Banner

Jesus Início

Início


Visitas



addthis

Addrhis

Canal de Videos

Maria



Rio de Janeiro

Santa Sé






sexta-feira, 29 de novembro de 2013

[Catolicos a Caminho] NOVEMBRO MÊS DAS ALMAS (29) BEM-AVENTURANÇA DO CÉU Som !

 












  • NOVEMBRO, MÊS DAS ALMAS!




Na Bem-aventurança do Céu seremos como anjos !
Chama-se Bem-aventurança do Céu à perfeita felicidade possuída pelas almas que estão no Céu, devido à visão beatífica ou visão de Deus. Cada alma no Céu, em razão da luz da glória, goza de uma infinita visão de Deus ; por esta razão, o desejo das almas é completa e perfeitamente realizado.






(29) - BEM-AVENTURANÇA DO CÉU (29-XI-2007)






A Bem-aventurança do Céu consiste, não apenas na visão de Deus, mas também na posse de outras coisas, como a libertação da doença e da morte, e como os dons do Corpo Glorioso, que S. Paulo descreve assim :

- "Assim também é a ressurreição : Semeia-se na corrupção e ressuscita-se na incorrupção. Semeia-se na ignomínia e ressuscita-se na glória. Semeia-se na fraqueza e ressuscita-se na força. Semeia-se corpo natural e ressuscita-se corpo espiritual". (1 Cor. 15,42-43).

Desde o primeiro século que a Igreja tem desenvolvido esta doutrina revelada sobre as qualidades do corpo ressuscitado dos justos.

A estas qualidades se deram os seus próprios nomes técnicos de, Impassibilidade, Claridade, Agilidade e Subtileza.

* Impassibilidade. Quer dizer que o corpo ressuscitado dos justos não mais poderá sofrer, isto é, ter dores de qualquer espécie.

Uma temperatura gelada não afectaria o corpo glorioso.

Nem a intensidade da luz e do calor, nem as forças da natureza poderiam ferir o corpo glorioso.

Uma vez que não mais haverá morte, também não haverá nenhuma das suas causas, isto é, a doença e a corrupção corporal.

* Claridade. Significa que o corpo glorificado será como o sol brilhante segundo as próprias palavras de Cristo a respeito do Filho do Homem:

- "Então os Justos resplandecerão como o Sol no reino de Seu Pai. Aquele que tem ouvidos, que oiça". (Mt. 13,43).

O Salvador manifestou por semelhança que a nossa Claridade é como a Sua transfiguração no "Cimo do Monte":

- "Seis dias depois, Jesus tomou consigo Pedro, Tiago e João, e levou-os em particular, a um alto monte. Transfigurou-Se diante deles : o Seu rosto resplandeceu como o Sol e as Suas vestes tornaram-se brancas como a luz". (Mt. 17,1-2).

A Claridade, todavia, não é igual para todos os corpos glorificados, não é da mesma intensidade.

Todos os corpos depois da ressurreição final serão impassíveis, mas o seu resplendor será diferente de pessoa para pessoa, como nos diz S. Paulo :

- "Um é o resplendor do Sol, outro o da Lua, e outro o das Estrelas; e uma estrela difere da outra em resplendor. Assim é também a ressurreição dos mortos". (1 Cor. 15,41).

* Agilidade. É a qualidade do corpo glorioso pela qual ele está livre das imposições materiais que teve cá na terra, e pode deslocar-se com a maior facilidade e rapidez, segundo a sua vontade.

Foi o que S. Paulo quis ensinar quando disse que os nossos corpos foram semeados na fraqueza, mas ressuscitarão na força no último dia.

* Subtileza. Corresponde ao que S. Paulo chamou um corpo espiritual.

Sem deixar de ser material, está envolvido no espaço e é perceptível aos sentidos.

O corpo glorificado estará completamente sob o controlo do espírito.

Será absolutamente obediente ao espírito.

Se dermos uma olhadela mais profunda sobre o fundamento destas maravilhosas qualidades do corpo glorificado, veremos que elas emanam da visão da alma, face-a-face com Deus.

A visão beatífica, ou Bem-aventurança do Céu, significa exactamente isso : ela beatifica, isto é, torna a alma humana perfeitamente feliz por estar em união com a Santíssima Trindade.

Mas beatifica também o corpo e a alma no indescritível gozo, por possuir directamente as três Pessoas da Divindade infinita.

Uma mais estreita observação do estado do corpo glorificado, permite-nos responder a algumas questões que nos podem acudir ao pensamento, como por exemplo :

- Em que é que se comparam os corpos glorificados com os corpos que tivemos na terra ?

