Banner

Jesus Início

Início


Visitas



addthis

Addrhis

Canal de Videos

Maria



Rio de Janeiro

Santa Sé






domingo, 10 de novembro de 2013

[Catolicos a Caminho] HISTÓRIA DA SALVAÇÃO (32o) DOMINGO COMUM - D Som !

 













  • HISTÓRIA DA SALVAÇÃO 




(179)-32º DOMINGO COMUM – C 







"Alguns saduceus afirmam que não há ressurreição". 



A RESSURREIÇÃO DA CARNE FAZ SENTIDO ! 


******** 


A ressurreição do corpo é certamente conhecida pela fé, e faz parte da revelação de Deus ao ser humano. 

Mas além disso, não repugna à natureza humana, porque tem sentido. 

S. Paulo faz a comparação com o que nós conhecemos na natureza: 

- "Insensato ! O que semeias não toma vida se primeiro não morrer. E o que semeias não é o corpo que há-de vir, mas sim um simples grão de trigo, por exemplo, ou de qualquer outra espécie. Deus, porém, dá-lhe o corpo como Lhe apraz, e a cada uma das sementes o corpo que lhe é próprio". (1 Cor. 15,36). 

Algo de semelhante acontece quando o nosso corpo morre. 

É lançado à terra como a semente e, então, quando Deus assim o entender, colhê-lo-á para o ressuscitar com um corpo da nossa humanidade glorificada. 

Os primeiros Padres da Igreja insistem nesta mesma comparação, dizendo que o Sol desaparece todos os dias dos nossos olhos, como se morresse, mas volta a aparecer de novo em cada dia como se ressuscitasse. 

As árvores perdem as suas folhas no Outono, como se estivessem mortas durante todo o Inverno, mas na nova Primavera recebem uma nova vida, como se fosse uma ressurreição. 

A semente morre porque apodrece, mas volta de novo pelo processo de uma germinação. 

Todavia, aqui não há apenas uma comparação com a natureza. 

As nossas almas são imortais e têm uma tendência natural para estarem unidas ao corpo. 

A sua separação permanente do corpo, seria contrária à natureza humana. 

E assim, parece-nos mais próprio que as nossas almas se voltem a juntar com os nossos corpos. 

O próprio Salvador usou este argumento na Sua conversação com os Saduceus que negavam a ressurreição do corpo. 

Depois de eles terem falado do homem que casou com sete mulheres e que foram falecendo umas atrás das outras, e de perguntarem qual das mulheres ele teria na vida eterna, Jesus respondeu-lhes : 

- "Estais enganados, porque desconheceis as Escrituras e o poder de Deus. Porque na ressurreição, nem os homens terão mulheres, nem as mulheres, maridos, mas serão como anjos de Deus no Céu..."(Mt.22,29). 

Tudo isto é absolutamente lógico na nossa fé na ressurreição do corpo. 

Durante a nossa vida na Terra nós servimos a Deus, não apenas com a nossa alma, mas também com o nosso corpo, pelo que S. Paulo nos diz também : 

- "Se tão somente nesta vida esperamos em Cristo, somos os mais miseráveis de todos os homens".(1 Cor. 15,19). 

O que S. Paulo nos quer dizer com estas palavras é que se o nosso corpo não recebesse a recompensa dos seus trabalhos na Terra, pelos quais sofreu privações e desgostos, juntamente com a alma, nós seríamos os mais miseráveis de todos. 

Finalmente, nós não somos anjos, espíritos, mas seres humanos, que formamos um "todo" com o corpo e a alma. 

A alma não poderá ser perfeitamente feliz, se o "todo" que nós somos, corpo e alma, não gozar da recompensa que Deus prometeu àqueles que O amam. 

A felicidade perfeita é só para os que cumprirem o plano da História da Salvação. 



John
Nascimento 



























__._,_.___







Atividade nos últimos dias: 




Para cancelar sua assinatura deste grupo, envie um e-mail para:

catolicosacaminho-unsubscribe@yahoogroups.com









Trocar para: Só Texto, Resenha Diária • Sair do grupo • Termos de uso














.



__,_._,___

Nenhum comentário:

Apoio




_

Immaculata mea

In sobole Evam ad Mariam Virginem Matrem elegit Deus Filium suum. Gratia plena, optimi est a primo instanti suae conceptionis, redemptionis, ab omni originalis culpae labe praeservata ab omni peccato personali toto vita manebat.

Cubra-me

'A Lógica da Criação'


Jesus, oculto na Hóstia, é tudo para mim




“Se não fosse a Santa Comunhão, eu estaria caindo continuamente. A única coisa que me sustenta é a Santa Comunhão. Dela tiro forças, nela está o meu vigor. Tenho medo da vida, nos dias em que não recebo a Santa Comunhão. Tenho medo de mim mesma. Jesus, oculto na Hóstia, é tudo para mim. Do Sacrário tiro força, vigor, coragem e luz. Aí busco alívio nos momentos de aflição. Eu não saberia dar glória a Deus, se não tivesse a Eucaristia no meu coração.”



(Diário de Santa Faustina, n. 1037)

Ave-Maria

A Paixão de Cristo