Banner

Jesus Início

Início


Visitas



addthis

Addrhis

Canal de Videos

Rio de Janeiro

Santa Sé






quarta-feira, 21 de maio de 2014

ACI Digital: Catequese: O dom da ciência nos ajuda a evitar o pecado e suas consequências

Documento sin título










NOTÍCIAS DIÁRIAS · www.acidigital.com 










21 de maio de 2014 






Catequese: O dom da ciência nos ajuda a evitar o pecado e suas consequências


VATICANO, 21 Mai. 14 (ACI/EWTN Noticias) .- Na Audiência Geral desta quarta-feira, o Papa Francisco continuou sua catequese sobre os dons do Espírito Santo, abordando nesta ocasião o dom da ciência, o qual, afirmou, ajuda a perceber a grandeza de Deus através da criação e ensina a custodiar este presente para o benefício de todos e não cair em algumas atitudes excessivas ou equivocadas que levem a sua destruição.




SUGERIMOS HOJE:

CURTA NOSSA FANPAGE NO FACEBOOK!

ACOMPANHE AS NOSSAS NOTÍCIAS NO TWITTER

CONFIRA AS NOTÍCIAS RELATIVAS AO SANTO PADRE NO NOVO PERFIL FEITO POR ACI DIGITAL



MANCHETES DO DIA 











VATICANO 
Catequese: O dom da ciência nos ajuda a evitar o pecado e suas consequências 
O Papa Francisco pede orações pela sua viagem à Terra Santa 
Foi apresentada na Santa Sé a campanha para combater o tráfico de pessoas durante a Copa do Mundo de 2014 

MUNDO 
Na Missa com o Papa Francisco na Jordânia cerca de 1400 crianças receberão a Primeira Comunhão 





Católico em Dia 



Evangelho: 





Santo ou Festa: 



Um pensamento: 

Com a prtica fiel das virtudes mais humildes e singelas, fez-se minha Me, visvel a todos o caminho reto do Cu.

Santa Teresa de Lisieux 













VATICANO 









VATICANO, 21 Mai. 14 (ACI/EWTN Noticias) .- Na Audiência Geral desta quarta-feira, o Papa Francisco continuou sua catequese sobre os dons do Espírito Santo, abordando nesta ocasião o dom da ciência, o qual, afirmou, ajuda a perceber a grandeza de Deus através da criação e ensina a custodiar este presente para o benefício de todos e não cair em algumas atitudes excessivas ou equivocadas que levem a sua destruição.

Ante os milhares de fiéis congregados na Praça de São Pedro, o Papa esclareceu que este dom não se limita ao conhecimento humano da natureza. “Quando os nossos olhos são iluminados pelo Espírito, abrem-se à contemplação de Deus, na beleza da natureza e na grandiosidade do cosmo, e nos levam a descobrir como cada coisa nos fala Dele e do seu amor”.

A seguir a catequese do Papa na íntegra:

Queridos irmãos e irmãs, bom dia

Hoje gostaria de destacar outro dom do Espírito Santo, o dom da ciência. Quando se fala de ciência, o pensamento vai imediatamente à capacidade do homem de conhecer sempre melhor a realidade que o cerca e de descobrir as leis que regulam a natureza e o universo. A ciência que vem do Espírito Santo, porém, não se limita ao conhecimento humano: é um dom especial, que nos leva a entender, através da criação, a grandeza e o amor de Deus e a sua relação profunda com cada criatura.

1. Quando os nossos olhos são iluminados pelo Espírito, abrem-se à contemplação de Deus, na beleza da natureza e na grandiosidade do cosmo, e nos levam a descobrir como cada coisa nos fala Dele e do seu amor. Tudo isto suscita em nós grande admiração e um profundo sentido de gratidão! É a sensação que experimentamos também quando admiramos uma obra de arte ou qualquer outra maravilha que seja fruto da invenção e da criatividade do homem: diante de tudo isso, o Espírito nos leva a louvar o Senhor do fundo do nosso coração e a reconhecer, em tudo aquilo que temos e somos, um dom inestimável de Deus e um sinal do seu infinito amor por nós.

