Banner

Jesus Início

Início


Visitas



addthis

Addrhis

Canal de Videos

Maria



Rio de Janeiro

Santa Sé






segunda-feira, 4 de novembro de 2013

[Catolicos a Caminho] NOVEMBRO MÊS DAS ALMAS (05) SALVAÇÃO FORA DA IGREJA - So, !

 











  • NOVEMBRO, MÊS DAS ALMAS! 


*********** 

(05) - SALVAÇÃO FORA DA IGREJA ! (5-XI-2013) 

*********** 

Todos poderão ser salvos pela Morte e Ressurreição de Cristo ! 

Orígenes escreveu : 

- "Fora da Igreja ninguém se pode salvar". 

S. Cipriano disse mais : 

- "Aquele que não tem a Igreja como mãe, não pode ter Deus como Pai". 

............................ 



Estas afirmações estão de acordo com a doutrina de S. Paulo sobre o Corpo Místico, que identifica a Igreja com o Corpo Místico de Cristo, fora do qual ninguém pode obter a vida eterna : 

- "Sob os Seus pés sujeitou todas as coisas" e constituiu-O Cabeça de toda a Igreja que é o Seu corpo e o complemento d'Aquele que preenche tudo em todos". (Ef. 1,22-23). 

- Vós sois corpo de Cristo e Seus membros, cada um na parte que lhe toca". (1 Cor. 12,27). 

Vários papas abordaram também este assunto : 

* Em Unam Sanctam, o papa Bonifácio VIII (1294-1303), ensinou que "fora desta Igreja não há salvação nem remissão dos pecados". 

* Em Singulari quidem, o papa Pio IX (1846-1878), afirmou com mais intensidade que "Deve-se, evidentemente, aceitar como matéria de fé que fora da Igreja Apostólica Romana ninguém se pode salvar". 

* Em Humani generis Pio XII reforçou esta doutrina. 

Os Concílios também têm tratado deste assunto : 

* O Concílio IV de Latrão (1215) declarou que "só existe uma Igreja Universal da fé, fora da qual ninguém se pode salvar". 

* O Concílio de Florença (1438-1445) declarou que "ninguém que permaneça fora da Igreja Católica.. .pode ter parte na vida eterna". 

* O Concílio Vaticano I (1869-1870), afirmou que "é um dogma da fé que ninguém se pode salvar fora da Igreja". 

A partir destes ensinamentos da autoridade parecia claro que se podia tirar esta conclusão : "Todo aquele que morrer sem o Baptismo da Igreja Católica Romana fica condenado ao inferno". 

Todavia...por manter exactamente esta conclusão, o P. Leonardo Feneey S.J. um Jesuíta Americano do Colégio de Boston, foi expulso da sua Congregação e excomungado em 1940. 

Depois de ler as afirmações dos Padres, dos Concílios e dos Papas, Feneey não podia aceitar qualquer outra interpretação senão esta, pela qual foi condenado. 

A propósito desta controvérsia, o Arcebispo de Boston, Richard Cushing, recebeu uma carta de explicação e clarificação do Santo Ofício. 

Esta carta, datada de 8 de Agosto de 1949, é importante para esclarecer a necessidade da Igreja ; Ela é necessária para a salvação por mandamento divino e não por necessidade intrínseca. 

A Igreja, como Corpo Místico de Cristo, é a única Arca da Salvação, mas o tornar-se directamente membro dela pelos sacramentos é apenas o meio ordinário de salvação. 

Por outras palavras, o conhecimento da Igreja e do seu Fundador é exigido para aqueles para quem o ser membro directo da Igreja deve ser considerado como necessário para a salvação. 

Este ensinamento não é a proclamação do indiferentismo religioso, nem é uma admissão da salvação universal no sentido herético. 

Mais do que isso, é um cuidadoso e equilibrado entendimento do papel da Igreja na História da salvação e o reconhecimento de que a ignorância da verdadeira Igreja dispense alguém de culpabilidade por não lhe pertencer. 

Em Singulari quidem o papa Pio IX, em adição ao ensinamento sobre a necessidade da Igreja para a salvação, declarou ainda que "é também de considerar que aqueles que estão afectados pela ignorância da verdadeira religião, se é ignorância invencível, não são réus de qualquer culpa nesta matéria perante o Senhor. 

Mas quem pode presumir que se encontra nesta situação de ignorância, tendo em conta as diferenças naturais de povos, nações, talentos nativos e tantos outros factores ?" 

A compreensão do lugar da Igreja na economia da salvação fundamenta-se também no Concílio Vaticano II. 

