não foram afetadas tão gravemente como outras, ao ver as imagens ficamos sem palavras e não posso imaginar o que está passando pelas mentes e pelos corações dos que se encontram lá".

"Sinto-me profundamente consolado ao ver e escutar testemunhos de fé, sobretudo por parte das mesmas vítimas".

O Arcebispo disse que "também as Igrejas locais nessas zonas sofreram muitas perdas. Então, a maior parte da ajuda que a Igreja deu não vem dessas dioceses, mas do exterior", e destacou a grande solidariedade por parte dos leigos católicos: "esta é uma fonte de grande consolo e força".

Antes deste tufão, recordou o Cardeal, "tivemos um terremoto que afetou à parte central do país, muito perto de Leyte e Samar, as ilhas afetadas pelo tufão. Nossa reflexão continua por esta linha: vemos a destruição, ruínas em todas as partes, mas vemos também fé e amor surgindo dessas ruínas, e isto nos faz mais fortes".

voltar ao início | comentar a notícia | arquivo






PARA CANCELAR A ASSINATURA O INSCREVER UM AMIGO, PREENCHA O FORMULÁRIO AQUI
COMENTÁRIOS OU PERGUNTAS A acidigital@acidigital.com


Nenhum comentário:

Apoio




_

Immaculata mea

In sobole Evam ad Mariam Virginem Matrem elegit Deus Filium suum. Gratia plena, optimi est a primo instanti suae conceptionis, redemptionis, ab omni originalis culpae labe praeservata ab omni peccato personali toto vita manebat.

Cubra-me

'A Lógica da Criação'


Jesus, oculto na Hóstia, é tudo para mim




“Se não fosse a Santa Comunhão, eu estaria caindo continuamente. A única coisa que me sustenta é a Santa Comunhão. Dela tiro forças, nela está o meu vigor. Tenho medo da vida, nos dias em que não recebo a Santa Comunhão. Tenho medo de mim mesma. Jesus, oculto na Hóstia, é tudo para mim. Do Sacrário tiro força, vigor, coragem e luz. Aí busco alívio nos momentos de aflição. Eu não saberia dar glória a Deus, se não tivesse a Eucaristia no meu coração.”



(Diário de Santa Faustina, n. 1037)

Ave-Maria

A Paixão de Cristo