Banner

Jesus Início

Início


Visitas



addthis

Addrhis

Canal de Videos

Maria



Rio de Janeiro

Santa Sé






terça-feira, 26 de novembro de 2013

Ciência confirma a Igreja Prêmio Nobel de Medicina: não há explicação para os milagres de Lourdes




Ciência confirma a Igreja





Posted: 24 Nov 2013 11:30 PM PST





Dr. Luc Montagnier, do Instituto Pasteur de Paris

Prêmio Nobel de Medicina em 2008



Um dos pontos em que se pretende jogar a ciência contra a religião é a problemática do milagre.




E o caso de Lourdes é o que deixa mais perplexa a uma certa ciência eivada de preconceitos anti-religiosos e/ou anti-católicos.




Um Prêmio Nobel de Medicina, descobridor do vírus do HIV, causador da AIDS, ele próprio agnóstico, foi a Lourdes, participou de um encontro científico sobre os milagres atribuídos à "água milagrosa", e ficou sem o que dizer.




Ele reconheceu que a ciência não tem meios de explicar os milagres lá cientificamente constatados após longa discussão e análise.




Mas, não dá o braço a torcer. Sobre o caso, reproduzimos a seguir um post extraído do blog "Lourdes e suas aparições":




O bacteriólogo Luc Montagnier, Prêmio Nobel de Medicina de 2008, participou no primeiro colóquio científico internacional organizado pelo Santuário de Lourdes nos dias 8 e 9 de junho de 2012, segundo informou o jornal "La Croix" de Paris. 




Entrevistado naquela ocasião por "La Croix", o biólogo que é agnóstico declarado, reconheceu que nos milagres de Lourdes "existe algo inexplicável". 




A guisa de esclarecimento do que ele não consegue explicar, disse: "pode se imaginar que as doenças podem ser curadas de uma forma diversa da que a medicina conhece no momento presente".




Essa forma que a medicina não compreende e que maravilha aos estudiosos é o que se chama "milagre". Mas, o agnóstico professor pena a tirar esta última consequência, entretanto, tão sensata, até linguisticamente.







Prêmio Nobel de Medicina: em Lourdes "existe algo inexplicável"


Não é o primeiro cientista que tenta achar alguma causa material. Neste blog temos citado muitos deles que analisaram a água em épocas diversas e de pontos de vista diferentes.




Montagnier veio assim a atualizar as investigações físico-químicas sobre a "água milagrosa" de Lourdes, acrescentando sua grande autoridade em virologia.




O Prêmio Nobel reconheceu na entrevista que a medicina não tem dados para explicar os milagres de Lourdes. 





Ele disse: "alguns fenômenos inexplicáveis podem acontecer. Doentes que estavam desenganados passam a viver muitos anos. Eu não tenho explicação neste momento".




O cientista ficou surpreso constatando a ausência de elementos científicos que expliquem essas curas que entretanto são — eis o paradoxo — cientificamente verificadas: "no entanto sabemos muito pouco. As recuperações milagrosas de Lourdes são muito raras, mas são reconhecidas".




"Eu tento achar explicações racionais para toda cura e eu sei que tal vez não conseguirei. Há coisas que permanecem sem explicação até o dia de hoje e tal vez serão explicáveis", pela ciência, obviamente, acrescentou Montagnier. 




Montagnier afirma não excluir nada, diferentemente de outros colegas seus. 





Mas, tenta acenar com alguma causa nas propriedades do elemento água: "através de estudos com alguns colegas, deparei-me com o fato de a água possuir algumas propriedades extraordinárias (…) tal vez também a de Lourdes. 







Só a água de Lourdes, que é natural, faz milagres. Por quê?


"Neste momento, não disponho de dados específicos, mas sei que a água pode manter estruturas que ficarão impressas no DNA e pode transferir a informação genética. Tentarei adaptar os meus conhecimentos com o fenômeno de Lourdes".




Sendo assim, por quê a água de outros mananciais, tão natural como a de Lourdes, não faz "milagres" análogos aos que a ciência constatou em Lourdes?




Não cabe à ciência declarar que tal cura foi ou não "milagrosa". Isso é tarefa da autoridade eclesiástica, portanto tarefa religiosa.




Mas a ciência age em seu campo reconhecendo, ou não, se tal cura se explica, ou não, segundo os conhecimentos e procedimentos científicos aceitos. E o egrégio Prêmio Nobel acabou reconhecendo a inexplicabilidade das curas da "água milagrosa" de Lourdes.




A água de Lourdes é água natural potável e boa. E mais nada. A causa dos milagres é a graça divina. E Deus quis dispensar graças de cura por meio da intercessão de Nossa Senhora e da água natural da Gruta de Lourdes. 














Ele enviou sua Mãe Santíssima que apareceu a Santa Bernadette. E Nossa Senhora mandou beber e se lavar com a água da Gruta, em sinal de penitência, submissão, reconhecimento e louvor da Imaculada Conceição.




Trata-se da fonte que flui na Gruta das Aparições (video embaixo), que a própria Santa Bernadette Soubirous encontrou escavando a terra, seguindo as orientações da Santíssima Virgem Maria.





Video: A fonte da "água milagrosa" de Lourdes






Se seu email não visualiza corretamente o vídeo embaixo CLIQUE AQUI











Por sinal, a água da gruta não é o único instrumento das curas em Lourdes.




Dos 69 milagres canonicamente reconhecidos, 48 estão diretamente relacionados com a água de Lourdes. 




Mas, os outros 21 aconteceram em outras circunstâncias, notadamente durante a Bênção do Santíssimo aos doentes na basílica, ou no pátio, do Santuário.













You are subscribed to email updates from Ciência confirma a Igreja

To stop receiving these emails, you may unsubscribe now. 

Email delivery powered by Google 


Google Inc., 20 West Kinzie, Chicago IL USA 60610 

Nenhum comentário:

Apoio




_

Immaculata mea

In sobole Evam ad Mariam Virginem Matrem elegit Deus Filium suum. Gratia plena, optimi est a primo instanti suae conceptionis, redemptionis, ab omni originalis culpae labe praeservata ab omni peccato personali toto vita manebat.

Cubra-me

'A Lógica da Criação'


Jesus, oculto na Hóstia, é tudo para mim




“Se não fosse a Santa Comunhão, eu estaria caindo continuamente. A única coisa que me sustenta é a Santa Comunhão. Dela tiro forças, nela está o meu vigor. Tenho medo da vida, nos dias em que não recebo a Santa Comunhão. Tenho medo de mim mesma. Jesus, oculto na Hóstia, é tudo para mim. Do Sacrário tiro força, vigor, coragem e luz. Aí busco alívio nos momentos de aflição. Eu não saberia dar glória a Deus, se não tivesse a Eucaristia no meu coração.”



(Diário de Santa Faustina, n. 1037)

Ave-Maria

A Paixão de Cristo