Banner

Jesus Início

Início


Visitas



addthis

Addrhis

Canal de Videos

Maria



Rio de Janeiro

Santa Sé






quarta-feira, 6 de novembro de 2013

[Catolicos a Caminho] NOVEMBRO MÊS DAS ALMAS (07) REVELAÇÃO DIVINA Som !

 











  • NOVEMBRO, MÊS DAS ALMAS! 


*********** 


(07)A REVELAÇÃO DIVINA ! (7-XI-2013) 


................. 



O Concílio Vaticano II publicou a sua Constituição Dogmática sobre a Revelação Divina - Dei Verbum, que começa por falar da Revelação em si mesma : 

- "Aprouve a Deus, na sua bondade e sabedoria revelar-Se a Si mesmo e dar a conhecer o mistério da Sua vontade, (cf.Ef. 1,9), segundo o qual, os homens, por meio de Cristo, o Verbo encarnado, têm acesso ao Pai no Espírito Santo, e se tornam participantes da natureza divina, (cf. Ef.2/18; 2 Pe. 1,4). Em virtude desta revelação, Deus invisível (cf.Col.1,15; l Tim.1,17), na riqueza do seu amor fala aos homens como amigos (cf.Ex.33,11; Jo. 15,14-15 ) e convive com eles (cf.Bar.3,38), para os convidar e admitir à comunhão com Ele. Esta "economia" da revelação realiza-se por meio de acções e palavras intimamente relacionadas entre si, de tal maneira que as obras, realizadas por Deus na história da salvação, manifestam e confirmam a doutrina e as realidades significadas pelas palavras; e as palavras, por sua vez, declaram as obras e esclarecem o mistério nelas contido. 

Porém a verdade profunda, tanto a respeito de Deus como a respeito da salvação dos homens, manifesta-se-nos por esta revelação, em Cristo, que é, simultaneamente, o mediador e a plenitude de toda a revelação".(DV 2). 


Deus...desde o princípio, manifestou-se a Si mesmo aos nossos primeiros pais. 

E após a sua queda, Deus prometeu-lhes a Redenção, como esperança de salvação quando disse à serpente : 

- "Farei reinar a inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e a dela. Ela esmagar-te-á a cabeça, ao tentares mordê-la no calcanhar". (Gen.3,15). 

E a partir daquele momento, Deus tomou incessantemente cuidado da raça humana, com o Seu Concurso Divino, no sentido de lhe garantir a salvação : 

- "Àqueles que com perseverança no bem procuram a glória, a honra e a incorrupção, dar-lhes-á a vida eterna". (Rom.2,7). 

No devido tempo chamou Abraão para fazer dele o pai dum grande povo : 

- "Farei de ti um grande povo, abençoar-te-ei, engrandecerei o teu nome e serás uma fonte de bênçãos". (Gen. 12,2). 

Depois dos patriarcas, instruiu o seu povo por meio de Moisés e dos profetas, para que O reconhecessem como único Deus vivo e verdadeiro, pai previdente e juiz justo, e para que esperassem o Salvador prometido; assim preparou Deus através dos tempos com o Seu Concurso Divino, o caminho do Evangelho. (cf. DV 3). 

Depois Deus enviou seu Filho, o Verbo eterno, que ilumina todos os homens, para habitar entre os homens e manifestar-lhes a vida íntima de Deus, o qual, por palavras e obras, sinais e milagres, e sobretudo com a sua morte e gloriosa ressurreição, completou totalmente e confirmou a divina revelação, isto é, o plano de Deus para a nossa salvação. 

Cristo fundou a sua Igreja, confiando aos seus Apóstolos a missão de transmitir a divina revelação, mandou que pregassem a todos, como fonte de toda a verdade salutar e de toda a disciplina de costumes, o Evangelho prometido antes pelos profetas e por Ele cumprido e promulgado pessoalmente, comunicando-lhes assim os dons divinos. 

Os Apóstolos, transmitindo o que eles mesmos receberam, advertem os fiéis a que observem as tradições que tinham aprendido quer por palavras quer por escrito e a que lutem pela fé recebida duma vez para sempre. 

A tradição apostólica progride na Igreja sob a assistência do Espírito Santo. 

As afirmações dos Santos Padres testemunham a presença vivificadora da Tradição, cujas riquezas entram na prática e na vida da Igreja crente e orante. 

A sagrada Tradição e a Sagrada Escritura estão intimamente unidas e compenetradas entre si, porque derivam da mesma fonte divina e fazem como que uma coisa só e tendem ao mesmo fim. 

Constituem um só depósito da sagrada palavra de Deus, confiado à Igreja. 

O encargo de interpretar autenticamente a palavra de Deus, escrita ou contida na Tradição, foi confiado só ao Magistério vivo da Igreja, cuja autoridade é exercida em nome de Jesus Cristo. 

Além da Constituição Dogmática do Concílio Vaticano II sobre a Revelação Divina - Dei Verbum - o Catecismo da Igreja Católica trata da Revelação no seu Capítulo Segundo - Deus ao encontro do homem . 

Confiados, portanto, na Revelação Divina, que nos garante a assistência da graça de Deus, nós colaboramos com ela, pela nossa fé e boas obras, para o sufrágio das almas do Purgatório e para a nossa própria salvação. 



John
Nascimento 













__._,_.___







Atividade nos últimos dias: 




Para cancelar sua assinatura deste grupo, envie um e-mail para:

catolicosacaminho-unsubscribe@yahoogroups.com









Trocar para: Só Texto, Resenha Diária • Sair do grupo • Termos de uso














.



__,_._,___

Nenhum comentário:

Apoio




_

Immaculata mea

In sobole Evam ad Mariam Virginem Matrem elegit Deus Filium suum. Gratia plena, optimi est a primo instanti suae conceptionis, redemptionis, ab omni originalis culpae labe praeservata ab omni peccato personali toto vita manebat.

Cubra-me

'A Lógica da Criação'


Jesus, oculto na Hóstia, é tudo para mim




“Se não fosse a Santa Comunhão, eu estaria caindo continuamente. A única coisa que me sustenta é a Santa Comunhão. Dela tiro forças, nela está o meu vigor. Tenho medo da vida, nos dias em que não recebo a Santa Comunhão. Tenho medo de mim mesma. Jesus, oculto na Hóstia, é tudo para mim. Do Sacrário tiro força, vigor, coragem e luz. Aí busco alívio nos momentos de aflição. Eu não saberia dar glória a Deus, se não tivesse a Eucaristia no meu coração.”



(Diário de Santa Faustina, n. 1037)

Ave-Maria

A Paixão de Cristo