2. No primeiro capítulo do Gênesis, propriamente no início de toda a Bíblia, coloca-se em evidência que Deus se alegra com a sua criação, destacando repetidamente a beleza e a bondade de cada coisa. Ao término de cada dia, está escrito: “Deus viu que era coisa boa” (1, 12. 18. 21. 25): se Deus vê que a criação é uma coisa boa, é uma coisa bela, também nós devemos assumir esta atitude e ver que a criação é coisa boa e bela. Eis o dom da ciência que nos faz ver esta beleza, portanto louvamos a Deus agradecendo-lhe por ter nos dado tanta beleza. E quando Deus terminou de criar o homem não disse “viu que era coisa boa”, mas disse que era “muito boa” (v. 31). Aos olhos de Deus nós somos a coisa mais bela, grande, boa da criação: mesmo os anjos estão abaixo de nós, n&oa! cute;s somos mais que os anjos, como ouvimos no livro dos Salmos. O Senhor nos quer bem! Devemos agradecer a Ele por isto. O dom da ciência nos coloca em profunda sintonia com o Criador e nos faz participar da clareza do seu olhar e do seu juízo. É nesta perspectiva que conseguimos entender no homem e na mulher o vértice da criação, como cumprimento de um projeto de amor que está impresso em cada um de nós e que nos faz reconhecer como irmãos e irmãs.

3. Tudo isto é motivo de serenidade e de paz e faz do cristão um testemunho alegre de Deus, nos passos de São Francisco de Assis e de tantos santos que souberam louvar e cantar o seu amor através da contemplação da criação. Ao mesmo tempo, porém, o dom da ciência nos ajuda a não cair em algumas atitudes excessivas ou erradas. A primeira é constituída pelo risco de nos considerarmos donos da criação. A criação não é uma propriedade, na qual podemos mandar de acordo com a nossa vontade; nem, tão pouco, é uma propriedade somente de alguns, de poucos: a criação é um presente, é um presente maravilhoso de Deus que nos deu para que cuidemos dela e a utilizemos em benefício de todos, sempre com grande respeito e gratidão. A segunda atitude errada é representada pela tentação ! de nos pararmos nas criaturas, como se estas pudessem oferecer a resposta a todas as nossas expectativas. Com o dom da ciência, o Espírito nos ajuda a não cair neste erro.

Mas gostaria de retornar ao primeiro caminho errado: dominar a criação em vez de protegê-la. Devemos proteger a criação porque é um presente que o Senhor nos deu, é um presente de Deus para nós; nós somos guardiães da criação. Quando nós exploramos a criação, destruímos o sinal do amor de Deus. Destruir a criação é dizer a Deus: “não gosto”. E isto não é bom: eis o pecado.

A proteção da criação é justamente a proteção do presente de Deus e é dizer a Deus: “obrigado, eu sou o guardião da criação, mas para fazê-la progredir, nunca para destruir o teu presente”.

Esta deve ser a nossa atitude diante da criação: protegê-la, porque se nós destruímos a criação, a criação nos destruirá! Não se esqueçam disso. Uma vez eu estava no campo e ouvi um dito de uma pessoa simples, que gostava tanto das flores e cuidava delas. Disse-me: “Devemos proteger estas coisas belas que Deus nos deu; a criação é para nós a fim de que nós a aproveitemos bem; não explorar, mas protegê-la, porque Deus perdoa sempre, nós homens perdoamos algumas vezes, mas a criação não perdoa jamais e se você não a protege ela te destruirá”.

Isto deve nos fazer pensar e pedir ao Espírito Santo o dom, o dom da ciência para entender bem que a criação é o mais belo presente de Deus. Ele fez tantas coisas boas para a melhor coisa que é a pessoa humana.

voltar ao início | comentar a notícia | arquivo


VATICANO, 21 Mai. 14 (ACI/EWTN Noticias) .- Na audiência geral desta quarta-feira, o Papa Francisco pediu a oração de todos os fiéis para acompanha-lo em sua viagem à Terra Santa que começará no próximo sábado, dia 24 e terminará na segunda-feira, 26 de maio.

Em sua saudação aos fiéis de língua italiana, o Santo Padre recordou que no sábado, 24 de maio, “começo a viagem à Terra Santa, a terra de Jesus. Será uma viagem estritamente religiosa. Primeiro, para encontrar o meu irmão Bartolomeu I, na celebração do 50º aniversário do encontro de Paulo VI com o Patriarca Atenágoras I. Mais uma vez se encontrarão Pedro e André, e isso é muito belo”.

“O segundo motivo é rezar pela paz naquela terra que sofre tanto. Peço-lhes que rezem por esta viagem”, disse logo o Pontífice.

Em sua saudação aos peregrinos de língua árabe, o Papa se dirigiu de maneira especial aos peregrinos vindos da “Jordânia, Terra Santa e Egito. O dom da ciência liberta a mente da tentação de considerá-la a última referência, ajudando o coração a ler o selo do Criador em toda criatura e em toda a criação, guiando assim o homem a reconhecer a própria nulidade e a confessar a Onipotência de Deus e a grandeza de Seu amor e de Sua bondade”.