A mais completa resposta na tradição cristã, é-nos dada em três capítulos da Cidade de Deus de Santo Agostinho.

Eis apenas algumas passagens :

* "É compreensível que não pode morrer apenas uma parte do corpo, porque ficaria o resto do corpo disforme...A beleza do corpo consiste na proporcionalidade de todas as partes, juntamente com uma certa cor e boa aparência.

Quando não existem as devidas proporções, o todo desagrada à nossa vista, porque alguma coisa é muito pequena ou muito grande.

Consequentemente, não haverá disformidade por falta de proporções, quando o que estava mal foi corrigido e quando o que era defeituoso se foi aperfeiçoando de harmonia com o que o nosso Criador providenciou nesse sentido.

Tudo o que é excessivo, será removido sem a destruição da integridade da substância...

Na ressurreição da carne, o corpo terá as mesmas medidas que tinha já atingido ou viria a atingir na Flor da sua Juventude, e deverá gozar das belezas que se podem usufruir da simetria e das proporções de todos os membros. (Cidade de Deus III, 19-21).

Pois segundo Santo Agostinho, o corpo terá as medidas que tinha já atingido, ou viria a atingir na Flor da sua Juventude.

Ora vamos supor que a Flor da nossa Juventude, se situa entre os 25 e os 30 anos, ou na idade em que Cristo começou a sua vida pública.

Embora não haja nada revelado sobre o assunto, Santo Agostinho parece dar-nos a entender que :

* Os que morrerem velhos, ressuscitarão com a idade da Flor da Juventude, vinte e cinco - trinta anos.

* Os que morrerem mais novos, a partir do momento em que foram concebidos, ressuscitarão com o corpo que teriam na Flor da sua Juventude, se a tivessem podido atingir, os 25 - 30 anos.

Uma conclusão fácil e lógica se pode tirar de tudo o que deixou escrito Santo Agostinho:

* No Céu não haverá lugar para os fetos, para os velhos ou crianças, nem para aqueles que durante a vida eram de qualquer forma diminuídos, porque no Céu, a felicidade de todos é perfeita.

Os diminuídos que nunca foram capazes de ofender a Deus, fazem parte dos eleitos.

A Bem-aventurança do Céu, está, portanto, muito para além de tudo quanto nós possamos imaginar, pelo que o Catecismo da Igreja Católica nos ensina:

1027. - Este mistério de comunhão bem-aventurada com Deus e com todos os que estão em Cristo ultrapassa toda a compreensão e toda a representação. A Sagrada Escritura fala-nos por imagens : vida, luz, paz, banquete de núpcias, vinho do Reino, casa do Pai, Jerusalém celeste, paraíso : o que "nem os olhos viram, nem os ouvidos escutaram, nem jamais passou pelo pensamento do homem, o que Deus preparou para aqueles que O amam"(l Cor.2,9).

Nunca será em vão todo o qualquer esforço ou sacrifício que fizermos para nos tornarmos dignos da Bem-Aventurança do Céu, bem como tudo o que fizermos em sufrágio pelas Almas do Purgatório.

Foi isso o que tentámos fazer durante todo este mês de Novembro, consagrado às Almas do Purgatório.



John
Nascimento



















__._,_.___






Atividade nos últimos dias:




Para cancelar sua assinatura deste grupo, envie um e-mail para:
catolicosacaminho-unsubscribe@yahoogroups.com








Trocar para: Só Texto, Resenha Diária • Sair do grupo • Termos de uso













.


__,_._,___

Nenhum comentário:




_

Immaculata mea

In sobole Evam ad Mariam Virginem Matrem elegit Deus Filium suum. Gratia plena, optimi est a primo instanti suae conceptionis, redemptionis, ab omni originalis culpae labe praeservata ab omni peccato personali toto vita manebat.

Cubra-me

'A Lógica da Criação'


Jesus, oculto na Hóstia, é tudo para mim




“Se não fosse a Santa Comunhão, eu estaria caindo continuamente. A única coisa que me sustenta é a Santa Comunhão. Dela tiro forças, nela está o meu vigor. Tenho medo da vida, nos dias em que não recebo a Santa Comunhão. Tenho medo de mim mesma. Jesus, oculto na Hóstia, é tudo para mim. Do Sacrário tiro força, vigor, coragem e luz. Aí busco alívio nos momentos de aflição. Eu não saberia dar glória a Deus, se não tivesse a Eucaristia no meu coração.”



(Diário de Santa Faustina, n. 1037)

Ave-Maria

A Paixão de Cristo