Banner

Jesus Início

Início


Visitas



addthis

Addrhis

Canal de Videos

Maria



Rio de Janeiro

Santa Sé






domingo, 22 de dezembro de 2013

[Novo post] Universidade do governo terá aulas de marxismo… e o que podemos fazer com isso?




lucianohenrique publicou: " Eu critico a atitude de boa parte da direita, que se resume a observar o que a esquerda faz contra eles, e em seguida reclamar, como se fosse um desabafo, mas geralmente deixar por isso mesmo. Mas em muitos casos podemos fazer uma limonada a partir de" 



Para responder a esta publicação digite acima desta linha 






Nova publicação em Ceticismo Político 











Eu critico a atitude de boa parte da direita, que se resume a observar o que a esquerda faz contra eles, e em seguida reclamar, como se fosse um desabafo, mas geralmente deixar por isso mesmo. Mas em muitos casos podemos fazer uma limonada a partir de limões lançados contra nós.

Antes, veja a notícia do Estadão ("Universidade do governo terá aulas de marxismo"):


Para o representante do PDT no Ministério de Dilma Rousseff, os trabalhadores de hoje precisam de uma maior compreensão política. "Estamos vivendo um período de despolitização geral no Brasil, em todas as áreas. Os trabalhadores são peça fundamental na discussão política. Eles são os agentes que constroem com seu esforço, com seu trabalho...", explica.

A Universidade do Trabalhador vai usar a expertise do Centro de Difusão de Tecnologia e Conhecimento, projeto sob a tutela, desde 2004, da Casa Civil, com cerca de 100 mil matrículas. A ideia, porém, é aumentar exponencialmente o atendimento na nova plataforma online de ensino, que terá capacidade técnica de atender simultaneamente até 250 mil pessoas e cerca de 1 milhão de trabalhadores por dia. "Vai ser um negócio grandioso", garante o ministro. Discute-se, até mesmo, uma internacionalização do programa, que poderia ser acessado em países do Mercosul, como Argentina, Uruguai e Venezuela.

O primeiro convênio foi firmado com a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), onde o catarinense Manoel Dias concluiu o curso de Direito. Segundo o professor João Arthur de Souza, do Departamento de Engenharia e Gestão do Conhecimento da UFSC, a universidade vai receber R$ 2,5 milhões pelo contrato de dois anos, dinheiro que será usado para pagar bolsas a estudantes e contratar técnicos para o projeto. A equipe responsável pela definição dos novos cursos tem 30 a 40 alunos bolsistas e profissionais de várias áreas, como Psicologia, Pedagogia, Estatística, Computação, Letras, Economia, Sociologia e Administração.

Cursos sem partido. O professor da UFSC disse que os cursos serão "apartidários", embora admita que abordarão o contexto no qual estão inseridas as tecnologias. "O trabalhador precisa entender o impacto do que ele está fazendo na sociedade." A próxima da fila será a Universidade de Brasília (UnB), que fechará convênio com o governo ainda em 2013. Mais três instituições virão em 2014.

Na visão do ministro do Trabalho, a Pasta deve passar a desempenhar, em 2014, o papel de "intermediadora" na relação entre os trabalhadores e as empresas. "Hoje o mundo mudou, há de ter mais negociação. Isso ajuda no crescimento, na geração de empregos. O trabalhador bem tratado produz mais, trabalha com mais prazer."

De acordo com o especialista José Pastore, professor de Relações do Trabalho da Faculdade de Economia e Administração (FEA) da Universidade de São Paulo (USP), a qualificação profissional é, de fato, uma questão crucial, mas ter como foco "politizar" os trabalhadores é uma medida "defasada", que não resolve o problema da baixa produtividade do mercado de trabalho brasileiro.

"Uma economia globalizada exige competência, eficiência e produtividade. Muito mais conhecimento das tecnologias e do sistema de produção do que propriamente de ciência política." Para o professor, o foco deve estar na qualidade da educação básica. Ele conta que conhece um recrutador que faz testes de ditado com candidatos a vagas para profissionais com curso superior completo porque sempre tem os que são reprovados nessa fase.

Já vi comentários no Facebook dizendo coisas como "Pronto, danou-se, agora lá se vai o uso do dinheiro público para ensino de marxismo". Ao contrário, em visualizo ótimas oportunidades na questão acima.

Para começo de conversa a doutrinação em marxismo já acontece em escolas públicas, portanto não teremos nada de novo. Mas a grande novidade é que essa plataforma é de ensino online, ou seja, teremos conteúdo disponível em grande quantidade fora do recinto de salas fechadas, que dão poder extremo aos doutrinadores escolares.

Atenção para este detalhe: o uso de salas fechadas, onde um professor fica a sós com o aluno, dá um poder extremo ao professor doutrinador, pois os alunos tendem a respeitar o professor (portanto, o visualizam como uma autoridade), e, por isso, ele pode usar essa autoridade para inserir suas ideias de forma mais fácil nos alunos. Para facilitar a vida do professor, o ambiente universitário cria ambientes de socialização nos quais o aluno será submetido à pressão psicológica e exclusão social caso não concorde com a massa cujo cérebro foi lavado pelo professor.

Já no ensino virtual, a coisa é diferente. O sujeito pode ser doutrinado em marxismo em uma aula online, e, no momento seguinte, ser ridicularizado nas redes sociais pelas ideias que aceitou. Além de tudo, é mais fácil obter o conteúdo da aula e desmascarar o próprio conteúdo ensinado. Podem ser criados até blogs onde a pessoa pode assistir a aula X em um dia e, 24 horas depois, ver as doutrinações da aula todas refutadas.

Em suma, o mar de oportunidades está aberto. É hora de nadar nele de braçadas.















Cancele a assinatura para não receber mais posts de Ceticismo Político.
Altere as configurações do seu e-mail em Gerenciar Assinaturas. 

Problemas para clicar? Copie e cole esta URL no seu navegador: 













Nenhum comentário:

Apoio




_

Immaculata mea

In sobole Evam ad Mariam Virginem Matrem elegit Deus Filium suum. Gratia plena, optimi est a primo instanti suae conceptionis, redemptionis, ab omni originalis culpae labe praeservata ab omni peccato personali toto vita manebat.

Cubra-me

'A Lógica da Criação'


Jesus, oculto na Hóstia, é tudo para mim




“Se não fosse a Santa Comunhão, eu estaria caindo continuamente. A única coisa que me sustenta é a Santa Comunhão. Dela tiro forças, nela está o meu vigor. Tenho medo da vida, nos dias em que não recebo a Santa Comunhão. Tenho medo de mim mesma. Jesus, oculto na Hóstia, é tudo para mim. Do Sacrário tiro força, vigor, coragem e luz. Aí busco alívio nos momentos de aflição. Eu não saberia dar glória a Deus, se não tivesse a Eucaristia no meu coração.”



(Diário de Santa Faustina, n. 1037)

Ave-Maria

A Paixão de Cristo