A Constituição Dogmática sobre a Santa Igreja Lumen Gentium ensina que a Igreja é necessária para a salvação e que quem conhece a verdadeira natureza da Igreja mas permanece voluntariamente fora dela, não se pode salvar : 

- "Pelo que, não se poderiam salvar aqueles que, não ignorando ter sido a Igreja católica fundada por Deus, por meio de Jesus Cristo, como necessária, contudo, ou não querem entrar nela ou nela não querem perseverar". (LG 14). 

E ensina ainda que os cristãos não-católicos, os judeus, os Muçulmanos e todos os que, na sua ignorância, procuram a Deus de coração sincero e obedecendo à sua consciência, podem também, de facto, salvar-se : 

- "Com efeito, aqueles que, ignorando sem culpa o Evangelho de Cristo, e a Sua Igreja, procuram, contudo, a Deus com coração sincero, e se esforçam, sob o influxo da graça, por cumprir a Sua vontade, manifestada pelo ditame da consciência, também eles podem alcançar a salvação eterna". (LG 16). 

Todavia, a possibilidade de salvação para cada povo, apesar da sua ignorância deste facto, provém somente da graça de Deus através de Jesus Cristo e da Sua Igreja.





A solução desta aparente contradição não é um equívoco. 

É, mais do que isso, a compreensão da Igreja a respeito de todo o Evangelho de Cristo. 

É uma compreensão em que se confessa que Jesus é o caminho, a verdade e a vida :

- "Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por Mim". (Jo.14,6).

E ao mesmo tempo reconhece-se o infinito poder e misericórdia de Deus, que deseja que todos os homens se salvem :

- "Isto é bom e agradável diante de Deus, Nosso Senhor, que deseja que todos os homens se salvem e conheçam a verdade".(1 Tim.2,3-4). 

Assim, haverá salvação fora da Igreja ?

- Não !

A pessoa que morre sem estar baptizada na Igreja Católica, fica condenada ao inferno por este facto ?

- Não !

Há nisto uma contradição ?

- Não !

O próprio poder que a Igreja tem de ensinar permite uma certa compreensão de como esta aparente antinomia se pode resolver.

A Constituição Dogmática do Concílio Vaticano II sobre a Santa Igreja Lumen Gentium diz ainda :

- "Nem a Divina Providência nega os auxílios necessários à salvação àqueles que, sem culpa, não chegaram ainda ao conhecimento explícito de Deus e se esforçam, não sem o auxílio da graça, por levar uma vida recta. Tudo o que de bom e verdadeiro neles há, é considerado pela Igreja como preparação para receberem o Evangelho, dado por Aquele que ilumina todos os homens, para que possuam finalmente a vida".(LG 16).

Ver: Catecismo da I. Cat, (846,847).

Deus quer que todos se salvem e a todos abriu caminhos pelos quais tenham a possibilidade de fazer parte da História da Salvação. 

É esta Salvação que nós desejamos para todas as almas do Purgatório e é por isso que devemos rezar por elas, como nos recomenda a Igreja especialmente neste mês das almas, em que a Liturgia da Palavra aponta para Vida Eterna.




Salvos pela Morte... e Ressurreição de Cristo .....


























__._,_.___







Atividade nos últimos dias: 




Para cancelar sua assinatura deste grupo, envie um e-mail para:

catolicosacaminho-unsubscribe@yahoogroups.com









Trocar para: Só Texto, Resenha Diária • Sair do grupo • Termos de uso












.



__,_._,___

Nenhum comentário:




_

Immaculata mea

In sobole Evam ad Mariam Virginem Matrem elegit Deus Filium suum. Gratia plena, optimi est a primo instanti suae conceptionis, redemptionis, ab omni originalis culpae labe praeservata ab omni peccato personali toto vita manebat.

Cubra-me

'A Lógica da Criação'


Jesus, oculto na Hóstia, é tudo para mim




“Se não fosse a Santa Comunhão, eu estaria caindo continuamente. A única coisa que me sustenta é a Santa Comunhão. Dela tiro forças, nela está o meu vigor. Tenho medo da vida, nos dias em que não recebo a Santa Comunhão. Tenho medo de mim mesma. Jesus, oculto na Hóstia, é tudo para mim. Do Sacrário tiro força, vigor, coragem e luz. Aí busco alívio nos momentos de aflição. Eu não saberia dar glória a Deus, se não tivesse a Eucaristia no meu coração.”



(Diário de Santa Faustina, n. 1037)

Ave-Maria

A Paixão de Cristo