“Que o Espírito ilumine nossas mentes e nossos corações com o dom da ciência para reconhecer a Deus Criador e Senhor. Obrigado!”

voltar ao início | comentar a notícia | arquivo


VATICANO, 21 Mai. 14 (ACI/EWTN Noticias) .- Na manhã de ontem, dia 20 de maio, foi apresentada na Santa Sé a Campanha contra o Tráfico de Pessoas durante a Copa do Mundo 2014, que tem como lema “Jogue a favor da vida, denuncie o tráfico de pessoas”. A Campanha está sendo organizada por Talitha Kum, da Rede Internacional da Vida Consagrada contra o Tráfico de Pessoas.

“A campanha manifesta a sintonia da vida consagrada com o sentimento do papa perante este crime que ele mesmo tem definido como ‘a chaga no corpo da humanidade contemporânea, uma chaga na carne de Cristo’”, afirmou o prefeito da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica, cardeal João Braz de Aviz, durante a apresentação.

Por sua parte, a irmã Carmen Sammut, Presidente da União Internacional dos Superiores Gerais (UISG), denunciou que o tráfico de pessoas está por toda parte, por isso chamou a uma maior conscientização da opinião pública sobre as consequências deste drama.

Irmã Gabriella Bottani, integrante da rede Um Grito pela Vida (Brasil), ao recordar as palavras do papa, disse que “não se pode permanecer indiferente, sabendo que há seres humanos tratados como uma mercadoria”.

A religiosa recordou que segundo dados oficiais, este crime atinge quase 21 milhões de pessoas no mundo. “Devemos arrancar com força do silêncio e do medo esta grave violação da dignidade humana”, expressou.

Os organizadores da campanha disseram que se espera que a Copa do Mundo do Brasil 2014 represente um evento positivo para promover a cultura dos direitos e da vida, denunciar todas as formas de exploração que a desvalorizam e mercantilizam, sensibilizar a população sobre este fenômeno e sobre como denunciar os casos de tráfico de pessoas.

voltar ao início | comentar a notícia | arquivo


MUNDO 









ROMA, 21 Mai. 14 (ACI) .- Durante a Missa que o Papa Francisco celebrará no sábado, 24 de maio, no Estádio Internacional de Amã, na Jordânia, cerca de 1400 crianças receberão a Primeira Comunhão.

Assim o indicou à agência vaticana Fides o Padre Rifat Bader, diretor do Catholic Center for Studies and Media e porta-voz oficial da visita do Santo Padre à Jordânia.

“A preparação para a celebração, que teve início quatro meses atrás, envolveu também os pais das crianças, com lições de catecismo realizadas todas as sextas-feiras por sacerdotes, freiras, catequistas e professores de religião”, explica o sacerdote.

“Os meninos e as meninas, vestidos de branco, depois da consagração das espécies eucarísticas ficarão em seus lugares e a primeira comunhão será ministrada a eles por bispos e sacerdotes”, acrescenta.

As 50.000 entradas para participar da missa com o Pontífice estão sendo distribuídas nesses dias através das paróquias da Jordânia, enquanto que as funções de apoio e serviço da ordem durante a celebração serão realizadas por, aproximadamente, 500 jovens voluntários.

voltar ao início | comentar a notícia | arquivo






PARA CANCELAR A ASSINATURA O INSCREVER UM AMIGO, PREENCHA O FORMULÁRIO AQUI
COMENTÁRIOS OU PERGUNTAS A acidigital@acidigital.com


Nenhum comentário:

Apoio




_

Immaculata mea

In sobole Evam ad Mariam Virginem Matrem elegit Deus Filium suum. Gratia plena, optimi est a primo instanti suae conceptionis, redemptionis, ab omni originalis culpae labe praeservata ab omni peccato personali toto vita manebat.

Cubra-me

'A Lógica da Criação'


Jesus, oculto na Hóstia, é tudo para mim




“Se não fosse a Santa Comunhão, eu estaria caindo continuamente. A única coisa que me sustenta é a Santa Comunhão. Dela tiro forças, nela está o meu vigor. Tenho medo da vida, nos dias em que não recebo a Santa Comunhão. Tenho medo de mim mesma. Jesus, oculto na Hóstia, é tudo para mim. Do Sacrário tiro força, vigor, coragem e luz. Aí busco alívio nos momentos de aflição. Eu não saberia dar glória a Deus, se não tivesse a Eucaristia no meu coração.”



(Diário de Santa Faustina, n. 1037)

Ave-Maria

A Paixão de Cristo